Vale a pena assistir a Minions?
8.5Nota total
Nota do leitor: (0 Votes)
0.0

Eles são um fenômeno no cinema e em diversos produtos (fiquei meses viciada no jogo de celular deles)! É quase uma Peppa Pig (sim, aquela porquinha rosa mesmo), que você vira a esquina e a imagem já projeta no cérebro. As criaturas, inicialmente, deveriam ser vilões, assistente de um rapaz super malvado.

Entretanto, eles e o patrão são tão carismáticos que acabamos nos afeiçoando e nossa torcida é deles. Claro que estou falando dos Minions e do Gru. As criaturinhas amarelas eram para ser ogros e bem feios, porém se tornaram aquelas fofuras.

Os bichinhos são tão simpáticos que após dois filmes da franquia “Meu Malvado Favorito”, ganharam um filme só para eles. Ai vêm diversos questionamentos rondando a minha cabeça quando vi o trailer: “Será que vale a pena um longa metragem só para isso? Não seria bom só um curta-metragem? Vai ser engraçado ? Como eles vão elaborar as piadas?”.

Eu assisti ao filme na primeira semana de estreia e em dois dias de lançamento, as salas de cinema estavam lotadas. Consegui pegar os últimos bancos disponíveis na última sessão, a fila da bilheteria dava voltas. Ingresso e guloseimas compradas, os questionamentos voltavam a tona.  O trailer tinha me provocado algumas risadas, porém morria de medo que o filme fosse daqueles “legal apenas no material de divulgação”.

Finalmente as luzes da sala apagaram, vamos ver o filme. Os roteiristas estão de parabéns por conseguirem fazer com que um filme praticamente mudo de uma hora e trinta minutos fosse atraente, principalmente para as crianças, e as falas mais longas eram apenas dos antagonistas. Você, caro leitor, lerá muitas outras críticas não muito favoráveis, pra dizer o de menos. Àqueles que assistiram a animação comigo divergiram suas opiniões. Ou você vai amar ou odiar, escolha a sua e siga em frente.

Vale a pena levar seu irmão/primo/sobrinho ao cinema (Foto: Divulgação)

Vale a pena levar seu irmão/primo/sobrinho ao cinema (Foto: Divulgação)

Uma coisa boa foi focar em apenas três minions, o Stuart, Bob e Kevin, que já eram de bastante de destaque em “Meu Malvado Favorito”. Acertaram em cheio. Achei engraçado as tiradas com o Pé Grande, Homem das Cavernas e as “tentativas fracassadas” de arranjar um chefe novo.

Falando sobre temporalidade, Minions foi um dos poucos filmes que foram fieis aos acontecimentos históricos. Por que estou falando isso ? Boa parte da película se passa na década de 1960 (ou 42 A.G., antes de Gru), na Inglaterra, e a caracterização e a trilha sonora ficaram perfeitas. Adorei como os produtores reproduziram a rainha Elizabeth II de forma fiel como fora retratada naquela época.

Vamos contar rapidamente a história: Após inúmeras tentativas fracassadas de arranjar um vilão para ser pau mandado, os Minions começam a viver numa caverna, porém ficaram desmotivados. Então, Stuart, Kevin e Bob resolvem viajar para os Estados Unidos. Lá, eles descobrem que existe uma feira de vilões na cidade de Orlando. Durante o passeio no evento, eles conhecem a Scarlett Overkill, conhecida como a primeira super-vilã.

Então começa a parte “chata” do filme. A personagem não foi muito bem construída, mostrando que a Scarlett não passava de uma garota mimada, algo bastante comum. Focaram muito em sua briga contra os Minions e esqueceram de contar o essencial: como eles conheceram o Gru. É um filme que tem uma comédia parecida com “Os Três Patetas” e “Gordo e Magro”, que os risos são provocados por alguma situação ou outra, confesso que eu esperava mais. No entanto, vai agradar muito mais as crianças do que os adultos, isto é certeza.

Apesar de alguns acertos, como retrato histórico bem feito, roteiro bem construído (tem início, meio e fim) e referências nostálgicas, o filme peca bastante ao perder oportunidades de fazer boas piadas.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.