Hoje é dia de festa, glamour, tapete vermelho, palmas e frustrações! Neste domingo a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA prestigia os seus astros, estrelas, artistas e trabalhadores. Falar mal da festa do Oscar já é algo comum entre aqueles que a acompanham há alguns anos, uma vez que frequentemente somos surpreendidos com as mais bizarras (e algumas vezes, justas  e convenientes) surpresas.

Tem virado tradição o fato de que, todo ano, a Academia escolhe um filme estrangeiro para fazer a linha “estamos abertos ao mundo” e o enquadra como indicado nos mais diversos prêmios. Ano passado, o queridinho foi “O Artista” que, mesmo sendo francês, levou o prêmio de Melhor Filme e vários outros nas principais categorias. Basta assistir ao filme para identificar quais foram as inclinações da Academia para o glorioso feito. De francês, “O Artista” só tem a assinatura e o elenco, sendo até mesmo as poucas partes faladas e as legendas em inglês, sem contar com o fato de que a produção é, sem exageros, um tributo a Hollywood.

A questão é que o paparicado do ano, o austríaco “Amour”, não tem os mesmos álibis que “O Artista” e, embora esteja competindo na categoria “Melhor Filme”, acho improvável que leve, embora mereça, considerando os concorrentes. “Amour” é um filme que foge aos padrões (estéticos, técnicos e narrativos) hollywoodianos, então não espero que seja considerado pela Academia o melhor dentre a lista principal da premiação. Contudo, me parece um tanto óbvio que leve “Melhor Filme Estrangeiro”, categoria em que também compete, uma vez que, se é bom o suficiente para estar na listagem de “Melhor Filme”, certamente foi considerado o melhor dentre os estrangeiros. Se não, a Academia contrariaria a si mesma.

“Amour” concorre nas categorias “Melhor Filme” e “Melhor Filme Estrangeiro” e Emanuelle Riva concorre a “Melhor Atriz”

Ao lado de “Amour”, concorrem na categoria outros oito filmes, a maioria dos quais parecem estar lá para preencher espaços. Vários azarões, alguns esforçados, mas poucos estão na seleta lista por real merecimento. É necessário destinar algumas frases para falar de “Argo”, que tem sido feliz em todas as premiações até agora. Ben Affleck parece ter ganho a simpatia dos júris de todas elas e não duvido que encabece também alguns prêmios no Oscar. Para mim, e como Leila de Melo bem o classificou na postagem sobre o Globo de Ouro, Argo não passa de um azarão.

Alguns prêmios já parecem ter o martelo batido antes mesmo dos vencedores serem anunciados, como, por exemplo, Melhor Atriz Coadjuvante (a opção por Anne Hathaway tem sido unanimidade, mesmo com nomes como Sally Field na competição) e Melhor Ator (Daniel Day-Lewis por sua atuação sincera em Lincoln). Os prêmios de Melhor Diretor e Melhor Ator Coadjuvante permanecem uma incógnita, visto que os nomes são fortes e dente as performances (dos atores) não houve favoritismo explícito de crítica.

Anne Hathaway é favorita na categoria “Melhor Atriz Coadjuvante”

Já “Melhor Atriz” promete ser um dos mais esperados e competitivos da noite. Temos a performance por vezes exagerada de Naomi Watts em “O Impossível”, a incrível e imbatível (porém, francesa) Emanuelle Riva (“Amour”), a talentosa Jennifer Lawrence (“O Lado Bom da Vida”), o carisma natural da pequena Quvenzhané Wallis (“Indomável sonhadora”) e a insossa Jessica Chastain (“A hora mais escura”), que caiu de paraquedas na listagem.

Na categoria “Melhor Filme Estrangeiro”, temos várias boas produções, mas não posso deixar de fazer uma critica ao fato de o francês “Intocáveis” não estar entre elas. Trata-se de uma comédia com tons de drama baseada em fatos reais, de uma sensibilidade e maturidade técnica indiscutíveis. Contudo, a academia não concordou e deixou-o de fora, creio que por já haver um favorito de língua francesa (Amour).

A animação bastante peculiar de Tim Burton foi indicada na categoria

Já o prêmio de Melhor Animação, muito provavelmente será entregue a Disney (Detona Ralph) ou Pixar (Valente), visto que o Oscar não tende a reconhecer animações com propostas periféricas, mesmo com grandes nomes envolvidos, como é o caso do belíssimo “Frankenweenie”, de Tim Burton, que também concorre na categoria.

Por fim, estou torcendo para que, na categoria Melhor Canção Original, tenhamos Adele cantando Skyfall (trilha de 007 – Skyfall) em altos e bons timbres, visto que a britânica provou que sua voz se encaixa como uma luva no gênero spy music e foi responsável por uma das melhores trilhas dos filmes do famoso agente secreto inglês. Abaixo, a lista de concorrentes, e em negrito as minhas apostas.

Filme
“Indomável sonhadora”
“O lado bom da vida”
“A hora mais escura”
“Lincoln”
“Os Miseráveis”
“As aventuras de Pi”
“Amor”
“Django livre”
“Argo”

Lincoln tem indicações em quase todas as principais categorias. Daniel Day-Lewis é favorito a Melhor Ator

Diretor
Michael Haneke (“Amor”)
Benh Zeitlin (“Indomável sonhadora”)
Ang Lee (“As aventuras de Pi”)
Steven Spielberg (“Lincoln”)
David O. Russell (“O lado bom da vida)

Ator
Daniel Day-Lewis (“Lincoln”)
Denzel Washington (“Voo”)
Hugh Jackman (“Os miseráveis”)
Bradley Cooper (“O lado bom da vida”)
Joaquin Phoenix (“O mestre”)

Atriz

Naomi Watts (“O impossível”)
Jessica Chastain (“A hora mais escura”)
Jennifer Lawrence (“O lado bom da vida”)
Emmanuelle Riva (“Amor”)
Quvenzhané Wallis (“Indomável sonhadora”)

Naomi Watts  concorre na categoria de Melhor Atriz

Ator coadjuvante
Christoph Waltz (“Django livre”)
Philip Seymour-Hoffman (“O mestre”)
Robert De Niro (“O lado bom da vida”)
Tommy Lee Jones (“Lincoln”)
Alan Arkin (“Argo”)

Atriz coadjuvante
Sally Field (“Lincoln”)
Anne Hathaway (“Os miseráveis”)
Jacki Weaver (“O lado bom da vida”)
Helen Hunt (“The sessions”)
Amy Adams (“O mestre”)

Sally Field concorre a mais um Oscar. Se ganhar, será o terceiro de sua carreira.

 

Filme estrangeiro
“Amor” (Áustria)
“No” (Chile)
“War witch” (Canadá)
“O amante da rainha” (Dinamarca)
“Kon-tiki” (Noruega)

Roteiro original
Michael Haneke (“Amor”)
Quentin Tarantino (“Django livre”)
John Gatins (“Voo”)
Wes Anderson e Roman Coppola (“Moonrise kingdom”)
Mark Boal (“A hora mais escura”)

Roteiro adaptado
Chris Terrio (“Argo”)
Lucy Alibar e Benh Zeitlin (“Indomável sonhadora”)
David Magee (“As aventuras de Pi”)
Tony Kushner (“Lincoln”)
David O. Russell (“O lado bom da vida”)

Valente é forte concorrente na categoria Melhor Animação

Animação

“Valente”
“Frankenweenie”
“ParaNorman”
“Piratas pirados!”
“Detona Ralph”

Fotografia
“Anna Karenina”
“Django livre”
“As aventuras de Pi”
“Lincoln”
“007 – Operação Skyfall”

Anna Karenina foi indicado em três categorias secundárias

Edição

“Argo”
“A vida de Pi”
“Lincoln”
“A hora mais escura”
“O lado bom da vida”

Trilha sonora original
Dario Marianelli (“Anna Karenina”)
Alexandre Desplat (“Argo”)
Mychael Danna (“As aventuras de Pi”)
John Williams (“Lincoln”)
Thomas Newman (“007 – Operação Skyfall”)

Canção original
“Before my time”, de “Chasing ice” – J. Ralph (música e letra)
“Everybody needs a best friend”, de “Ted” – Walter Murphy (música) e Seth MacFarlane (letra)
“Pi’s lullaby”, de “As aventuras de Pi” – Mychael Danna (música) e Bombay Jayashri (letra)
“Skyfall”, de “007 – Operação Skyfall” – Adele (música e letra)
“Suddenly”, de “Os miseráveis” – Claude-Michel Schönberg (música), Herbert Kretzmer (letra) e Alain Boublil (letra)

Efeitos visuais
“O hobbit: Uma jornada inesperada”
“As aventuras de Pi”
“Os vingadores”
“Prometheus”
“Branca de Neve e o caçador”

“O Hobbit” recebeu três indicações: Efeitos Visuais, Design de Produção e Maquiagem

Edição de som
“Argo”
“Django livre”
“As aventuras de Pi”
“A hora mais escura”
“007 – Operação Skyfall”

Mixagem de som
“Argo”
“Os miseráveis”
“As aventuras de Pi”
“Lincoln”
“007 – Operação Skyfall”

Curta-metragem de animação
“Adam and dog”
“Fresh guacamole”
“Head over heels”
“Maggie Simpson in ‘The Longest Daycare'”
“Paperman”

Figurino
“Anna Karenina”
“Os miseráveis”
“Lincoln”
“Espelho, espelho meu”
“Branca de Neve e o caçador”

Design de produção
“Anna Karenina”
“O hobbit: Uma jornada inesperada”
“Os miseráveis”
“A vida de Pi”
“Lincoln”

Cinebiografia “Hitchcock” foi indicada apenas em uma categoria técnica

Maquiagem e cabelo
“Hitchcock”
“Os miseráveis”
“O hobbit: Uma jornada inesperada”

One Response

Deixe um comentário

Your email address will not be published.