Livros e HQ’s: ‘Chico Bento – Pavor Espaciar’, a divertida aventura sci-fi caipira

Esses dias estava eu a procura de novas leituras, quando me deparo com o terceiro projeto da Graphic MSP, “Chico Bento – Pavor Espaciar”, escrita e desenhada por Gustavo Duarte. Não contei conversa e prontamente arrebatei o último exemplar da prateleira. Meu personagem favorito de gibis infantis agora tinha de lidar com um problema maior do que correr dos tiros de espingarda de Nhô Lau, a cada furto de goiaba: ele estava diante de seres extraterrestes.

Chico Bento, Torresmo e Giselda fugindo do ataque alienígena

A iniciativa de homenagear os 50 anos de carreira do desenhista Maurício de Sousa tem rendidos excelentes produções. Tudo começou lá em 2009 com o livro “MSP 50 – Mauricio de Sousa Por 50 Artistas”, lançado pela Panini Comics. Cinquenta artistas brasileiros foram convidados a fazer  releitura dos personagens clássicos do autor em homenagem aos seus 50 anos de carreira. O livro apresentou cartuns, tiras e HQs que traziam estilos gráficos e estilísticos dos mais variados. Depois dele ainda tiveram o “MSP + 50” e posteriormente o “MSP Novos 50” e não faltou artista que quisesse redesenhar e recriar o universo de Maurício de Sousa. O projeto Graphic MSP pega carona no sucesso dos livros comemorativos do aniversário de carreira do lendário autor da Turma da Mônica.

Nos traços de Gustavo Duarte, Chico Bento e Zé Lelé

A ideia de recriar os personagens do autor da dentuça mais conhecida do Brasil já rendeu três edições para o selo “Graphic MSP”: “Astronauta – Magnetar”, de Danilo Beyruth, “Turma da Mônica – Laços”, de Vitor e Lu Cafaggi e agora “Chico Bento – Pavor Espaciar” de Gustavo Duarte. Li o primeiro, inclusive pretendo escrever sobre por esses dias aqui n’O Chaplin, e estou à procura de uma banca que ainda tenha exemplares do segundo. Mas vamos ao que interessa. Em “Chico Bento – Pavor Espaciar”, a terceira obra da série, o impensável acontece: o caipira Chico Bento se envolve em uma história de ficção científica.

Chico Bento com um traço estilizado de Gustavo Duarte ganha uma nova estética, mantendo sempre os elementos clássicos do personagem, como o chapéu de palha, a camisa amarela, a calça azul e os seus companheiros de aventura, Zé Lelé e seus bichos de estimação, a galinha Giselda e o porco Torresmo. Dentre todas as possíveis histórias para o personagem caipira, a mais inimaginável foi também uma das mais engraçadas que li nesses últimos tempos. Enquanto em “Astronauta – Magnetar” e “Turma da Mônica – Laços” os autores acrescentaram mais informações a já existente história dos personagem da Turma da Mônica (como o avô do Astronauta e o início da amizade dos personagens da Turma), “Pavor – Espacial” é totalmente autoral, é uma história de Gustavo Duarte com o Chico Bento.

Em “Pavor Espaciar”, Torresmo e Chico Bento abduzidos

O enredo parece absurdo, mas a ideia é justamente essa, tirar o personagem de seu mundo já construído e consolidado e dar vazão a criatividade. Em uma noite qualquer de um dia qualquer, Seu Bento e Dona Cotinha saem para um compromisso à noite, deixando Chico e Zé Lelé sozinhos em casa. O que pode soar como o prelúdio para um plot de “Esqueceram de Mim”, tem uma reviravolta com a chegada de um ET na cozinha da casa de Chico, e vira algo parecido com “American Horror Story: Asylum” com a cena de abdução.

A ideia de monstros, abdução e ETs é totalmente nonsense, o que me fez lembrar as  histórias de desenhos animados. Gustavo Duarte tem um dos traços mais limpos, leves e bonitos que já vi. Ele aplica movimento, dinâmica e um humor (um tanto quanto sem noção) que funciona e faz rir, à história. Gustavo prefere escrever suas HQs sem falas, isto é, utilizando-se apenas da narrativa visual, sequência de imagens de ações dos personagens, mas em respeito a obra de Maurício de Sousa, usou balões e fez diálogos para “Pavor Espaciar”. E diga-se de passagens, as tiradas do Chico Bento são engraçadíssimas.

Maurício de Sousa e Gustavo Duarte

Uma curiosidade da HQ são as referências, em diversas páginas um personagem de alguma história em quadrinho ou mesmo real aparece discretamente. O humor e a criatividade de Gustavo Duarte fazem de “Chico Bento – Pavor Espaciar” uma daquelas obras de arte no quesito visual e uma diversão que apenas poucos autores alcançam. Facilmente devorável, a HQ é uma daquelas que a cada leitura se torna mais bela e divertida. Aos interessados em outras obras do desenhista, vale a pena conferir: “Có”, “Táxi” e “Monstros”.