Cobra Kai: nostalgia ao cinema dos anos 80
8Nota
Nota do leitor: (0 Votes)
0.0

A saga Karatê Kid se tornou um marco memorável aos cinemas durante os anos 80. A série de filmes conta a história de Daniel Larusso (Ralph Macchio), um adolescente que aprende lições como lutador de Karatê através de seu mestre Miyagi (Noriyuki “Pat” Morita) para se defender de seu antagonista Johnny Lawrence (William Zabka), após se envolver romanticamente com sua ex-namorada, Ali Mills (Elisabeth Shue). A histórica rivalidade de Larusso e Lawrence encantou o espectador com um enredo cativante e cenas de lutas emblemáticas.

A série de televisão Cobra Kai, inicialmente exibida pela plataforma Youtube Premium tendo depois seus direitos adquiridos pela Netflix, segue os acontecimentos da trilogia nos cinemas 34 anos depois, revivendo o antigo confronto que resulta na reabertura do dojo de karatê que leva o mesmo nome da série.

Karatê Kid – A hora da verdade (1984)

Cobra Kai é uma sequência que se moderniza aos tempos atuais, mas também é uma série extremamente fiel às obras originais, não apenas por ser um spin off, mas, principalmente, por abraçar o tom nostálgico dos filmes através de seus personagens, figurinos, trilha sonora, além de incluir cenas originais da trilogia ao longo de suas duas temporadas. Logo, assistir aos filmes pode não ser necessariamente uma obrigatoriedade, porém, tornarão sua experiência ainda melhor.

A primeira temporada cumpre bem o papel de reapresentar seus protagonistas. Daniel Larusso torna-se um homem bem sucedido, trabalhando em uma concessionária de automóveis e pai de família, enquanto Johnny Lawrence têm dificuldades na vida financeira e no relacionamento com seu filho, porém, tenta se redimir ao reabrir o dojo de karatê, o que reacende a rivalidade da adolescência na vida adulta.

A escolha pelo protagonismo de Johnny Lawrence é um dos principais acertos da série, o que torna seu desenvolvimento ainda mais interessante quando sua filosofia sobre o karatê em não demonstrar compaixão ao seu oponente é posta à prova. Ao reabrir o Cobra Kai, Lawrence vê a chance de passar o método que aprendera aos seus alunos, tendo como destaque Miguel Diaz (Xolo Maridueña), o seu primeiro aprendiz.

Cobra Kai traz elenco original para continuação aos filmes.

O elenco que se divide entre o público jovem e adulto traz um contraste interessante à trama, com diálogos, filosofias distintas e outros conflitos no decorrer das duas temporadas. As cenas de luta se tornam simbólicas no que concerne às diferenças entre as filosofias de Lawrence e Larusso. A ação presente em Cobra Kai, apesar do começo pouco animador e coreografias artificiais, passa a melhorar ao longo dos episódios, principalmente durante a segunda temporada, deixando visível a evolução dos atores, além de explorar novas camadas de seus personagens.

Por fim, Cobra Kai é uma grata nostalgia ao cinema dos anos 80, pois, trata-se de uma série que consegue construir de forma divertida e com lições entre as gerações aqui presentes, produzindo uma nova leitura aos filmes ao mesmo tempo em que reverencia e abraça sua história.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.