A evolução das séries teen

363965-big-bang-theory

A programação de TV destinada aos adolescentes está em constante mudança, por isso a cada ano a cultura pop vem crescendo mais e ganhando o devido espaço com séries de super-heróis, de ficção científica e outras que inserem os nerds e suas peculiaridades.

Na década de 80, muitas séries eram feitas para a família, geralmente comédias. Porém, foi nos anos 2000, especificamente em 2004, que o México (mais uma vez) lançou um sucesso no mundo, Rebelde ou RBD, surgiu na TV mexicana e simplesmente explodiu no mundo inteiro. E quando RBD respingou em terras tupiniquins, o sucesso foi quase que imediato.

A grande maioria dos adolescentes só falava da novela que fazia jus ao seu nome, onde se pregava a rebeldia de garotos e garotas e que provavelmente estabeleceu uma base para os filmes e séries posteriores, que abordavam as curiosidades e desventuras da High School. Claro que essa maneira de fazer filmes e séries não era mais novidade nos EUA, tendo em mente que em muitos filmes são reconhecidos os grupos de patricinhas, jogadores, nerds e outros estereótipos utilizados até hoje.

rbd-51218a67ab64b

Maior sucesso teen mexicano

Dois anos após o sucesso da novela mexicana surge no cinema a supremacia jovem da Disney “High School Musical”, que estreou nos cinemas no mesmo ano em que surgia outra bomba de dinheiro, “Hannah Montana”. Os dois programas foram sonhos de muitos jovens da época, tendo como seu principal público-alvo as meninas que sonhavam com namorados perfeitos, cabelos angelicais, ou com a vida de popstar perfeita, cheia de amigos e metida em altas confusões.

Nos anos seguintes, a Disney veio dominando a mente dos jovens com sucessos estrondosos como Camp Rock, Os Feiticeiros de Waverly Place, Zack e Cody, Sunny Entre Estrelas, Jonas Brothers, e outros milhares de exemplos. Porém, não foi só a Disney que comandou a mente dos jovens com a perfeição utópica da vida, a Nickelodeon também teve sua participação com séries como Big Time Rush e iCarly, o grande sucesso da empresa.

Os anos se passaram, e a Disney, assim como a Nick, foi deixando de produzir as séries citadas, preferindo apostar em coisas novas. Sob essas novas circunstâncias, as produções seguintes das empresas foram despencando na audiência, além de cair absurdamente a qualidade da nova leva de séries e várias delas (quase a maioria) não levou os jovens à loucura como nos anos de 2006 – 2011.

ICarly

iCarly

Durante o período entre 2006 e 2011, surgiu a série que iria mais uma vez remodelar o conceito dos jovens: The Big Bang Theory. Porém, só em meados de 2011 para 2012 a série explodiu no Brasil e todo mundo começou a assistir. Os jovens, antes consumidores de “vidas perfeitas”, começaram a se tornar pseudo-nerds, consumindo coisas antes esquecidas, como quadrinhos de heróis, ficção cientifica, etc. Esse foi o grande “boom” para a reformulação da ideia, e mais quadrinhos começaram a sair das bancas. Justamente nessa data, mais especificamente em 2008 (um ano depois do lançamento de The Big Bang Theory) estreou nos cinemas o primeiro filme do Homem de Ferro, o que levou as pessoas a consumirem ainda mais os produtos.

Nos anos seguintes, a Marvel lançou mais filmes desse gênero e com isso a cultura pop foi impulsionada, séries e mais séries apareceram aqui e ali, cada vez mais adentrando no mundo da cultura pop, bonecos dos personagens favoritos do público foram sendo fabricados e lançados ao mercado fazendo a coisa estourar de vez pelo mundo afora.

A diferença de público e preferências entre os anos é algo assustador, o que alguns anos atrás era moda e todo mundo assistia, hoje não passa de um produto infantilizado aos olhos da nova geração. Algumas, no entanto, permaneceram firmes e fortes, com a ajuda da nostalgia e das várias reprises na televisão aberta e fechada.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.