Alguns confundem lomografia com fotografia analógica. Porém, as duas técnicas possuem algumas diferenças, vou explicar o porquê disso.  A lomografia pode ser definida como uma sociedade de amantes das câmeras de filmes e se apoia em usá-las, além de também ser um dos estimuladores para que as pessoas quebrem as regras na arte de fotografar. Resumindo, tem que ousar.

Para a lomografia, por exemplo, tirar foto com pessoas num enquadramento fora do convencional não é errado e pode ser reaproveitado como arte. Eles também estimulam as pessoas a tirarem fotos utilizando o verso do filme, deixando as fotos avermelhadas e lindas. Brincar com o flash usando gelatina e deixando as fotos coloridas também é uma tendência.

Alguns colocam filmes na máquina com a sensibilidade em relação à luz (ISO) acima do que é permitido. Isso faz com que as fotografias, propositalmente, tenham cores saturadas. Ousar e experimentar com as analógicas é o lema do movimento.

Dicas de lugares para fazer isso em Natal?  Praças,  Parque das Dunas, Praia de Ponta Negra, Ribeira e lugares que tenham bastante cor e luz são ótimos para praticar a arte.

A fotografia analógica é o modo de se fotografar de “antigamente”, que está voltando graças ao grupo saudosista. No tempo dos meus pais não existiam as câmeras digitais e, portanto, não passávamos as fotos pelo computador usando um cabo ou cartão de memória. O bacana disso? Era saber que havia o limite de fotos, fazendo com que as pessoas tivessem o cuidado de fotografar o que realmente importava. Além disso, tem aquele mistério para saber como ficariam as fotos.

O filme fazia papel de cartão de memória. É constituído por uma base plástica sobre a qual é depositada uma fina camada de gelatina que contém cristais de sais de prata. Por exemplo, se quisesse registrar uma árvore, usava-se o visor para enquadrar o objeto, os raios de luzes atravessam a lente e se cruzavam.

AA025Logo após seria produzida uma imagem invertida, real e menor, uma vez que as lentes são convergentes (neste momento agradeço por ter feito as provas de recuperação em física). A luz atinge o filme e esta registrava a imagem. Nas digitais, ao invés do filme, tem uma estrutura que transforma a imagem em pontos e essa é salva, assim surgem os pixels.

A gente não ver as fotos ficarem prontas na hora, tem que esperar o filme terminar e depois levá-lo ao laboratório onde passa por vários processos químicos chamado de “revelação” e em seguida os fotogramas (cada “quadradinho”/foto que tem no filme se chama fotograma) seriam passados para o papel fotográfico, a “ampliação”.

Com o surgimento das câmeras digitais nas prateleiras, as analógicas começaram a sumir fazendo com que os laboratórios fechassem as portas.  Agora entra a parte da lomografia, que surgiu em 1994, quando um grupo de austríacos viajaram para a República Tcheca, mais precisamente Praga. Durante a viagem, eles encontraram uma máquina fotográfica russa da Lomo, que era uma empresa estatal que produzia máquinas fotográficas, microscópios e outros equipamentos óticos.

Então, os turistas compraram e realizaram diversas fotografias sem se preocupar com o resultado. Quando eles voltaram da Áustria , revelaram as fotos produzidas pela Lomo e gostaram bastante do resultado. Apesar da qualidade das fotografias ser um pouco inferior à das outras câmeras, como Nikon, eles gostaram de como as cores ficaram, a saturação e outros elementos. Depois, eles foram atrás de outras máquinas da empresa estatal e começaram a divulgar a câmera para outras pessoas. Nascendo a Sociedade Lomography e o movimento da Lomografia.

382348_472577969476684_985879242_nAssim, surgiu o interesse em comercializar o produto. Um dia eles descobriram que a empresa Lomo estava falida e compraram a fábrica. Agora, somente a Lomography que produz a Lomo e também comercializam reproduções de câmeras chinesas, como a Diana, que foi sucesso na década de 60. Além disso, eles também fabricam filmes.

A maioria dos produtos utilizados nessas máquinas são plásticos e de materiais sensíveis, o que é mais legal ainda, pois mostra que é possível fazer fotografias belíssimas com pouca coisa.

Portanto, são câmeras analógicas como uma Yashica. A diferença é que a sociedade Lomography estimula que as pessoas quebrem as regras e parem de seguir o modo “feijão com arroz” da fotografia. Leiam as 10 regras de ouro da Lomografia e o primeiro passo para querer entrar na brincadeira: adote uma câmera analógica e tire todo tipo de foto, experimente tudo.

O site da sociedade tem fóruns e tutoriais para ensinar diversos enquadramentos, formas de brincar com o filme, uso do flash, dentre outras coisas. Eles também têm lojas físicas espalhadas pelo mundo. No Brasil, tinha duas lojas que fecharam.

I love it #lomography #shop #rj

A photo posted by Lara Paiva (@paiva_lara) on

O pessoal da Lomohgraphy procura estimular a revelar fotos usando processos químicos diferentes, ISO acima do permitido, filme invertido e dentre outras coisas que podemos falar em um próximo post.


Onde Comprar?

Resumindo, pode-se fazer lomografia em qualquer câmera analógica e lugar. Portanto, PAREM de falar que a Lomography é uma câmera lomográfica e só elas podem fazer isso. Procure bons laboratórios (indicados no final deste texto) e filmes.

Aqui em Natal, por exemplo, tem a Foto do Estudante (Na Avenida Salgado Filho, próximo da loja Agaé) e Artlab (Rua dos Caicós, 1394, Alecrim, antiga Avenida 7).

As  máquinas da Lomography são vendidas na Imaginarium, porém surgiro que vocês pesquisem muito na internet, porque tive péssimas experiências com as vendedoras das duas Imaginarium da cidade. Sim, procurem os sebos, alguns lugares vendem ótimas câmeras, como a Nikon F10 ou a Olympus Trip 35.

Um pacote de filme pode custar entre 12 e 20 reais em Natal. Um pacote de 3 filmes da Lomography no Brasil custa na Imaginarium em torno de 45 reais.

A maioria dos laboratórios da cidade vende Kodak Color de ISO 200. A loja oficial da Lomography no Brasil (antes tinha lojas físicas no Rio de Janeiro e São Paulo, mas fecharam) é a Marinho Store.



Regras da Lomografia

  1. Leve a sua Lomo para onde for.

  2. Fotografe a qualquer hora do dia ou da noite.

  3. A Lomografia não interfere na sua vida, é parte dela.

  4. Aproxime-se o mais possível do objeto a ser fotografado.

  5. Não pense.

  6. Seja rápido.

  7. Você não precisa de saber antecipadamente o que vai fotografar…

  8. …Nem posteriormente.

  9. Não fotografe com os olhos.

  10. Não se preocupe com as regras.


Tipos de Filme

Filmes de 35 mm são os mais comuns de encontrar

Filmes de 35 mm são os mais comuns de encontrar

Existem vários formatos de filmes e cada câmera era fabricada para receber um tipo do produto. O mais comuns eram 35, 110 e 120 mm. O primeiro citado era o mais comum e era uma bombina pequena de plástico, nele você podia tirar entre 24 e 36 fotos, dependendo do produto.

Os de 110 mm são conhecidos como “cartucho”. Sabe os monóculos, que quando você olhava e via uma foto? Com certeza veio desse tipo de película. Muito comum na década de 1970. O 120 mm era o de maior formato e tira entre 12 e 16 fotos. A bombina dele é um pouco maior e mais fina em comparação aos outros que citei anteriormente. É enrolado numa estrutura de plástico, como se fosse o pino. A vantagem da mesma é que pode produzir fotogramas maiores.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.