5 motivos para você ir conferir o Burburinho Festival de Artes

Em uma manhã despretensiosa em que os compromissos de rotina já haviam tomado a quase totalidade da metade do meu dia, resolvi terminar o período matutino visitando o Burburinho Festival de Artes, evento que acontece desde ontem no Bosque das Mangueiras, em Lagoa Nova. A experiência não podia ser mais satisfatória e revigorante para esta jornalista que vos fala.

O natalense tem todos os motivos para tirar a bunda do sofá ou dos mesmos rolés findesemanescos de sempre e ir até o Festival, que acontece até este domingo, 28. No entanto, como sabemos que o público consumidor de conteúdo está relativamente condicionado a funcionar na base do convencimento de listas, utilizaremos a argumentação para evidenciar que ir ao Burburinho pode ser a melhor coisa que você fará no seu final de semana. Valendo!

  1. Localização

A escolha pelo Bosque das Mangueiras (Av. Nascimento de Castro, entre a Rua São José e a Av. Jaguarari) para esta edição do Burburinho foi de escantear qualquer possibilidade de crítica. Em frente à Universidade Potiguar, tem fácil acesso de ônibus e uma relativa praticidade para estacionar. Além de tudo, trata-se de um parque aonde ultimamente acontecem poucas intervenções culturais e que merece ser reocupado pelo público potiguar. Vale a pena ir com algum tempo, participar da programação do Festival e, de quebra, fazer um cooper e perder algumas calorias. Se você tiver sorte, ainda sairá de lá com algumas mangas deliciosas – é comum encontrar unidades maduras pelo chão.

2. É gratuito!

Não bastasse a super organização do evento e a preocupação em entregar opções de serviços, produtos e atrações de qualidade para o público, a entrada é gratuita. Ou seja, sem desculpas monetárias para não ir, pelo menos, curtir a programação cultural.

3. Programação de primeira

A programação conta com atividades contínuas desde sexta-feira até domingo, 28, das 10h da manhã até por volta das 21h30. A equipe, competente sobretudo no quesito curadoria, preparou um bolo com recheios para todos os gostos. Tem poesia, teatro, dança, cinema e música. Tudo do Rio Grande do Norte. Do tipo que qualquer potiguar (até mesmo os adotados, como eu) ficam com orgulho de ver. Tem distribuição de livro gratuito e shows imperdíveis de Skarimbó e Rosa de Pedra (ontem rolou Khrystal, uma das principais embaixadoras da boa música potiguar). Ah! De cinéfila para cinéfilos, recomendo não perder a Mostra Burburinho de Audiovisual, com curtas potiguares, que acontece neste sábado e no domingo também, sempre às 18h.

Abaixo, segue a programação da tarde deste sábado e do domingo, para dar aquela vontade de sair correndo para lá.

SÁBADO | 27/05
14H: Entre Nós Coletivo de Criação | Espetáculo Combo Entre Nós (Dança)
16H: Facetas, Mutretas & Outras Histórias | Espetáculo A Ida ao Teatro (Teatro)
17H: Mandaca | Sunset com Dj Dante
18H: Mostra Burburinho Audiovisual | Exibição de “Som do Morro” (dir. Diana Coelho e Helio Ronyvon), “O Bilhete” (dir. Ricardo Félix), “As Margens do Potengi” (dir. Lisabete Coradini, Maria Angela Pavan e Ygor Felipe), “Cinzas” (dir. Gustavo Guedes) e “Athayde” (dir. Paulo Dumaresq).
19H30: Show com Skarimbó

“Em torno do sol” será exibido na programação de domingo do Burburinho Festival de Artes

DOMINGO | 28/05
10H: Abertura da Feira e Praça de Alimentação
10H: Mandaca | Sunrise com Dj Vitor Duarte
11H: Sarau com Regina Azevedo, Leonam Cunha e Gessyka Santos
14H: CDTAM | Espetáculo Gonzagando (Dança)
16H: Grupo Estação de Teatro | Espetáculo Um Sonho de Rabeca no Reino da Bicharada (Teatro)
17H: Mandaca | Sunset com Dj Daniel Pessoa
18H: Mostra Burburinho Audiovisual | Exibição de “Caboco” (dir. Stephanie Bittencourt), “Em Torno do Sol” (dir. Júlio Castro e Vlamir Cruz), “O Tempo e a Criança” (dir. Carito Cavalcanti), “Inês Está Morta” (dir. Bruna Justa) e “Família Tropa Trupe” (dir. Babi Baracho e Diana Coelho).
19H30: Show com Rosa de Pedra

4. Lojas e produtos incríveis

Sabe aquela sensação de que, para ter coisas bonitas, com estética autência e design criativo na sua casa ou na sua vida você tem sempre que dispor de mais grana? Ou aquele estereótipo de que em feiras culturais você sempre encontra um pouco de mais do mesmo, artesanato patronizado e sebos com títulos pouco inovadores? Pois é. Esses são dois conceitos que caem por terra para quem for visitar o Burburinho. Todos os estandes ajudam a compor um balaio diversificado de produtos e, também, uma excelente amostra do que de melhor é produzido e comercializado na cidade. Tem editoras com títulos maravilhosos (Jovens Escribas, sempre firme e forte), o pessoal da Pietá, com seus cadernos artesanais maravilhosos, as meninas do Mais uma Cereja, com quadros lindos para decoração e preços atraentes, além de mais uma galera vendendo camisas personalizadas, produtos diversos com trabalhos bordados e inúmeros outros conceitos. Dá orgulho de ver a criatividade, o talento e o espírito de empreendedorismo dessas pessoas.

5. Comidinhas deliciosas (e nos preços!)

Por fim, mas não menos importante (na verdade, foi lá onde mais me demorei, assumo), a seleção de iniciativas gratronômicas está imperdível! Tem pão recheado da melhor qualidade, comida francesa, bolinho de bacalhau, comida vegana, dindim, brownie gourmet, antepastos especiais, tudo para comer rezando e a preços bem bacanas. Os dindins do pessoal do Quim Dindin!, por exemplo, custam R$ 3 e são inesquecíveis (provei os sabores doce de leite argentino e milkshake de ovomaltini, supimpa!). Os pães (realmente) recheados da Oficina dos Pães (de responsabilidade da simpática Luíse Medeiros) custam em média R$ 5.  Ou seja, dá para comer melhor e com menos dinheiro que em muito ponto fixo e você ainda conhece um monte de iniciativas potiguares de qualidade indiscutível.

Confira a programação completa e confirme sua presença no evento do Facebook.