Após quatro anos em hiato do cenário musical, Lily Allen retornou aos holofotes. Na última terça-feira (12), a cantora disponibilizou em sua página no YouTube o irônico clipe de “Hard Out Here”. Allen sempre foi polêmica por falar tudo que pensa e, geralmente, suas opiniões não são nada conservadoras, como o apoio à descriminalização do aborto. Nesta nova fase, a britânica critica o mundo da música e as cobranças que as mulheres recebem para ficarem “bonitas” e populares, transformando-as em objetos e produtos.

Início do Clipe: Enquanto Lily se submete a uma lipoaspiração porque o peso não está adequado aos moldes da indústria cultural pop

Início do Clipe: Enquanto Lily se submete a uma lipoaspiração porque seu peso não está adequado aos moldes da indústria cultural pop

No clipe, Lily está em uma mesa de cirurgia, no meio de um procedimento de lipoaspiração. Seu empresário a acompanha e a critica pelo ganho de peso. “Mas eu tive dois filhos”, ela se justifica. Em seguida, parodiando cantoras que precisam rebolar e mostrar dinheiro em seus clipes, Lily Allen interpreta uma cantora que faz diversas caras e bocas e também ensaia poses sensuais com uma banana. Suas dançarinas negras se esfregam em um carro e derramam champanhe nelas mesmas. O vídeo tem duração de quatro minutos e meio e nele não faltam irônicas referências ao twerk (a famosa coreografia da Miley Cyrus no clipe “We Can’t Stop“) e ao clipe de Robin Thicke, “Blurred Lines”, no qual o cantor põe uma modelo para dançar à frente de uma frase sobre o pênis do norte-americano. Em “Hard Out Here”, a britânica diz que tem uma “vagina volumosa”. Contudo, por conta de todas as dançarinas do vídeo serem negras, houve quem enxergasse racismo por parte da cantora.

Lily e dançarinas negras fazendo passos de dança padronizados: há quem enxergasse racismo

Lily e dançarinas negras fazendo passos de dança padronizados: há quem enxergue racismo

A letra também tem uma pegada feminista. Com uma crítica afiada, um dos trechos diz o seguinte: “Não irei me gabar dos meus carros, Nem falarei das minhas correntes, não preciso rebolar minha bunda pra você, porque eu tenho um cérebro”. Além disso, a crítica ao sexismo pode ser encontrada também no fato de mulheres serem chamadas de vadias quando gostam de sexo, a partir do seguinte trecho: “Se eu falo da minha vida sexual, você me chama de puta, mas quando os caras falam das suas vadias, ninguém cria caso”. Na questão da padronização da beleza, fomentada pela indústria cultural pop, o vídeo de Lily lembra o clipe “Stupid Girls”, gravado em 2006 pela colega também feminista Pink. As coincidências não param por aí, pois Lily também colaborou no single “True Love”, presente no último CD da norte-americana, “The Truth About Love”.

Referência ao clipe "Blurred Lines", de Robin Ticke. Em português, a frase é equivalente a "Lily Allen tem uma vagina volumosa".

Referência ao clipe “Blurred Lines”, de Robin Ticke. Em português, a frase é equivalente a “Lily Allen tem uma vagina volumosa”.

Além da letra e do clipe sarcásticos, a música tem um ritmo bem pop e dançante. Tem todos os elementos para Lily voltar com louvor às paradas musicais. O sumiço, que durou quase quatro anos, se deu por conta do casamento com Sam Cooper e a gravidez das duas filhas do casal, Ethel Mary e Marnie Rose. O terceiro álbum de Lily Allen, ainda sem nome, será lançado em 2014. Aguardamos ansiosamente por uma Lily mais feminista que nunca! Confira “Hard Out Here” abaixo:

Deixe um comentário

Your email address will not be published.