Milton Nascimento, também conhecido como Bituca, é famoso mundialmente como um dos mais influentes nomes da MPB. O cantor e compositor atravessa Natal na próxima quinta-feira, 1º de maio.

10292510_691187064280498_9000755545421944321_n

O show Uma Travessia, que acontecerá no Teatro Riachuelo às 21h, é uma turnê homônima ao primeiro álbum de Milton e à sua primeira música de sucesso, Travessia (pela qual, inclusive, ele despontou no cenário mundial e tornou-se um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos).

Como o espetáculo está sendo aguardadíssimo pela  multidão que é fã do cantor e, também, para comemorar a sua vinda, conversamos um pouco com Milton, falando tanto sobre o show quanto sobre o lado pessoal do artista. Confira:

Divulgação

Divulgação

O CHAPLIN: O senhor já conhece o público natalense de outras vindas. Qual a sua expectativa para o próximo show que fará em Natal?

Natal é um dos melhores lugares para fazer show, quando vejo na agenda que estamos indo para essa cidade fico imensamente feliz! E tenho certeza de que essa apresentação também vai ser muito especial. Vamos fazer músicas diferentes daquelas que fizemos na última vez, mas é claro que não deixaremos alguns clássicos que as pessoas sempre pedem nos concertos.

 O CHAPLIN: Com 38 discos já lançados, muitos prêmios e tendo alcançado um público que o reverencia como um dos melhores nomes da música, o senhor continua na estrada, felizmente, fazendo shows e compondo novas músicas. O que te faz continuar?

Na verdade nunca pensei seriamente nisso do que me faz realmente continuar, é uma coisa automática. Enquanto tenho forças, amigos, família e vontade de seguir na estrada eu estou indo! Não quero parar nunca, nem penso nisso! É uma grande felicidade estar na estrada há tanto tempo.

 O CHAPLIN: Depois de tantos shows, você ainda sente o famoso “friozinho na barriga”?

 Claro, isso tem que ter sempre, faz parte do show. Sem isso a gente vai perdendo a magia de subir no palco, um local sagrado para qualquer artista.

 O CHAPLIN: Seu trabalho foi afetado diretamente pela ditadura, tendo sido um álbum seu vetado, mas ainda assim fez sucesso, mesmo apenas com melodias. Como foi o período da ditadura para você e para a sua música?

Assim como para todos que viviam contrários ao regime naquele tempo, essa foi uma fase extremamente dura. Foi uma barra tão pesada que as marcas ainda estão presentes no imaginário de todo brasileiro.

 O CHAPLIN: Você se consagrou como um das mais importantes e influentes nomes da nossa música. Qual a sua opinião sobre o atual momento da música brasileira? Quem, dos novos nomes, você arriscaria dizer que ainda será lembrado em cinquenta anos?

Não tenho como julgar o momento atual, prefiro deixar essa parte para os que se dizem críticos, mas tenho certeza de que nos próximos anos vamos ainda falar muito de Esperanza Spalding, Hamilton de Holanda, Criolo e Mano Brown.

O CHAPLIN:  Para finalizar, quais suas inspirações na música e na vida?

Amizade, família e estrada.

SERVIÇO

Show ”A Travessia” de Milton Nascimento
Quando? 01/05/2014

Onde? Teatro Riachuelo
Valores (inteira):
Frisas e Balcão Nobre

R$ 170,00
Plateia B

R$ 200,00
Plateia A e Camarotes

R$ 220,00

Deixe um comentário

Your email address will not be published.