5 artistas negras para ouvir no Novembro Negro

No Dia da Consciência Negra, nada melhor do que embalar a rotina com uma lista incrível de mulheres negras que têm dado a palavra acerca de tantos problemas que aconteceram no Brasil e no mundo. Afinal, o ano em que a pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) afirma que negros foram maioria em comparação a alunos brancos nas Universidades Públicas, alcançando a marca de 50,3%, é o mesmo em que foi divulgado pelo mesmo órgão que a taxa de homicídio de homens jovens negros e pardos cresceu em média 63,5%,ou seja, 185 a cada 100 mil habitantes.

O mês de Novembro simboliza a conscientização e luta por mais direitos e espaços para a comunidade, no entanto marca também a valorização dos artistas negros. Pensando nisso, separamos 5 artistas negras para você ouvir.

1 – Normani

Uma das artistas norte-americanas revelação desse ano, Normani chegou com tudo. A artista é completa: uma performer impressionante com uma música chiclete. O seu lançamento para este ano foi ‘Motivation’, clipe que já chegou na marca de 68 milhões no Youtube. Além disso a cantora também compõe a trilha sonora do novo As Panteras (2019) numa participação na música de Ariana Grande e Nicki Minaj.

2 – Drik Barbosa

A Drik literalmente caiu em meus ouvidos há uns 3 anos na música ‘Mandume’ do Emicida. Desde o lançamento dessa música do rapper, Drik Barbosa nunca mais saiu das minhas playlists. As músicas dela passeiam por diversas temáticas desde a liberdade da mulher até a curtição com as amigas. O último trabalho da artista, apoiado pela Natura Musical, é um primor com várias músicas icônicas e destaco ‘Liberdade’ com participação da baiana Luedji Luna e a rapper R.A.E.

3 – IZA

A nova promessa do pop brasileiro, IZA estourou e está com as músicas na boca do povo. Sucesso atrás de sucesso a carioca já conquistou uma geração que por tempos clamava uma representatividade a essa altura. É sinceramente muito difícil indicar uma música da IZA, por isso vai ouvir todas, contudo pelo conjunto da obra eu super recomendo ‘Dona de Mim’.

4 – Luedji Luna

O mundo da música é assim: se você não estiver antenado ao que está acontecendo, você perde grandes oportunidades de descobrir coisas novas. Esse foi o meu caso quando fiquei sabendo da Luedji pela primeira vez. Por alguns meses antes dela estourar aqui em Salvador, já que ela é cria da minha cidade incrível, eu ouvia bastante o nome dela em alguns shows nos bairros mais boêmios, mas só foi há 1 mês atrás que eu decidi tirar de vez do que se tratava a música dela e posso afirmar que estou num relacionamento sério com todos os trabalhos de Luna.

5 – Teyana Taylor

Um achado despretensioso na nova série da Netflix Ritmo + Flow que você só vai poder conferir no último episódio da primeira temporada. Quando ouvi ‘Rose In Harlem’ pela primeira vez deitado no sofá da sala confesso que fiquei atônito com tamanho talento e potência vocal dessa mulher. Essa música em específico conta como é complicado ser mãe e criar sua filha sozinha. Vale muito à pena conferir essa música e o álbum inteiro intitulado ‘KTSE’.