Conteúdos para lembrar e refletir sobre o mês da Consciência Negra

Hoje, dia 20 de novembro, é o Dia Nacional da Consciência Negra. Acho que não é uma novidade pra ninguém, já que a data é celebrada no Brasil desde 2003 e é, inclusive, feriado em alguns estados do país. A data, em razão da morte de Zumbi dos Palmares, nos faz lembrar diversos aspectos da cultura afrodescendente e relembrar a trajetória de pessoas incríveis que foram esquecidas, diminuídas e dizimadas por causa de sua pele, sua cultura e seus costumes. Pessoalmente, não me sinto no direito de falar sobre racismo, escravidão e tantos outros preconceitos diversos que uma pessoa negra pode sofrer na sociedade, então, vou fazer algo mais interessante e, humildemente, sugerir alguns conteúdos e criadores, não apenas para celebrarmos corretamente este dia, mas para entendermos um pouco mais o real sentimento da data de hoje.

 

Não poderia começar diferente. A primeira sugestão é o cartunista Carlos Henrique Latuff de Sousa, que retratou, em sua obra intitulada “O Genocídio da População Negra”, um policial visto de costas e segurando uma arma enquanto se afasta do corpo de um negro, vestindo a bandeira do Brasil. A obra poderia ter ganhado fama e notoriedade de diversas razões, mas, na data de ontem, ficou “especialmente” marcada por ter sido alvo de censura. O deputado de São Paulo, “coronel” Tadeu (PSL) destruiu a obra que estava fixada numa exposição da Câmara de São Paulo em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra. O motivo? O deputado considerou a obra “um crime contra as instituições”. Na minha humilde opinião, o “coronel” apenas trouxe mais verdade para a obra.

Outra coisa muito interessante para quem está com o dia corrido e não pode ler muita coisa, é o episódio de hoje – Passado e presente da consciência Negra – do “Café da Manhã”, o podcast de notícias da Folha. Eles falaram um pouco sobre a história do tráfico de escravos os enfrentamentos emocionais e pessoais dos seres humanos tratados como animais, tomando por base as narrativas do africano escravizado por traficantes nativos do Zooggoo na África Central, Mahommah Gardo Baquaqua. Eles também falam sobre o livro “Eu, Empregada Doméstica: A senzala moderna é o quartinho da empregada”, da Rapper e arte-educadora Preta Rara. E no final do episódio, também comentam o episódio de censura na câmara de São Paulo.

Mais uma ideia legal! Para quem gosta de humor com choque de realidade, é necessário acompanhar e assistir o comediante e youtuber negro de 26 anos, Yuri Marçal. O Yuri fala com bom humor sobre situações diversas que os negros passam na sociedade e compara homens e mulheres negros e brancos em diversas situações reais. Um dos vídeos atuais mais populares dele é o “vidas brancas importam”, onde ele se pinta de branco e fala sobre um “dia da consciência branca”. Vale a pena acompanhar em todas as redes sociais! Além de boas risadas, a gente acaba fazendo algumas reflexões bem importantes.

Por fim, uma recomendação que não poderia faltar é o apresentador e youtuber Spartakus Santiago. Para alguns, muito polêmico. Para outros, dolorosamente realista. O Spartakus faz a gente refletir sobre questões que muitas vezes nem passa pela nossa cabeça! Os diversos tipos de racismo sutilmente maquiados e as infinitas formas de exclusão da pessoa negra. Um dos vídeos mais famosos de seu canal do Youtube é “o que é ser negro de pele clara no Brasil” e me fez refletir muito (como sempre) sobre coisas que, como Branco, sempre passaram desapercebidas por mim e que espero aprender e poder evitar em ações futuras. Também vale a pena seguir o jovem em outras redes sociais. Ele também levanta debates bem importantes e, quer você concorde com ele ou não, sem dúvida vão fazer você refletir sobre coisas que nunca te passaram pela cabeça (inclusive, até o presente momento, estou bloqueado por ele no twitter depois de uma discussão sobre a política do cancelamento – fui cancelado!).

 

É isso! Espero que os conteúdos sejam tão importantes para vocês, leitores, como são para mim. Claro que temos muuuuuuuuito mais pra ler e ouvir não só hoje, nem apenas em novembro! Outros podcasters, autores, youtubers e afins. Não falta conteúdo pra gente se aprofundar no tema! Um espaço especial para minha atriz favorita, a Taís Araújo, e seu marido Lázaro Ramos, que estão sempre nesse espaço de luta e desconstrução social. E se possível, comentem aqui seus criadores de conteúdo favoritos para o dia da Consciência Negra!

Por aqui eu fico!