Lenda do heavy metal no Nordeste: Judas Priest tocará no Recife

O Judas Priest costuma fazer dos seus shows grandes espetáculos. Foto: Rafael Mattey

Quando cinco jovens se reuniram em Birmingham – uma cidade basicamente industrial, na Inglaterra – no final dos anos 60, não imaginavam que depois de 40 anos seriam um ícone num gênero musical. Mas não apenas isso, seriam considerados um dos criadores deste peso sonoro que estourou no mundo. Estamos falando do heavy metal e do Judas Priest, que pela primeira vez na carreira vem ao Nordeste, para show no Recife em abril de 2015.

Com mais de 50 milhões de discos vendidos ao redor do mundo, a banda inglesa foi uma das primeiras a utilizar guitarras duplas e a aumentar a velocidade da música enquanto eram rodeados pelo blues e o rock n’ roll mais cadenciado que dominavam às rádios naquela época. O Judas Priest também popularizou o uso do couro que hoje é tão comum entre os “rockers”.

O show foi confirmado pelo empresário Luiz Augusto Nóbrega e acontecerá na segunda-feira, 20 de abril, véspera de feriado. O local escolhido é o Chevrolet Hall que fica entre as cidades do Recife e Olinda.

Entre os fãs do Judas Priest estão o sociólogo Leandro Nunes e o jornalista e escritor pernambucano Wilfred Gadêlha, autor do livro PEsado: Origem e consolidação do Metal em Pernambuco.

Wilfred nos falou sobre a relação da banda com o heavy metal e o tempo:

O Judas Priest foi a primeira banda de heavy metal a se assumir como tal – sempre é bom lembrar que Black Sabbath e Motörhead sempre fazem questão de negar isso. É uma banda que sempre se renovou e se manteve popular com clássicos como Victim of Changes, Breaking the Law e Painkiller. Também vem de um ótimo lançamento, o estiloso Redeemer of Souls.

Já Leandro Nunes expressou de uma maneira mais familiar o que a banda significa para o metal:

Eu considero o Judas Priest a banda ‘mãe’ do que se convencionou como NWOBHV (New wave of british heavy metal). Tenho total admiração não apenas pela musicalidade, mas pela postura da banda mediante as mudanças da cena heavy metal no decorrer dos anos.”

Em relação ao tão aguardado show, Wilfred é enfático:

Para Pernambuco e o Nordeste, é uma das bandas consolidadas que faltaram vir. Vai ser uma noite antológica.

E Leandro fala da expectativa para show e, também, lembra como o gênero só faz crescer na região e como os produtores, mesmo assim, ainda temem trazer shows para o Nordeste:

“De uma banda com um currículo desses, só posso esperar um show sem precedentes. A cena do nosso estado tem crescido em termos de grandes shows internacionais de metal e seus subgêneros, e em outros estados como RN, BA, PB e CE, também. Agora, além de bandas como o Iron Maiden, o UFO e o motörhead, teremos mais uma lenda musical que certamente colocará mais lenha nessa fogueira e trará mais visibilidade para o Nordeste. Mostrará aos produtores de shows desse gênero que aqui temos um público ávido por shows como esse. Falta de exemplos não temos. Basta lembrar do público do Iron Maiden no Recife em 2009. Todo o Nordeste em peso!”

A banda está em turnê mundial em suporte do seu último álbum, Redeemer of souls, lançado em 2014. Além da capital pernambucana, a Redeemer of Souls tour têm confirmados, até hoje, outros cinco shows no Brasil. Serão no Rio de Janeiro (23/04), São Paulo (25 e 26/04), Curitiba (28/04) e Porto Alegre (30/04).

Os fãs de todo Nordeste que vão a Recife certamente irão ouvir, ao meio de inúmeras grandes músicas, o clássico do heavy metal Painkiller:

One Response

Deixe um comentário

Your email address will not be published.