Eu prometi que nunca mais faria um artigo sobre o diretor Woody Allen. Porém, a última entrevista que concedeu dizendo sobre seu casamento Soon-Yi mostra cada vez mais o lado pessoal louco e, podemos dizer, doentio do cineasta. A entrevista foi feita por uma rádio norte-americana, mas reproduzida no mundo todo, através da agência de notícias AFP. A seguir, colocamos alguns trechos da entrevista:

“Tive sorte, temos 35 anos de diferença e a dinâmica funcionou”.

“Quando comecei esta relação, pensei que seria apenas um namorico, que não era nada sério”.

“Estou casado há 20 anos, (…) tenho 35 mais do que ela e, por razões alheias à nossa vontade, a dinâmica funcionou. Eu era paternal e ela respondia a alguém paternal. Eu gostava de sua juventude e sua energia. Ela confiava em mim e eu era feliz por deixá-la tomar muitas decisões e se encarregar de tantas coisas. Ela se realizou”

Estas duas frases comprovam o comportamento louco de Allen, que por causa deste “namorico” destruiu uma família, Mia Farrow, a mãe de Soon-Yi nunca lhe perdoou por ter feito esta façanha.

Família "reunida" antes do polêmico casal

Família “reunida” antes do polêmico casal

Esta polêmica ainda continua desde fevereiro do ano passado, quando produzi o primeiro artigo relacionado à carta de Dylan Farrow, irmã de Soon-Yi e filha de Woody com Farrow.

Ainda reafirmo que história familiar de Allen podem render um roteiro para a próxima película dele (ou de Pedro Almodóvar, talvez), uma vez que os fantasmas da sua polêmica separação com a consagrada atriz Mia Farrow sempre voltam à tona, principalmente quando ele está próximo a lançar um filme.

A protagonista de “O Bebê de Rosemary” e Allen casaram em 1980. A atriz já havia adotado a coreana Soon-Yi e as vietnamitas Lark e Summer Previn. Após o casamento com Allen, ele adotou Dylan e Moses. Além disso, eles tiveram um filho biológico chamado Ronan, que depois Farrow afirmou que pode ser de Frank Sinatra.

Na década de 1990, Allen e Farrow se separaram após a atriz ter descoberto uma traição por alguém mais jovem, no qual a menina é Soon-Yi, filha da atriz e com quem depois casou. Durante a batalha judicial do ex-casal, Mia também afirmou que o Woody havia abusado sexualmente de sua filha Dylan, porém o caso não foi adiante e acabou voltando à tona após duas décadas. Mas, nós nunca saberemos qual é a verdade.

A única coisa que sabemos é que a família nunca mais foi a mesma, ficou mais disfuncional do que já era, os filhos se posicionaram contra o “novo casal”.

Todo mundo sabe que quando ocorre uma traição numa família (principalmente no caso de Farrow, visto que você dificilmente imaginaria que uma filha faria isso com a mãe), está sempre fica desajustada. Os filhos de Allen com Farrow cortaram a relação com o pai e Mia ficou com fama de “louca” e nunca conseguiu ter a mesma glória de quando foi estrela de “O Bebê de Rosemary” (1968), dirigido por Roman Polanski, também acusado de abusar sexualmente de uma aspirante a modelo de 13 anos, em meados da década de 1970, fazendo com que ele nunca colocasse os pés em solos americanos.

Outro que posso citar também é o eterno Nosferatu, o alemão Klaus Kinski, que admitiu em sua biografia que já teve relações incestuosas. Entretanto, a filha mais velha, Pola, afirmou que ele abusou sexualmente e também fez coisas terríveis com ela. A primogênita tenta o máximo fazer boicote ao nome do ator.

Casal está junto há 20 anos e adotaram duas meninas

Casal está junto há 20 anos e adotaram duas meninas

Muitos diretores usam como argumento que a vida pessoal de Kinski deve ser bastante separada da vida profissional, uma vez que foi um ator genial. Aí voltamos àquele seguinte questionamento “Dá para separar o lado profissional do pessoal?”, “Ainda vamos amar Allen e sua incrível obra?”, “A carreira dele está em xeque?” ou “Qual é a realidade?”.

O diretor Rober Wise fez um artigo defendendo o relacionamento de Soon-Yi e Woody Allen dizendo que Farrow enlouqueceu com a separação e que não tem nada a ver uma relação incestuosa, pois Mia nunca foi casada no papel com Allen, Soon-Yi não o via como pai, e que era maior de idade e poderia fazer o que quiser.

Será que valia a pena fazer um romance para confudir a cabeça dos irmãos e da mãe? Arriscar de piorar uma relação que não é nada boa. Isto mostra que o lado fraternal da mãe e filha era fake e que Soon-Yi só a viu como “a alguém que a criou” e não com o pensamento que muitos têm quando pensam na mãe.

Essas entrevistas pioram cada vez mais o drama de Woody Allen.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.