Batman Terra Um: um novo olhar sobre o Cavaleiro de Gotham

Todo fã de história em quadrinhos, independente da intensidade do seu fanatismo, conhece de cor e salteado a história do maior detetive do mundo, Batman, e apesar da mesma ser bastante conhecida, ainda é possível recontá-la, surpreendendo qualquer leitor, como é o caso do atual lançamento da DC Comics, Batman Terra Um.

Bartman-Earth-One

A tragédia que cerca a vida do cavaleiro de Gotham já fora utilizada em várias mídias distintas, desde gibis ao cinema, passando pelo mundo dos games. Entretanto, nesta HQ, o jovem Bruce Wayne, após o misterioso assassinato dos seus pais, passa a ser criado pelo herói de guerra Alfred Pennyworth, amigo e ex-colega de forças armadas de seu pai, Thomas Wayne.

Capa de "Batman: Terra Um", da DC Comics
Capa de “Batman: Terra Um”, da DC Comics

O único herdeiro dos Wayne passa então a ter uma educação que o treinaria para combater o mal que assola Gotham e, após anos de preparação, o Cruzado Encapuzado surge na noite a procura dos responsáveis pela morte dos seus pais, num misto de sentimentos que se sustentam entre a vingança e a justiça. O inexperiente Batman descobrirá que suas ações irão inspirar os cidadãos de Gotham a combater a corrupção e a violência que os tornam reféns do principal vilão da cidade: o prefeito Oswald Cobblepot.

A publicação, assinada por Geoff Johns (roteirista de Crise Infinita) e Gary Frank (primeiro desenhista de Aves de Rapina), é o segundo lançamento do selo da DC chamado Earth One (traduzido de forma literal no Brasil como Terra Um), cujo primeiro fora Superman Terra Um. O selo tem por objetivo reescrever as origens dos principais super-heróis da DC sob uma nova perspectiva.

Batman Earth One

Terra Um foi criado em 2009 e prima por reunir as melhores equipes de criação em histórias em quadrinhos da atualidade. A finalidade é abordar sob o formato de graphic novel o folclore acerca dos já consagrados super-heróis do Universo DC, bem como tudo o que os cerca, como aliados e vilões, fazendo com que a paixão pelas histórias em quadrinhos seja reafirmada. Mesmo numa época onde blockbusters em formato de séries, filmes e games predominam, os gibis se mostram capazes de coexistir elegantemente com estes novos formatos de mídia.