Khrystal | Foto: Diego Marcel

12 mulheres potiguares de destaque

Hoje, 8 de março, o mundo comemora o dia internacional da mulher, frequentemente relacionado a flores, carinho, ternura e coisas fofas. Eu, particularmente, prefiro relacioná-lo a luta. Afinal, é disso que se trata. Engana-se quem pensa que já temos tudo e que já alcançamos o suficiente. Nós só começamos – coisa que por décadas tivemos medo de fazer.

Por esse motivo, selecionamos aqui uma difícil lista de doze nomes de mulheres potiguares (e quando digo potiguares, me refiro não necessariamente à naturalidade, mas à localidade de sua luta) que têm se destacado nos últimos tempos em suas áreas de atuação, para se admirar e tirar o chapéu. Mulheres que, da sua forma, direta ou indiretamente, participam da movimento feminista e disseminam o poder feminino no estado ou até mesmo país a fora.

Tentamos ser justos e abranger o máximo de áreas possíveis, mas temos plena consciência da impossibilidade dessa missão. Portanto, pedimos desde já desculpas às áreas que não foram contempladas e a nomes que também não saíram na lista (mas tão importantes quanto as citadas). Acontece que as mulheres do nosso estado são tão incríveis, que se fôssemos escrever sobre todas que merecem destaque, a postagem ficaria pronta apenas para o o Dia da Mulher de 2016.

E vamos às guerreiras da terra de Poti:

1. Titina Medeiros

titina-3
Titina Medeiros

Titina Medeiros, potiguar e seridoense (motivo suficiente para ter todo o meu amor), já tinha um longo percurso em grupos de teatro e espetáculos de circulação nacional quando em 2012 ganhou a simpatia de todo o país (e dos potiguares que ainda não a conheciam) ao interpretar a divertida Socorro na novela da Rede Globo Cheias de Charme. Recentemente, em 2014, esteve em outra novela da mesma emissora, Geração Brasil, interpretando a personagem Marisa Pinto Marra. Contudo, limitar as quase duas décadas de trabalho artístico de Titina às suas conquistas televisivas seria muito pouco. A atriz esteve em espetáculos como Sua Incelência, Ricardo III, do grupo Clowns de Shakespeare, que rendeu até matéria na extinta revista Bravo!, especializada em cultura, além de Dos Prazeres e dos Pedaços, Muito Barulho Por Quase Nada, Roda Chico, e outros. Não bastasse isso, é bastante humilde. É comum vê-la prestigiando e aplaudindo de pé os colegas músicos, atores e artistas, em geral, nos mais diversos eventos em Natal.

2. Monica MacDowell

Monica MacDowell é produtora e apoiadora cultural. Do tipo que quase nunca aparece, mas que tem sempre um dedo em quase tudo de bom que aparece por aqui, ela merece o nosso reconhecimento. A frente da produtora Green Point, Monica é responsável por valorizar artistas potiguares e também trazer até nós nomes de abrangência nacional e internacional, através de projetos como o MPB Jazz e o Música no Ar. Com certeza, um dos pilares do movimento cultural do Estado.

3. Khrystal

Khrystal | Foto: Diego Marcel
Khrystal | Foto: Diego Marcel

Khrystal é uma guerreira por essência. Não importa se você a conheceu em uma apresentação em um bar da Ribeira, no Parque das Dunas, ou em sua participação na TV Globo, no programa The Voice Brasil, em 2013: a energia é a mesma. Vejo em Khrystal, atualmente, um dos maiores ícones da música e da cultura potiguar. Após suas aparições televisivas, conquistou o coração não só dos potiguares que entraram em contato com sua música, mas de todo o Brasil, que se encantou particularmente por sua apresentação de “A Carne”. Khrystal é decididamente uma pedra preciosa do nosso Estado.

4. Fátima Bezerra

Fátima-Bezerra-é-parlamentar-mais-atuante
Fátima Bezerra

Como representante das mulheres que fazem a diferença no cenário político do nosso Estado, citamos a senadora Fátima Bezerra. Apesar de ter nascido na Paraíba, Fátima transferiu-se, ainda na adolescência, para Natal, onde construiu sua história. Graduou-se em pedagogia pela UFRN e tornou-se professora da rede pública na prefeitura de Natal e no governo estadual. Em 1995 assumiu o seu primeiro mandato como deputada estadual do RN, cargo que ocupou por dois mandatos. Foi também deputada federal por três mandatos e atualmente é senadora, eleita no primeiro turno das eleições de 2014, concorrendo com Wilma de Faria. Em sua carreira política, Fátima é conhecida por sua luta pela valorização da educação.

5. Emmily Barreto

emmily-barreto-far-from-alaska-circo-voador
Emmily Barreto

Difícil é selecionar Emmily Barreto como representante de um meio musical que só cresce no nosso Estado e se destaca mundo a fora. Emmily é natalense, e em sua trajetória musical já integrou a banda Talma&Gadelha. Atualmente, é vocalista do grupo Far From Alaska, que é o projeto musical potiguar a alçar voos mais altos nos últimos tempos, tendo sido convidados a tocar em um dos maiores festivais alternativos de música do mundo, o Lollapalooza. Parte dos méritos, evidentemente, deve ser atribuído ao talento e voz belíssima e eficiente de Emmily. A frontwoman é uma das difusoras da boa música do nosso Estado e, devido à visibilidade que tem tido, se torna uma espécie de embaixadora do rock potiguar. Junto a ela, citamos a também Far From Alaska Cris Botarelli e a vocalista da banda Plutão Já Foi Planeta, Natália Noronha, que tem arrebatado elogios por onde passa e promete um caminho semelhante ao que vem sendo traçado por Emmily.

6. Helena Maziviero

10007428_504698949636564_872897970935363197_n
Heleza Maziviero | Reprodução Facebook

Helena Maziviero integra a nossa lista como uma representante da maravilhosa safra de boas fotógrafas potiguares que fazem, mais que fotos, arte. Integram o time ainda nomes como Rayane Mainara, Sylara Silvério e Paula Geórgia Fernandes. Contudo, selecionamos Helena para este fim por sua arte dialogar diretamente com o dia em questão. Basta dar uma olhada em seu flickr ou Pinterest para perceber que a mulher é um tema recorrente, o qual a fotógrafa representa através de ensaios com terceiros e belíssimos autorretratos. Sempre de maneira muito sensível, Helena é uma fotógrafa de almas que não se limita a expressões faciais e técnicas curiosas. Suas lentes vão além e captam corpos e sensações humanas de forma intimista. Um trabalho artístico indubitavelmente admirável.

7. Joanisa Prates

Joanisa Prates Boeira é formada em radialismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e nasceu em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. Trabalha como atriz no Grupo Estação de Teatro, está sempre envolvida com mobilizações por causas sociais e ambientais, e é fotógrafa. Além disso, é conhecida por trabalhar como assessora de imprensa na área cultural, com passagem pelo IFRN de Cidade Alta, Casa da Ribeira e grupos de teatro. Joanisa foi uma das pessoas que lutou contra a criação de uma lagoa de captação no bairro de Capim Macio. O projeto iria destruir uma grande área verde existente no local, mas a mobilização social permitiu que, em vez disso, se originasse o Parque de Capim Macio.

DSCN7236
Quitéria Kelly

8. Quitéria Kelly

Quitéria Kelly é atriz do grupo de Teatro Carmin, criado em janeiro de 2007, junto com a atriz Titina Medeiros. Elas queriam pesquisar temas urbanos que pudessem ser retratados de forma cômica. Para isso, se juntaram ao diretor e dramaturgo Henrique Fontes e o cenógrafo Mathieu Duvignaud. Desde 2012 o Grupo Carmin tem Quitéria e Henrique Fontes como colaboradores fixos. Eles deram início à pesquisa sobre exclusão doméstica e no meio do processo, Henrique acha uma frasqueira de uma senhora de 91 anos abandonada no lixo, com várias informações sobre sua vida. Surge, então, a peça “Jacy”, encenada mais de trinta vezes no Rio Grande do Norte e em outros estados do Brasil. Quitéria é de uma graça e simpatia envolventes. É detentora de um talento que provoca orgulho nos potiguares mais bairristas e batalha como poucos pelo cenário cultural da cidade.

9. Geórgia Nery

Geórgia Luana dos Santos Nery é jornalista, assessora de imprensa de empresas privadas e públicas, ocupou o cargo de assessora na Assembleia Legislativa e de diretora da TV Assembleia. Também já foi âncora em uma das maiores emissoras do Estado. Atualmente, ela está a frente da Secretaria de Comunicação na gestão do governador Robinson Faria, depois de uma grande safra de nomes masculinos assumindo o cargo. É uma das responsáveis, junto ao jornalista Paulo Araújo, pelo processo de revitalização do jornal “A República” e do Departamento Estadual de Imprensa (DEI) do Rio Grande do Norte. Citamos aqui Geórgia como uma das mulheres que têm feito diferença no jornalismo e na comunicação potiguar. Junto a ela, há nomes como Margot Ferreira, Nadjara Martins (que tem se destacado no jornalismo da Tribuna do Norte) e a jornalista, professora e pesquisadora Érika Zuza.

10. Clarissa Torres

Clarissa Torres | Reprodução Facebook
Clarissa Torres | Reprodução Facebook

Clarissa Torres é natural de Mossoró e é especialista em Artes Visuais pela Universidade de Campinas (UNICAMP). A maior parte de suas obras possui um estilo chamado surrealismo pop e cativa ao primeiro contato com seus traços coloridos e agradáveis. Ela já expôs seus trabalhos em vários lugares, dentro de fora de Natal, incluindo a Pinacoteca do Estado e o Cirque Du Soleil. Recentemente, ela criou um espaço em Natal chamado “Surto Cultural”, em Ponta Negra, uma casa que respira cultura.

11. Leilane Assunção

Leilane Assunção, historiadora e pesquisadora com doutorado na área de cultura musical, é também uma das primeiras professoras universitárias trans do Brasil (há teorias que a defendem como a primeira) e única da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Possui graduação e mestrado em História e doutorado em Ciências Sociais pela UFRN. Além disso, é militante política LGBT e antiproibicionista.

12. Sandra Erickson

Sandra Sassetti Fernandes Erickson é paraibana do município de Sousa e é bacharel em Filosofia na Wester Carolina University, mestre em Língua Inglesa na Texas A&M University e doutora em Literatura e Cultura Brasileira na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Além de ser uma das mais conceituadas professoras do Departamento de Letras da UFRN, é também conhecida pelo seu engajamento político e por ser uma das maiores defensoras dos protestos pacíficos. Participou da Revolta do Busão, contra o aumento das passagens das tarifas do transporte público, e é uma das defensoras da independência do Tibete.