Simples, divertido e comovente, “Age of Youth” é entretenimento de qualidade

Foi em um dia de tédio que, fuçando a Netflix, achei essa série linda. Age of Youth, ou Hello My Twenties, é uma daquelas histórias que você decide assistir por pura distração mas acaba se apegando mais do que deveria.

Talvez seja melhor nem chamar de série pois pode gerar uma confusão, já que são apenas 12 episódios e, como boa parte das produções sul-coreanas, não deverá ter novas temporadas. Vou chamar de minissérie, então.

Age of Youth, título original, é sobre cinco universitárias que se conhecem em uma república e, com a convivência, acabam se tornando amigas. Elas têm personalidades diferentes, idades diferentes e cursos diferentes e, em boa parte do tempo, essas diferenças acabam causando muita confusão, mas também são responsáveis por unir cada vez mais as garotas.

Com uma abordagem que varia entre a comédia e o drama, a minissérie aborda os mais variados temas, desde questões cotidianas até situações mais complexas (e polêmicas). Diverte e comove na mesma medida. Não vou chegar ao ponto de comparar com Friends ou How I Met Your Mother, mas para quem gosta de histórias que destacam bastante as relações de amizade, essa minissérie é um prato cheio.

O mais legal é que essas garotas poderiam ser qualquer uma de nós: eu, você, sua amiga, irmã, namorada… são personagens reais que vivenciam conflitos reais e, portanto, é impossível não se conectar com ao menos uma delas.

Essa é uma história que você sente necessidade de falar sobre cada uma das personagens até porque todo o enredo funciona por meio da perspectiva de cada uma delas. Então, vamos lá.

A primeira personagem a ser apresentada é a Yoo Eun Jae que é a mais nova das meninas e a última a chegar na república. Muito tímida, ela sofre para se enturmar e, por ter dificuldades para se expressar, acaba ficando em uma posição de ser obrigada a fazer e aceitar coisas que ela não concorda. Também é a personagem com quem eu mais me identifiquei.

Jung Ye Eun pode ser uma personagem difícil de gostar em um primeiro momento, ela é uma grande romântica que inicialmente se mostra bem fútil. Faz de um tudo pelo namorado mas é, muitas vezes, maltratada por ele.

Yoon Jin Myung é a mais velha entre as garotas e tenta equilibrar uma rotina tumultuada com vários empregos e uma faculdade que ela acaba atrasando bastante. É séria e descrita pelas meninas como uma garota que não liga para a própria aparência. Jin Myung detém o plot mais dramático da história e, embora seja uma personagem difícil de se conectar por ser muito fechada, foi a que mais me surpreendeu. A força e determinação dessa mulher não são brincadeira.

Kang Yi Na é dona de um dos plots mais interessantes e bem desenvolvidos. Apresentada inicialmente como uma mulher sensual, diria até petulante, e que dorme com homens por dinheiro, a personalidade e os dramas de Yi Na são desenvolvidos aos poucos, em camadas. Se preocupa muito com as garotas e não tem receio de se meter na vida delas e defendê-las quando fosse necessário.

E, por fim, a Song Ji Won é a única das garotas cujo curso eu lembro, porque ela faz jornalismo assim como eu. Ji Won é a mais espontânea e engraçada das meninas, sempre tentando levar a vida com bom humor, apesar dos problemas. É louca para conseguir um namorado, mas os homens aparentemente não gostam do seu jeito espontâneo de ser.

Age of Youth é um grande exemplo de que, se você se propuser a procurar por séries além da zona EUA-Inglaterra, vai encontrar muita coisa boa. Ah, e talvez, caso você não tenha o costume de assistir a produções coreanas, o idioma pode soar um pouco estranho inicialmente, mas lá pelo terceiro ou quarto episódio você já se acostuma.

Não dá para falar muita coisa sobre uma história com apenas 12 episódios sem soltar spoilers, então, paro por aqui e deixo a minha recomendação. A minissérie foi originalmente transmitida na Coréia do Sul ano passado e está disponível no catálogo da Netflix com o título de Hello, My Twenties.