A Arte Cartum de Mike Deodato Jr: momentos domésticos de amor e lazer do cultuado desenhista

Recentemente, tive a oportunidade de assistir a uma palestra de Mike Deodato, um ícone dos desenhos mundial, na terceira Feira de Literatura e Quadrinhos, FLiQ. Um dos primeiros desenhistas brasileiros a entrar no mercado norte-americano, Deodato se tornou um dos nomes conhecido ao longo dos anos noventa, desenhando para pequenas editoras, chegou a DC Comics e em seguida a Marvel Comics, em que está hoje em dia, após idas e vindas na editora dos Vingadores.

a-arte-cartum-de-mike-deodato

Deodato Taumaturgo Borges Filho, esse é nome de batismo do paraibano de Campina Grande, que foi fortemente influenciado por seu pai e professor de desenho, Deodato Borges. Desde cedo cria histórias, quadrinhos e fanzines. Após dez anos tentando ganhar a vida com quadrinhos no Brasil, Deodato por fim conseguiu entrar no acirrado mercado norte-americano e é considerado um dos melhores artistas de Super-Herói do mundo, cultuado por nerds e admiradores de desenho mundo afora.

A Arte Cartum de Mike Deodato 15

Simpático e extremamente divertido, foi a impressão que ficou na Palestra Marvel x DC, realizada durante a FLiQ, em que Deodato “duelava” ao lado do amigo e desenhista (da editora concorrente), Geraldo Borges.  Também tive acesso a uma obra que fugiu dos mundo dos super-heróis: “A Arte Cartum de Mike Deodato Jr”. O livro é um apanhado de cartões que o artista fez a sua família, ao longo dos anos, com forte influência de Bill Watterson (Calvin e Haroldo), Ziraldo (Menino Maluquinho) e Mauricio de Sousa (Turma da Mônica), “Deo”, declara-se a sua esposa, Paula e mostra-se um sensível homem apaixonado, além de um desenhista versátil.

mike_deodato

Fruto de instantes domésticos, a compilação de cartuns é resultado daqueles momentos de desligamento dos afazeres. Mostrando ser bem humorado, inteligente, divertido e, acima de tudo, um profissional tão obcecado, que até nos momentos de lazer se expressa por meio de sua arte, Deo agrada. Fugindo ao lado “másculo” e “viril” dos traços dos super-heróis, Deodato consegue cativar os fãs de “comics” e aqueles que apreciam boas tirinhas e cartuns. Leitura agradável, suave e divertida.