Livro é uma homenagem ao H.P. Lovecraft

Lovenomicon é lançado nesta quinta-feira em Natal

Livro é uma homenagem ao H.P. Lovecraft
Livro é uma homenagem ao H.P. Lovecraft

Howard Phillips Lovecraft é um norte-americano que deixou os planos terrenos há quase 90 anos, porém o seu legado está nas músicas, livros e diversos quadrinhos espalhados pelo mundo. H.P. Lovecraft era conhecido pelas obras de terror cósmico, o mesmo comentava que vida é incompreensível ao ser humano. Um conjunto de suas obras se chama “Mitos do Cthulhu”, um híbrido entre humano, octópode e dragão.

Para homenagear o cara que foi um dos construtores dos contos contemporâneos de terror e ficção científica, a equipe da K-Ótica criou o Lovenomicon, que é a junção das palavras “Love” (Lovecraft) e Necronomicon, um livro fictício criado pelo autor. São seis obras inspiradas na obra de H.P. Lovecraft e todas vão ser lançadas nesta quinta-feira (5), no El Rock. Esta é a primeira parceria do selo com os Jovens Escribas, que vai lançar o selo spin-off chamado “Escribas ao Quadrado”.

Marcos Guerra, um dos autores de Lovenomicon estava neste estado  (Foto: João Gabriel)
Marcos Guerra, um dos autores de Lovenomicon estava neste estado (Foto: João Gabriel)

O trabalho de pesquisa durou um ano e foi intenso. A equipe d’O CHAPLIN entrevistou Marcos Guerra e Leander Moura, dois dos autores da novela gráfica. Entretanto, a ideia surgiu a partir de outros integrantes, Mario Rasec e Renato Medeiros. Além dos outros quatros citados compõem ainda o projeto Carlos Alberto, Marcos Garcia e Rodrigo Xavier. A gente tentou reunir todos os sete, mas ao adentrar na loja, que estava sombria e toda revirada, encontramos apenas Guerra, Moura e Medeiros sozinhos e amarrados numa camisa de força.

Acredito que o Cthulhu sacaneou os caras, sequestrou todos eles. O resultado disso? Fez Leander ficar com barba, Marcos Guerra estava de cara lisa e de cabelos curtos e Rodrigo estava muito falante, só que não. Por isso não achem estranho se a entrevista tiver alguma coisa sem sentido, pois você está pegando o espírito que Lovecraft deixou nas obras. A conversa com os autores foi divida em três partes, basta clicar abaixo para conferir cada uma delas.

Livro é uma homenagem ao H.P. Lovecraft
Livro é uma homenagem ao H.P. Lovecraft

O CHAPLIN: Faz quanto tempo que existe o projeto Lovenomicon?

Leander Moura: Lovenomicon existe há exatamente um ano e as primeiras ideias surgiram com Mário Rasec e Renato Medeiros, primeiramente. Surgiu a partir de conversas informais, já que sempre tiveram a vontade de fazer um tributo para H.P. Lovecraft e nessa brincadeira [de elaborar uma homenagem], eu entrei na proposta. Depois o convite foi estendido para Rodrigo Xavier, que trabalhou com a gente na nossa graphic novel “Tempestade Mental”. E [Marcos] Guerra também se interessou. A partir disso, as primeiras ideias começaram a surgir, os primeiros roteiros foram delineados por Renato, que teve a ideia primordial, e a coisa tomou forma em definitivo.

O CHAPLIN: A obra seria lançada em outubro na Feira de Livros e Quadrinhos (FliQ), porém só vai ser lançado primeiramente nesta quinta-feira, por que a demora?

Marcos Guerra: Os autores enlouqueceram no processo, evidentemente, nós tivemos vários problemas relacionados às influências dos antigos e outros seres nascidos do “Horror Cósmico”, a porta para este mundo nós abrimos com a produção e essa foi a razão central. Após muitas lutas contra os seres, o Carlos Fialho nos trouxe de volta para o mundo real, estamos confiantes que essas influências vão diminuir sobre nossas vidas quando comprarem o produto, se relacionarem da mesma maneira e a gente conseguir diluir da loucura que estava intensa.

O CHAPLIN: Traduzindo…

Marcos Guerra: Na verdade, os problemas [com o lançamento] foram mais técnicos. Precisamos de um pouco mais de tempo com a produção de alguns dos desenhos e conceitos do projeto gráfico.

Leander Moura: Algumas revisões também…

Marcos Guerra: Exatamente. O fato é que a gente precisou de mais tempo para “parir” a criança, além do que falei anteriormente ser totalmente verdade (risos).

Renato acordou com o  Cthulhu
Rodrigo acordou com o Cthulhu

O CHAPLIN: Quando foi o primeiro contato com H.P. Lovecraft?

Marcos Guerra: Meu primeiro contato foi através de um livro do autor nos anos 60 vinda da biblioteca de uma escola em São Gonçalo do Amarante que iria ser queimado junto com outras obras consideradas velhas demais e ilegíveis. Como eu tinha um amigo bastante próximo que morava na cidade, meu irmão e meu pai trabalhavam na escola onde ficava a biblioteca, eles fizeram um mutirão, salvaram vários livros e levaram para minha casa, entre eles, o livro em questão do Lovecraft.

Leander Moura: Bem, acho que os antigos seres roubaram o fato da minha memória, por isso não lembro muito bem do primeiro contato. Porém, Lovecraft sempre influenciou o heavy metal, os quadrinhos e a literatura. É um autor, queira ou não, que sempre está povoando a imaginação de diversas coisas. Acho que o meu primeiro contato foi através da internet, a partir de contos publicados. Depois, eu tive o interesse em buscar os livros impressos e pensar em adaptar coisas para os quadrinhos e coisas do gênero.

Rodrigo Xavier: Depois que li o Edgar Allan Poe, eu fui atrás de outros autores que seguissem essa mesma linha.

O CHAPLIN: Vocês têm alguma obra favorita?

(Foto: Lara Paiva)
(Foto: Lara Paiva)

Marcos Guerra: O primeiro que vem à cabeça é “Aquele que Sussurrava nas Trevas”, às vezes o título é traduzido como “Sussuro nas Trevas”. Essa obra é bastante longa e foi título de algumas coletâneas dele. Eu a acho muito poderosa devido à narrativa voltada numa troca de cartas. Um dos personagens fica o tempo todo tentando descobrir se o acontecimento foi verdadeiro ou não. Também tenho um carinho especial com “A Coisa na Soleira da Porta”, que me inspirou na minha história neste quadrinho que vamos lançar e se chama “A Estrela que Tinha Fome”.

Leander Moura: “The Dunwitch” foi meu primeiro contato e a editora “Pedra” fez uma tradução muito bacana, que adquiri recentemente. O pessoal fala muito de Lovecraft, ideias baseadas no trabalho dele e não se vê as pessoas especificando o nome das obras. O próprio Cthulhu (um dos personagens mais famosos de Lovecraft que apareceu pela primeira vez no conto ‘O Chamado de Cthulhu’) foi influência direta e o ponto que mais me chamou atenção, falam bastante do personagem, mas ninguém tem noção de quem é.

O CHAPLIN: Houve várias homenagens para H.P. Lovecraft no ano passado. Vocês presenciaram algumas destas obras?

O "falante" Renato fica amigo do Cthulhu (Foto: Lara Paiva)
O “falante” Rodrigo fica amigo do Cthulhu (Foto: Lara Paiva)

Leander Moura: A ideia inicial de produzir Lovenomicon foi simplesmente o fato de ter visto várias homenagens fora do Brasil. A gente percebia a carência de trabalhos brasileiros, quando Rasec e Renato apareceram com esta proposta de fazer um trabalho inspirado em Lovecraft. Então toda a equipe da K-Ótica pensou que seria uma grande oportunidade de trazer o trabalho.

O CHAPLIN: Além dos participantes da K-Ótica, teve algum convidado?

Marcos Guerra: Os colaboradores foram os escritores convidados para produzir os prefácios para os seis contos. Temos o jornalista e crítico de cinema Rodrigo Hammer, o pesquisador Alex de Souza, o quadrinista e também professor universitário Edgard Franco, o roteirista de quadrinho Gian Danton, um outro quadrinista goiano de peso, Matheus Barbato, e Lea Barbalho, professora de inglês daqui de Natal. Esses são os convidados especiais para falar da vida e obra do autor. Nós queremos mostrar que aquela pessoa que nunca leu Lovecraft na vida, ao ler Lovenomicon, pode saber quem ele é e as suas influências. E esperamos que as pessoas depois leiam o H.P. Lovecraft, o original.

O CHAPLIN: Podemos dizer que a novela gráfica é quase uma aula de “Introdução ao Lovecraft”…

Marcos Guerra: Exatamente!

Leander Moura: Talvez uma das coisas que a gente tinha em mente era fazem com que as pessoas buscassem o autor e pudessem conhecê-lo.


O CHAPLIN: Esta é a primeira obra em parceria com Carlos Fialho, da Jovens Escribas, com o selo “Escribas ao Quadrado”. Como surgiu? Vocês pretendem ampliar esse encontro?

Leander Moura é um dos autores da obra
Leander Moura é um dos autores da obra (Foto: João Gabriel/Divulgação)

Marcos Guerra: A parceria surgiu a partir de uma reunião que organizamos quando a K-Ótica funcionava na Livraria Nobel. Durante um lançamento na mesma livraria, conversei com Fialho sobre uma possível parceria e o mesmo se demonstrou muito interessado, pois ele queria abrir um selo de quadrinhos. Marcamos um papo na antiga agência dele (Comitê Criativo) e inicialmente a parceria era para ser “O Evangelho Segundo o Sangue”, porém decidimos lançar independente. Depois reafirmamos a parceria, propomos o Lovenomicon e ele deu carta branca na produção. Eu sei que vai ser uma parceria que vai durar muito tempo e garantirá bons frutos. Nós iniciamos uma adaptação de “Maldito Sertão”, de Márcio Benjamin, que vai lançar o seu trabalho junto com a gente. Além de obras independentes, vamos fazer adaptações dos livros dos Escribas.

O CHAPLIN: Vocês vão lançar no El Rock, antigo Hell’s Pub, este é o primeiro lançamento fora da loja K-Ótica. Pretendem fazer outros eventos em outros lugares da cidade?

Marcos Guerra: Vamos participar de um evento dos Jovens Quadrinhos, que terá a presença de Marcelo Quintanilha, aqui em Natal onde lançaremos novamente. Além disso, terá o Bazar Independente dos Escribas. Porém, vamos lançar mais coisas aqui na loja, porque tem muita gente que gosta dela e queremos aproveitar isso. A loja existe há seis meses, conseguimos sobreviver ao grande incêndio dos seres do “Horror Cósmico” e não restou traços, não houve danos, foi um incêndio quase invisível. Quase pegou as nossas pesquisas sobre H.P. Lovecraft, mas conseguimos recuperar.

Leander Moura: Os autores da obra sofreram alguma revelia. O Renato foi preso e agrediu umas pessoas, começou a não falar coisa com coisa. Marcos quebrou a loja.

Marcos Guerra: O Leander fez ritual de magia negra no mangue e Rasec depredou o Forte dos Reis Magos e desapareceu em um nível secreto que ninguém sabia. O Renato que nós estamos vendo agora, está aparentemente normal. Eu falei aparentemente…

O CHAPLIN: Percebemos que os seres deram um trabalho danado, tanto que na frente da loja tinha um cidadão que estava conversando com uma mulher invisível.

Marcos: Quando as estrelas estão certas, afeta uma gama de pessoas…

SERVIÇO

Lançamento de “Lovenomicon”
Horário: 19h
Preço de capa: R$ 40
Onde: El Rock – Avenida Raimundo Chaves, 1892, Candelária