Se Martin Goodman não tivesse perdido sua viagem a bordo do dirigível Hindenburg (desastre aéreo responsável pela morte de 36 pessoas), ou se deixasse de contratar o primo de sua esposa, um moleque chamado Stanley Martin Lieber, ou até mesmo, se uma famosa partida de golf com o todo poderoso da DC Comics, Jack Liebowitz, não existisse, certamente o nome Marvel Comics poderia representar muito pouco para você.

1477947_646341575416353_908408280_n

Heróis da Marvel

É assim, recheada de causos e de muitas reviravoltas que “Marvel Comics: A História Secreta” desembarca em livrarias brasileiras. Biografia certeira e minunciosa sobre o lar de Quarteto Fantástico, Homem-Aranha, Thor, Hulk, Homem de Ferro, X-Men, Demolidor, Vingadores e mais de 500 outros personagens.

Sean Howe encarou o desafio de expor em 560 páginas a construção de um dos reinos da cultura pop mundial. Dividido em cinco capítulos, “Mitos e criações”, “A nova geração”, “Trouble Shooter”, “Expansão e queda” e finalmente “Uma nova Marvel”, o jornalista relata as encrencas, quedas e alegrias dos responsáveis pela existência do seres que saltavam das páginas dos gibis.

Com tradução de Érico Assis, livro tem preço médio de 40 Dilmas

Com tradução de Érico Assis, livro tem preço médio de 40 Dilmas

Publicado no Brasil pela editora LeYa, o livro de Howe foi vencedor do Prêmio Eisner 2013 de “Melhor Obra Relacionada a Quadrinhos”. Para os fãs dos heróis Marvel (ouvi falar de um tal termo “marveletes”) a obra é fundamental para compreender os passos da criação de todo esse universo. Howe, não priva o leitor ao identificar que todo esse império foi construído por meio de exploração, “passadas de perna” e briga de egos tão intensas quanto os socos do incrível Hulk.

De “Office boy” a gênio das HQS: Stan Lee é só alegria ao lado das crias

Muito além dos heróis, a biografia ilumina nomes como Jack Kirby, Steve Ditko, Jim Steranko e uma penca de anônimos que deram o sangue em nome da Marvel. A cada página, é difícil não se emocionar ou até mesmo sentir raiva do gênio Stan Lee, capitão maior de toda essa viagem.

A editora Marvel confunde-se com a própria história popular das últimas sete décadas. Sean Howe até compara: “Se a DC é Pat Boone, a Marvel é Rolling Stones”. É com a quebra de paradigmas e fronteiras que a empresa conseguiu criar sua maior aventura: ter feito parte, ou pertencer um pouco à vida de cada leitor espalhado pelos quatro cantos do mundo.

Primeira capa de Quarteto Fantástico: Primeiras histórias eram escritas na própria prancheta

Por conta do mais de 40 anos de presença Marvel no Brasil, a biografia ganhou um extra exclusivo para os brasileiros: a relação das HQs citadas no livro e em que editoras foram publicadas por aqui. É super válido lembrar que as idas e vindas da Marvel em solo tupiniquim, por si só, já dariam um belo livro. Mas, quem sabe, não são essas as cenas, ops, aventuras dos próximos capítulos?

Deixe um comentário

Your email address will not be published.