Eles odiavam. Odiavam o então atual cinema francês. O dito, cinema de qualidade francês. O careta cinema francês. O que eles gostavam mesmo estava em outro lugar. Estava em lugares como os EUA, com Howard Hawks, John Ford, Nicholas Ray, Orson Welles, Alfred Hitchcock. Esses sim! Para eles, esses eram os verdadeiros autores do cinema. Sabe o que Godard disse de Nicholas Ray? “Nicholas Ray é o cinema”. Sim, caso você, esteja se perguntando quem são eles, está? Eles são, ou se tornariam, o movimento de vanguarda conhecido como Nouvelle Vague.

Autores. Eu disse isso algumas linhas atrás. O que fazem desses cineastas citados autores? Segundo a politica dos autores, são diretores que colocam suas personalidades no filme, independente do roteiro, “eles usam suas câmeras como escritores usam suas canetas”. Quando você vê um filme de Hitchcock, você sabe que é do Hitckcock. A forma como é enquadrada a cena, os movimentos de camera, a edição, isso são algumas coisas que podem trazer o estilo do diretor à tona. E no caso dos autores americanos, eles conseguiam fazer isso no Star System de Hollywood.

Então, inspirado no cinema americano, houve também outras inspirações como Fritz Lang e Jean Renoir, Jean Luc Godard lança seu primeiro longa, Acossado, que se tornaria um dos marcos máximos do movimento. Altamente inspirado no cinema noir, tanto que o protagonista Michel Poicard imita Humphrey Bogart, ícone do gênero, durante o filme, passando os dedos sobre os lábios, as roupas que lembram o ator, o cigarro, e ate em uma cena ele encara um poster que estampa Bogart.

Para quem não conhece o clássico, Acossado conta a história de Michel Poiccard, interpretado por Jean-Paul Belmond, um ladrão que mata um policial e vai se esconder no apartamento da americana Patricia em Paris. Michel está apaixonado por Patricia, mas ela não sabe se o ama. Mas,entretanto, todavia, o que mais chama atenção no filme é a sua estética. O autor Godard e como ele conta essa história. Com esse filme, Godard impôs a sua personalidade ao longa, criando um novo estilo, um estilo centrado na figura do diretor.

O jump cut, técnica de edição, é a grande inovação do filme. Em filmes anteriores a Acossado, se filmava alguém saindo de um carro, subindo uma escada, saindo de uma escada etc. Nas técnicas de edição de Acossado tudo isso é cortado, dando uma enorme dinâmica ao filme. Poiccard bate a porta do carro, corta já para Poicard dentro do edifício, com uma mulher lhe abrindo a porta, “Michel”. O corte também é feito de um mesmo plano para ele mesmo, cortando aqueles segundos onde nada acontece e já partindo para ação. Criando também cenas memoráveis, como na cena do carro, que pode ser vista abaixo:

Acossado é um clássico que resiste ao tempo, desde de seu lançamento em 1960, influenciando toda uma geração de cineastas, como Scorsese, Coppola, Speilberg , Tarantino, ate os dias de hoje, quando Acossado ainda aparece nas listas de melhores filmes feitos. Um verdadeiro clássico.

Sobre o(a) autor(a)

Avatar

Acredita piamente que o Pink Floyd é a maior banda de todos os tempos e que ninguém canta melhor que o Robert Plant. Tem o Scorsese como ídolo máximo e sabe que ele transformará o DiCaprio no novo DeNiro. Com Goodfellas aprendeu as duas coisas mais importantes da vida: Nunca dedure seus amigos e mantenha a boca sempre fechada.

Postagens relacionadas

2 Responses

  1. Avatar
    Wendell M. Alves da Costa

    Eu particularmente considero Godard o cara que dá início ao que seria a “técnica da nouvelle”. Enquanto que Truffaut e Resnais são os caras que dão vida à história, o cérebro da coisa.

    Responder
    • Avatar
      Jonathan De Assis

      Todos os 3 são muito importantes para o movimento, é dificil dizer qual é o melhor, eu prefiro o Godard. Mas na questao dos filmes, Acossado é a obra mais importante da nouvelle vague, veja que eu disse importante e não melhor

      Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.