O Forró Universitário de Mirkka & Madrugada – Um pedacinho do Brasil na Finlândia

Além de Mirkka nos vocais e triângulo; a banda é composta por Larri Himma também no vocal, cavaquinho e guitarra; Janne Viitenen baixo; Tuomas Saikkonen zabumba; Elina Heikkinen viola; Ville Husgafvel sanfona e Riku Nissilä percussão.
Além de Mirkka nos vocais e triângulo; a banda é composta por Larri Himma também no vocal, cavaquinho e guitarra; Janne Viitenen baixo; Tuomas Saikkonen zabumba; Elina Heikkinen viola; Ville Husgafvel sanfona e Riku Nissilä percussão.

Tardes de domingo são em suma feitas para ficar em casa vendo um filme, lendo um livro ou dormindo, mas no meu caso estava “bulindo” na internet atrás de novidades. Navegando por um site, me deparo com uma matéria sobre uma banda finlandesa que toca forró, veja só, forró! Para quem não sabe muita coisa da Finlândia, por lá o ritmo dominante é o rock, os exemplos mais expressivos, acredito eu, são as bandas de metal sinfônico Nightwish, recentemente confirmada no Rock in Rio 2015 e Apocalyptica (que eu amo, a propósito), portanto, encontrar um grupo que toca forró é “meio” difícil.

Fui atrás de mais informações e, claro, ouvir o som deles, e quer saber? Nem gosto muito de forró mas curti bastante. A banda oficialmente começou em 2006, mas sua idealização foi há anos atrás, quando a vocalista Mirkka Kivilehto veio ao Brasil para fazer intercâmbio e se impressionou pelos ritmos musicais brasileiros, na época o forró universitário estava bastante em evidência com bandas como Falamansa e Bicho de Pé fazendo muito sucesso. Mirkka retornou a Finlândia e resolveu estudar mais a cultura brasileira frequentando aulas de português e capoeira, foi aí que conheceu os demais integrantes (sete no total, todos finlandeses) e das noites regadas por forró nos eventos de capoeira de Helsínquia, surgiu a banda.

Mikka & Madrugada possui dois álbuns: Paiste e Piiri lançados em 2009 e 2013 respectivamente, que contam com uma parceria brasileira, o percussionista e compositor carioca Wander Pio. O forró é legítimo com tudo que tem direito, triângulo, sanfona, zabumba e um toque finlandês, a viola. Se inicialmente eles tocavam músicas de artistas brasileiros como “Pau-de-arara”, do Luiz Gonzaga, e “Medo do Escuro”, do Falamansa, hoje já têm músicas autorais em finlandês, com alguns toques de outros ritmos como o pop e até um pouco de rap, o que cria uma mistura bem interessante. O grupo, no entanto encara a música mais como um hobby do que algo profissional, Mirkka por exemplo é advogada, a irregularidade de shows e o fato de que algumas vezes são eles próprios que arcam com os custos acaba contribuindo.

Das músicas em finlandês as mais recentes são os xotes românticos Hyvä päivä, Antaa Mennä e Sinä yönä e a pegada pop Maradona que com seu refrão “se eu fosse Maradona” brinca com um personagem bastante determinado, apesar das suas dificuldades. O resultado vocês podem conferir abaixo.