A delicada Nova York em preto e branco de Luís Pereira

Apesar de nunca ter ido a Nova York, lendo relatos e representações as mais diversas sobre a cidade, pude constatar que essa é uma cidade que se metamorfoseia de acordo com a perspectiva pela qual é observada. Nova York tanto pode ser o lugar onde se concentram os sonhos mais suntuosos, como pode também ser o lar do corriqueiro e do trivial, do despretensioso, que nem por isso se torna menos significante.

É essa a impressão que tenho ao ver as fotografias da exposição N. Y. Emotional Landscapes – The Incertitude Principle de Luís Pereira, fotógrafo português, mas viajante do mundo, que encontrou na cidade americana o estímulo para retratar o cotidiano, fugindo do clichê de um dos maiores centros metropolitanos do mundo e apegando-se à serenidade que sim, habita Nova York, e muitas vezes passa despercebida em meio a todo o glamour que é construído no seu entorno.

Como o título da exposição sugere, o foco de Luís são “paisagens emocionais”. São pessoas atravessando uma faixa de pedestres, é alguém que sai pela porta de um metrô ou aguarda a sua parada, são policiais que caminham em meio aos vestígios de um inverno, são observadores, que mais parecem personagens exclusivos das fotografias de Pereira. Alguns temas são recorrentes na exposição: transeuntes, ciclistas, animais e a profundidade de ruas que parecem não ter fim quando captadas pelas lentes competentes de Luís.

 

Luís Pereira
O fotógrafo Luís Pereira

A escolha pelo preto e branco, explica o fotógrafo, advém da forma como seus olhos veem a cidade. Talvez pelos filmes da Era de Ouro do cinema americano, sempre em preto e branco, talvez pelo tom cinzento da cidade, ou talvez, apenas, porque cores sejam desnecessárias diante da sensibilidade de Luís. O que mais chama atenção no trabalho do fotógrafo é, além da técnica irretocável, a percepção artística que evidencia a beleza do efêmero.

Pereira não faz uso de fotos de grandes paisagens ou monumentos que patenteiam a cidade americana, mas ainda assim, é na peculiaridade e na diferença das micro partículas que compõem Nova York que identificamos seus traços de singularidade. As lentes de Luís nos oferecem uma visão particular e deleitável de um dos mais atraentes centros do mundo.

A mostra segue em exibição até o dia 23 de setembro, de segunda a sexta, das 8h às 17h, na Galeria de Artes do Teatro de Cultura Popular (TCP).

SERVIÇO

Exposição Fotográfica N. Y. EMOTIONAL LANDSCAPES – THE INCERTITUDE PRINCIPLE, de Luís Pereira (Lisboa).
Visitação de 18 de agosto a 23 de setembro, de 8h às 17h.
Local: Galeria Racine Santos, no Teatro de Cultura Popular – TCP (Rua Jundiaí, nº 641, Tirol, Natal/RN)