Os corpos de Evelyn Bencicova

Amontoados, depilados, pálidos, esqueléticos e, ainda assim, expressivos na sua passividade. Andróginos, assexuados. Só pele, mãos, pés e bundas. Corpos-mobília em ambientes atemporais e gelados. Grupo alinhado e coreografado de pessoas-coisas que estão juntas, mas não se tocam realmente. Sem sangue, suor, fezes, lágrimas. Só corpos, esculturas. De um jeito tão artificial que talvez incomode e, paradoxalmente, de um jeito tão artificial que se aproxima do nosso cotidiano.

Eis o retrato de quando o corpo não fala, mas é a própria fala. Eis o homem da série Ecce Homo, da fotógrafa e diretora de arte berlinense Evelyn Bencicova, cuja arte de múltiplos corpos humanos você também pode ver em contidos movimentos  no clipe da música Be my Lover, da cantora eslovaca Andrea Bučko.

tumblr_n54ebvHBc61shdjryo1_1280

tumblr_n54eg2aIox1shdjryo1_1280

tumblr_n54eikoKsQ1shdjryo1_1280

tumblr_n54eocDN7S1shdjryo1_1280

tumblr_n54eozLUgq1shdjryo1_1280

tumblr_n54er1PjYj1shdjryo1_1280

tumblr_n54eryiNdv1shdjryo1_1280

Deixe um comentário

Your email address will not be published.