A 84ª festa de premiação da Academy Awards acontecerá em 26 de Fevereiro e premiará com o cobiçado Oscar as melhores produções do ano de 2011 segundo a academia americana. Contudo, entre melhores e piores, há sempre um olhar criterioso e opinativo (além da politicagem) que, porventura, pode cometer injustiças, ao ver dos cinéfilos de plantão.

Esse post é dedicado à informação sobre os indicados ao Oscar e, sobretudo, como é intuito do blog, tem a intenção de ser analítico, opinativo e pessoal.

É bem provável que A Invenção de Hugo Cabret (Hugo) leve no mínimo cinco ou seis dos onze prêmios aos quais foi indicado, inclusive Melhor Filme e Melhor Diretor. Esse último prêmio, a propósito, parece ser uma disputa de apenas dois nomes: Alexander Payne, com o falado Os Descendentes, e Scorsese, com o artístico Hugo. O diretor francês do filme O Artista (Michel Hazanivicous) muito provavelmente sofrerá as consequências de ter nascido em algum país que não os Estados Unidos (na dúvida, vai o americano). O  mesmo, creio eu, acontecerá com a animação belíssima e leve Um Gato em Paris, que disputa na categoria Melhor Animação. Contudo, a decisão para essa categoria será tarefa árdua: também concorrem a continuação do famoso filme-de-animação-dramática-com-lição-de-auto-estima Kung Fu Panda, o esquisito e peculiar Rango e ainda a superprodução Gato de Botas. Esse último, por sinal, tem a voz do incrível Antonio Banderas como protagonista. O mesmo Banderas que protagonizou o visceral e elogiado A Pele que Habito (Pedro Almodóvar), que não recebeu uma mísera indicação. O mesmo aconteceu com o polêmico Melancolia (Lars Von Trier), o qual muitos julgam injustiçado por não competir em nenhuma das categorias. Injustiça, na verdade, será não dar o Oscar significativo de Melhor Canção Original para Rio. Não só por, sim, ter uma ótima canção fruto de músicos brasileiros, como por estarem devendo ao Brasil (mesmo que a animação não seja brasileira) uma estatueta – lembram da derrota de Fernanda Montenegro para Gwyneth Paltrow na categoria Melhor Atriz em 1999? E a não premiação de Cidade de Deus em 2004 em nenhuma das quatro categorias as quais foi indicado, além da não (sequer) indicação a Melhor Filme Estrangeiro? Mas voltando ao Oscar 2012, de brasileiro, brasileiro, não temos mesmo nada, já que o conturbado Tropa de Elite foi o nosso representante enquanto o doce O Palhaço tomou chá de cadeira na fila da seleção. Quem também tomou chá de cadeira nas escolhas para o Oscar foi o delicioso Tintim, de longe o melhor trabalho de Steven Spielberg no ano. Tanta competência foi reconhecida com apenas uma indicação para Melhor Trilha Sonora Original (que muito provavelmente perderá para Hugo), fazendo falta sobretudo na lista de indicados para Melhor Diretor e Melhor Direção de Arte, prêmio este que, ao meu ver, merece ser do filme de despedida da saga Harry Potter, que, convenhamos, fechou com chave de diamante. A película também compete na categoria Melhores Efeitos Visuais, mas em ambas as categorias tem o forte Hugo como concorrente que, torço, leve apenas as cinco ou seis estatuetas previstas e não ofusque tanto outras boas produções da festa de convite mais cobiçado do ano.

 

Lista das indicações:

Melhor filme

 A invenção de Hugo Cabret, aposta da autora
  • Os Descendentes
  • A Árvore da Vida
  • Histórias Cruzadas
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • O Homem Que Mudou o Jogo
  • Cavalo de Guerra
  • O Artista
  • Meia-Noite em Paris
  • Tão Perto e Tão Forte

Melhor ator

Gary Oldman, em O Espião que Sabia Demais (favorito da autora)
  • George Clooney – Os Descendentes
  • Brad Pitt – O Homem Que Mudou o Jogo
  • Jean Dujardin – O Artista
  • Demián Bichir – A Better Life
  • Gary Oldman – O Espião que Sabia Demais

Melhor atriz

Meryl Streep em A Dama de Ferro (favorita)
  • Glenn Close – Albert Nobbs
  • Viola Davis – Histórias Cruzadas
  • Rooney Mara – Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
  • Meryl Streep – A Dama de Ferro
  • Michelle Williams – Sete Dias com Marilyn

Melhor ator coadjuvante

  • Kenneth Branagh –Sete Dias com Marilyn
  • Nick Nolte – Guerreiro
  • Max Von Sidow – Tão Perto e Tão Forte
  • Jonah Hill – O Homem Que Mudou o Jogo
  • Christopher Plummer – Toda Forma de Amor

Melhor atriz coadjuvante

  • Bérénice Bejo – O Artista
  • Jessica Chastain – Histórias Cruzadas
  • Janet McTeer – Albert Nobbs
  • Melissa McCarthy – Missão Madrinha de Casamento
  • Octavia Spencer – Histórias Cruzadas

Melhor diretor

  • Woody Allen – Meia-Noite em Paris
  • Terrence Malick – A Árvore da Vida
  • Alexander Payne – Os Descendentes
  • Michel Hazanivicous – O Artista
  • Martin Scorsese – A Invenção de Hugo Cabret

Melhor roteiro adaptado

  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Tudo pelo Poder
  • Os Descendentes
  • O Espião que Sabia Demais
  • O Homem Que Mudou o Jogo

Melhor roteiro original

  • Meia-Noite em Paris
  • O Artista
  • Margin Call – O Dia Antes do Fim
  • Missão Madrinha de Casamento
  • A Separação

Melhor filme em lingua estrangeira

  • A Separação (Irã)
  • Bullhead (Bélgica)
  • Monsieur Lazhar (Canadá)
  • Footnote (Israel)
  • In Darkness (Polônia)

Melhor longa animado

O estranho Rango (favorito)
  • Gato de Botas
  • Kung Fu Panda 2
  • Rango
  • Um Gato em Paris
  • Chico & Rita

Melhor trilha sonora original

Tintim (favorito) tem trilha sonora leve e instrumental
  • As Aventuras de Tintim
  • O Artista
  • O Espião que Sabia Demais
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Cavalo de Guerra

Melhor canção original

O agradável Rio (favorito)
  • “Man or Muppet” – Os Muppets
  • “Real in Rio” – Rio

Melhores efeitos visuais

O caprichoso Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 (favorito)
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Gigantes de Aço
  • Planeta dos Macacos – A Origem
  • Transformers: O Lado Oculto da Lua

Melhor maquiagem

  • Albert Nobbs
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2
  • A Dama de Ferro

Melhor fotografia

  • Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
  • O Artista
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • A Árvore da Vida
  • Cavalo de Guerra

Melhor figurino

  • Anônimo
  • O Artista
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Jane Eyre
  • W.E. – O Romance do Século

Melhor direção de arte

  • O Artista
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Cavalo de Guerra

Melhor documentário

  • Hell and Back Again
  • If a Tree Falls
  • Paradise Lost 3: Purgatory
  • Pina
  • Undefeated

Melhor documentário de curta-metragem

  • God is the Bigger Elvis
  • The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement
  • Incident in New Baghdad
  • Saving Face
  • The Tsunami and the Cherry
  • Blossom

Melhor montagem

  • Os Descendentes
  • O Artista
  • Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
  • O Homem Que Mudou o Jogo
  • A Invenção de Hugo Cabret

Melhor curta

  • Pentecost
  • Raju
  • The Shore
  • Time Freak
  • Tuba Atlantic

Melhor curta animado

  • Dimanche
  • The Fantastic Flying Books of Mister Morris Lessmore
  • La Luna
  • A Morning Stroll
  • Wild Life

Melhor edição de som

  • Drive
  • Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
  • Cavalo de Guerra
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Transformers: O Lado Oculto da Lua

Melhor mixagem de som

  • Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres
  • Cavalo de Guerra
  • A Invenção de Hugo Cabret
  • Transformers: O Lado Oculto da Lua
  • O Homem Que Mudou o Jogo

Sobre o(a) autor(a)

Andressa Vieira

Jornalista, cinéfila incurável e escritora em formação. Típica escorpiana. Cearense natural e potiguar adotada. Apaixonada por cinema, literatura, música, arte e pessoas. Especialista em Cinema e mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN). É diretora deste site.

Postagens relacionadas

One Response

  1. Avatar
    _-CinestudiO-_

    Pois é, depois de um ano com tanto “remake” tiveram que espremer beeeem essa laranja para sair indicações válidas.

    E como a senhoura bem frisou: não nasceu nos EUA, então “lamente”. Dois mil e onze no cinema só valeu fora dos EUA, Woody Allen deixou NY e foi pra Paris, Harry Potter continua sendo britânico e obviamente se a Pele que Habito fosse de qualquer diretor made in USA seria o grande indicado do ano. Difícil seria atingir a mesma precisão literalmente cirúrgica de Almodóvar, que pra mim fez o melhor filme do ano [ empatado lógicamente com Harry Potter HEHEHE ]

    Enfim simbora ver esta premiação então né?

    Parabéns pelo blog, Andressa
    =D

    Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.