A Austrália já revelou grandes nomes da música mundial, a ilha dos cangurus, coalas e tubarões brancos é reduto de surfistas e o lar de gente como: Bee Gees, Men at Work, AC/DD, Silverchair, Kyle Minogue, Wolfmother, pra citar alguns. Mas nem só de mainstream vive o som australiano e pensando nisso eis que resolvi preparar uma Playlist com o Lado B musical australiano com um breve apanhado de dez artistas que têm feito trabalhos autorais de excelente qualidade.

The Temper Trap – Sweet Disposition (2009)

the-temper-trap

Vinda de Melbourne, o The Temper Trap faz um rock alternativo que caiu no gosto de todos. Formada em 2005, o sucesso só veio em 2009 com o single “Sweet Disposition”. Caso você por ventura tenha visto o filme “500 Dias Com Ela”, certamente deve recordar da canção. Até agora a banda tem dois discos lançados, “Conditions” (2009) e “The Temper Trap” (2012). Não poderia escolher outra música, senão a minha favorita dos caras, para introduzir aqueles que ainda não conhecem o seu som, “Sweet Disposition”. Os vocais de Dougy Mandagi certamente irão grudar no seu juízo.

Angus e Julia Stone – Hold On (2010)

julia-stone1

Os irmãos de Newport, Angus e Julia Stone têm vozes bem distintas, começaram em carreiras solo e colaboravam discretamente no trabalho um do outro. Em meados de 2006, eis que eles passaram a se apresentar juntos. Os irmãos têm vozes distintas e formas de compor díspares e talvez justamente por isso que seu disco “Down The Way” (2010) seja tão diversificado e tão bom. Angus faz um folk cheio de harmonias e instrumentos, já Julia com sua voz um tanto quanto infantilizada faz uso do piano para cantar suas músicas intimistas. Atualmente Angus e Julia voltaram-se para suas carreiras solo, novamente. A faixa que escolhi é do segundo trabalho deles, de 2010, a faixa é cantada pela linda Julia Stone, “Hold On”.

Tame Impala – Solitude is Bliss (2010)

tame-impala-band

O quarteto de rock psicodélico vem lá do oeste australiano, da cidade de Perth. A banda formada em 2007 é composto por Kevin Parker (vocais e guitarra), Jay “Gumby” Watson (bateria e vocais de apoio), Dominic Simper (guitarras e percussão) e Nick “Paisley Adams” Allbrook (baixo). Recentemente, eles tocaram no Brasil, e vocês podem conferir a resenha do show aqui. Formado em 2007, o Tame Impala tem dois discos lançados, “Innerspeaker” (2010), o meu favorito e  o mais recente “Lonerism”  (2012). Qualquer viagem feita ao som de “Solitude is a Bliss”, uma das faixas mais viajadas do disco de estreia da banda, será excelente, experimentem!

The Waifs – Falling (2011)

The Waifs March

Uma das minhas bandas de folk favorita, o The Waifs, está na estrada desde 1992 e tem sete discos lançados. O trio faz bastante sucesso em seu país, mas é pouco conhecido pela grande mídia mundial. Oriundos de Albany, oeste australiano, os irmãos Josh Cunningham (guitar e vocais), Vikki Thorn (gaita, guitarra e vocais) e Donna Simpson (guitarra e vocais) formam uma banda que não deve em nada aos grandes nomes da música raiz. A faixa escolhida é a baladinha “Falling” do seu último trabalho, “Temptation” (2011).

The Jezabels – City Girl (2012)

the-jezabels-nov-11

A banda mais “hypada” de Sydney fez sua primeira aparição musical em  2009 com os excelentes EPs: “She’s So Hard” e “The Man is Dead”, a faixa “Easy To Love” era indispensável nas listas de melhores músicas do ano. Posteriormente, em 2010, o quarteto composto por Nik Kaloper (bateria), Sam Lockwood (guitarra), Hayley Mary (vocal) e Heather Shannon (piano e teclado), lançou mais um EP: “Dark Storm”, que foi muito bem aceito por crítica e público. As músicas de letras intensas e batidas fortes da banda ganharam seu primeiro disco em 2011, “Prisoner”, e é justamente desse trabalho que extraí a faixa “City Girl” para apresentá-los The Jezabels.

Jess Ribeiro & The Bone Collectors – Sweet Refined Things (2012)

jess_ribeiro_bone

Jess Ribeiro e Rob Law juntaram-se em 2008 e formaram a banda Jess Ribeiro & The Bone Collectors. O folk viajante do projeto entrou na minha playlist pessoal há quatro anos, quando ouvi o EP “Pilgrimade” (2009). Carrego as quatro faixas comigo em meu mp3 desde então. Ano passado, a dupla lançou seu primeiro álbum, “My Little River” (2012), que segue a mesma qualidade do EP. O folk e música de western estão presentes no som da banda de Darwin. A música que escolhi é “Sweet Refined Things” que, além de excelente, tem um clipe lindíssimo.

Sarah Blasko – God-Fearing (2012)

blasko

Cantora, compositora e produtora de uma criatividade imensa, essa é Sarah Blasko. Seu quarto álbum de estúdio, intitulado “I Awake” (2012) foi produzido pela artista em Estocolmo e possui uma orquestração que se mistura com batidas eletrônicas que combinam suavemente com a voz pequena e um tanto quanto esganiçada de Blasko. A cantora perpassa vários gêneros musicais em seus trabalhos, do folk, ao pop mais grudento, sempre mantendo uma qualidade musical impecável. A música escolhida, “God-fearing”, foi tirada de seu último disco.

Eskimo Joe – Got What You Need (2013)

Eskimo Joe

De pós-punk ao indie-pop, o Eskimo Joe é uma das bandas mais queridas da cena musical australiana. O trio composto por Stuart MacLeod (guitarra), Joel Quartermain (bateria e guitarra) e Kavyen Temperley (baixo e vocal) foi formado em 1997 em East Fremantle, oeste australiano. A banda lançou este ano seu sexto álbum, “Wastelands” (2013) e a faixa que escolhi foi “Got What You Need”, uma feliz musiquinha com uma aura bem solar, que agrada os ouvidos.

Jagwar Ma – The Throw (2013)

jagwar_ma03_website_image_ytnv_wuxga

Banda australiana que bebe da fonte de Stone Roses, Jesus Jones, Blur, Happy Mondays e Primal Scream, a Jagwar Ma faz um som bem peculiar que soa anos noventa. Formada por Gabriel Winterfield (vocal e guitarra), Jono Ma (guitarra, sintetizador, bateria e samples) e Jack Freeman (baixo e vocais), é uma banda recente, surgiu em 2011 e esse ano lançou seu primeiro disco, “Howlin'” (2013). A música escolhida foi a elogiada “The Throw”.

The Cat Empire – Brighter Than Gold (2013)

the_cat_empire_outside_portrait_version_21_a3_300dpi

Banda de Melbourne que faz um som de fusão, no caldeirão musical pode-se ouvir jazz, ska, folk, rock e ritmos latinos. Formada em 1999, a banda é reverenciada no circuito alternativo mundial e muito querida em seu país. Com dez discos lançados, o The Cat Empire, guardadas as proporções, me lembra o Jamiroquai. O showman Felix Riebl (vocal e percussão) lidera a banda. A música que escolhi, “Brighter Than Gold”, é do seu último disco, “Steal the Light” (2013).

2 Responses

  1. Avatar
    Matheus Geres

    Você só esqueceu de citar de uma das divas da música australiana: Sia Furler.

    Responder
    • Andressa Vieira
      Andressa Vieira

      Conhecendo Leila, Matheus, acho que foi proposital rs visto que a intenção da postagem era justamente NÃO abordar “divas” e demais personalidades mainstrem da música, mas sim apresentar novas caras. Bjs!

      Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.