Os quadrinhos embalam crianças, jovens e adultos por suas histórias de ação, aventura, romance, cotidiano, magia, humor e etc. Visto isso, temos diversas “modalidades” de quadrinhos, como os famosos da Turma da Mônica, Mickey, Tex, Homem Aranha, Homem de Ferro, Vingadores, Batman, Super Homem e por aí vai. São tantas opções, para gostos diferentes, para que não exista nenhum tipo de reclamação, isso é o capitalismo, temos o que queremos e o mercado sempre vai ouvir os pedidos do cliente, ou criar um novo pedido.

Solução para muitos, problemas para outros, isso se chama livro. Os livros são a fonte de conhecimento, diversão e entretenimento de muita gente, mas hoje têm caído em desuso, por diversos fatores.

Arte para a Graphic Model, mostrando seu protagonista: Percy Jackson

Interessante é perceber que a leitura nos primeiros anos de vida de uma criança, ou seja, ouvir histórias faz parte de um processo de formação que gerará no futuro o interesse da criança em ler. Quem não se lembra das histórias que ouviu? Há uma tendência muito grande das mães, pais e família a cada dia abandonarem mais esse costume tão saudável.

Uma pequena “amostra” da graphic model em inglês

Aos preguiçosos, a tecnologia trabalha a favor, as pessoas que dizem que odeiam ler, na verdade gostam e muito de ler. Seja uma notícia de futebol, um blog de curiosidades, algo engraçado e novidades sobre o cinema, como o O Chaplin. Para os que não gostam de ler muitas palavras, e que querem  conhecer uma incrível história (e também para aqueles que já a amam), a editora Intriseca lançou no Brasil a primeira graphic model da série Percy Jackson e Os Olimpianos.

Sempre em adaptações temos os famosos comentários: “Não é igual ao livro, mudou muito, ficou uma droga”, não deixa de ser uma verdade, em alguns casos, como por exemplo, o próprio filme “Ladrão de Raios” foi uma verdadeira catástrofe, mas não estou aqui para falar desses erros. Vamos fazer dos acertos o que é bom, nós não estamos falando de cerveja, meu amigo.

A graphic novel é de extrema qualidade, demonstrou maior fidelidade ao livro, não que isso seja uma regra para se realizar um trabalho bacana, mas uma boa história e uma conexão que faça alusão à história original são essenciais para o sucesso do lançamento. Como eu já havia lido o livro, devorei o quadrinho em pouco menos de uma hora. Gostei muito, me fez lembrar as melhores cenas e me fez vê-las, literalmente. Aos fãs de Percy Jackson, de graphic novel e HQs, é uma ótima pedida.

A obra conta a história do menino com dislexia que mora em Nova Iorque, Percy já passou por tantas escolas por mau comportamento, odeia o seu padastro e possui um amigo fiel escudeiro, entretanto sua vida se torna uma caixa de surpresas ao descobrir que é um meio sangue. Grover, um amigo meio bode meio humano, um sátiro, e sua professora, a senhora Dodds, uma fúria enviada para vigiar Percy que quase o mata. Importante saber que um meio sangue é filho de um deus ou uma deusa com humanos e disso muito da história se desenrola.

Os principais personagens da trama, os deuses e seus filhos meio sangue.

O livro e a graphic novel são incríveis, te levam a histórias profundas e te deixam ansioso para virar a próxima página. Vale a pena conferir. É uma boa pedida.

Capa brasileira da Graphic Novel

2 Responses

Deixe um comentário

Your email address will not be published.