birdman“Birdman” venceu a categoria de “Melhor Filme” no Academy Awards, que aconteceu neste domingo (22). Além disso, recebeu as estatuetas por melhor roteiro original, fotografia e direção. Dirigido por Alejandro González Iñárritu, retrata a história de Riggan Thomson, que fez muito sucesso interpretando um super-herói.

Entretanto, sua carreira começou a decair quando recusou estrelar a quarta edição da franquia com o personagem. Para alcançar o reconhecimento como ator, ele decide dirigir, roteirizar e estrelar a adaptação de um texto consagrado para a Broadway.

Patricia Arquette

Patricia Arquette vencedora de “Melhor Atriz Coadjuvante” por “Boyhood”

“Birdman” conseguiu derrotar o maçante “Boyhood”, produção de Richard Linklater, que era apontada como a favorita para o principal prêmio do Oscar e demorou 12 anos para ficar pronto.  Apesar disso, a atriz Patricia Arquette, que interpreta a mãe solteira do jovem Manson (Ellar Coltrane), ganhou o Oscar de “Melhor Atriz Coadjuvante”.

O “Melhor Roteiro Adaptado” ficou com “O Jogo da Imitação”, uma cinebiografia de Alan Turing, pioneiro na computação que levou um grupo de estudiosos no projeto Ultra, a fim quebrar os códigos de guerra da Alemanha Nazista, ajudando a salvar milhões de vidas.

Eddie Redmayne alcançou o prêmio de “Melhor Ator”. Ele interpretou muito bem o cientista Stephen Hawking em “A Teoria de Tudo”, que retrata a história do primeiro casamento dele e de sua descoberta da doença Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

“Este Oscar é para todas pessoas no mundo todo que sofrem de ELA e também para a excepcional família de Stephen Hawking”, agradeceu Redmayne.

Eddie Redmayne

Eddie Redmayne

Já o prêmio de “Melhor Atriz” foi para Julianne Moore, após ter sido indicada cinco vezes ao Oscar, sempre batendo na trave. Ela interpretou uma portadora de Mal de Alzhaimer em “Para Sempre Alice”.

Julianne Morre e seu Oscar

Julianne Morre e seu Oscar

J.K. Simmons, "Melhor Ator Coadjuvante"

J.K. Simmons, “Melhor Ator Coadjuvante”

J.K. Simmons recebeu a estatueta de “melhor ator coadjuvante”, atuando como um professor carrasco em “Whiplash”, que também recebeu prêmios por melhor mixagem de som e montagem.

A animação “Operação Big Hero” foi a vencedora da noite, tirando o favoritismo de “Como Treinar o Seu Dragão 2”. Por falar em derrotas, “Sal da Terra”, que fala sobre o fotógrafo Sebastião Salgado, perdeu a categoria de “Melhor Documentário” para “CitizenFour”, que retrata o escândalo de espionagem denunciado por Edward Snowden.

A emocionante “Glory”, do filme “Selma”, interpretado por John Legend e Common foi a vencedora da categoria “Melhor Canção Original”.

John Legend e Common recebendo o Oscar

John Legend e Common recebendo o Oscar

“Ida”, por sua vez, arrebatou o prêmio de “melhor filme estrangeiro”. A sinopse trata sobre o retrato da Polônia com o nazismo e comunismo no século XX. O mesmo desbancou a produção russa “Leviatã”.

“Quero agradecer a Academia por este prêmio fantástico”, disse o diretor Pawel Pawlikowski em seu agradecimento.

Outro indicado ao Oscar, “O Grande Hotel Budapeste”, dirigido por Wes Anderson, ganhou prêmio nas categorias técnicas, como maquiagem, figurino, trilha sonora e design de produção. A ficção científica “Interestelar”, que recebeu muitas indicações nas categorias técnicas e tido como o grande injustiçado do Oscar, recebeu apenas um prêmio por “Melhores Efeitos Especiais”.

O apresentador da edição 2015 do Oscar foi Neil Patrick Harris, o eterno Barney Stinson, de “How I Met Your Mother”, que conseguiu fazer uma apresentação boa e cujo ritmo lembrou, com algumas ressalvas, a de Ellen DeGeneres no ano anterior.

Neil Patrick Harris foi o apresentador do Oscar 2015

Neil Patrick Harris foi o apresentador do Oscar 2015

A premiação se dividiu em momentos engraçados e outros previsíveis, como a apresentação de “Everything Is Awesome” (que deu o Oscar de Lego para alguns dos presentes), a tiração de Neil Patrick Harris com a presença do ator Steve Carell ou quando o ator se apresentou de cueca para homenagear “Birdman”. Porém, muitos reclamaram na rede social da falta de autenticidade.

A parte musical foi considerada marcante pelos telespectadores do Academy Awards, sendo uma novidade neste ano, pois muitos rotulam como a parte mais chata durante a premiação. Nas redes sociais muitos elogiaram, as apresentações dos artistas que cantaram os indicados para “melhor canção original”. Entretanto, o que chamou mais atenção mesmo foi a cantora Lady Gaga, antes da apresentação de “Melhor Trilha Sonora”,  que homenageou a atriz Julie Andrews pelos 50 anos de “A Noviça Rebelde”.

O Oscar surgiu no dia 11 de maio de 1927 e está é a sua 87 ª premiação. Os vencedores são escolhidos por uma equipe da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, fundada em Los Angeles, nos Estados Unidos.

oscars-2015

Melhor Filme:
“Sniper americano”
“Birdman”
“Boyhood: Da infância à juventude“
“O grande hotel Budapeste”
“O jogo da imitação”
“Selma”
“A teoria de tudo”
“Whiplash“

Melhor diretor:
Alejandro Gonzáles Iñárritu (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
Bennett Miller (“Foxcatcher: Uma história que chocou o mundo”)
Wes Anderson (“O grande hotel Budapeste”)
Morten Tyldum (“O jogo da imitação”)

Melhor ator:
Steve Carell (“Foxcatcher”)
Bradley Cooper (“Sniper americano”)
Benedict Cumberbatch (“O jogo da imitação”)
Michael Keaton (“Birdman”)
Eddie Redmayne (“A teoria de tudo”)

Melhor ator coadjuvante:
Robert Duvall (“O juiz”)
Ethan Hawke (“Boyhood”)
Edward Norton (“Birdman”)
Mark Ruffalo (“Foxcatcher”)
JK Simmons (“Whiplash”)

Melhor atriz:
Marion Cotillard (“Dois dias, uma noite”)
Felicity Jones (“A teoria de tudo”)
Julianne Moore (“Para sempre Alice”)
Rosamund Pike (“Garota exemplar”)
Reese Witherspoon (“Livre”)

Melhor atriz coadjuvante:
Patricia Arquette (“Boyhood”)
Laura Dern (“Livre”)
Keira Knightley (“O jogo da imitação”)
Emma Stone (“Birdman”)
Meryl Streep (“Caminhos da floresta”)

Melhor documentário:
“O sal da terra”
“CitizenFour”
“Finding Vivian Maier”
“Last days”
“Virunga”

Melhor filme em língua estrangeira
“Ida” (Polônia)
“Leviatã” (Rússia)
“Tangerines” (Estônia)
“Timbuktu” (Mauritânia)
“Relatos selvagens” (Argentina)

Melhor documentário em curta-metragem
“Crisis Hotline: Veterans Press 1”
“Joanna”
“Our curse”
“The reaper (La Parka)”
“White earth”

Melhor animação:
“Operação Big Hero”
“Como treinar o seu dragão 2″
“Os Boxtrolls”
“Song of the sea”
“The Tale of the Princess Kaguya”

Melhor animação em curta-metragem
“The bigger picture”
“The dam keeper”
“Feast”
“Me and my moulton”
“A single life”

Melhor curta-metragem em ‘live-action’
“Aya”
“Boogaloo and Graham”
“Butter lamp (La lampe au beurre de Yak)”
“Parvaneh”
“The phone call”

Melhor roteiro original:
Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris Jr. e Armando Bo (“Birdman”)
Richard Linklater (“Boyhood”)
E. Max Frye e Dan Futterman (“Foxcatcher”)
Wes Anderson e Hugo Guinness (“O grande hotel Budapeste”)
Dan Gilroy (“O abutre”)

Melhor roteiro adaptado:
Jason Hall (“Sniper americano”)
Graham Moore (“O jogo da imitação”)
Paul Thomas Anderson (“Vício inerente”)
Anthony McCarten (“A teoria de tudo”)
Damien Chazelle (“Whiplash”)

Melhor fotografia:
Emmanuel Lubezki (“Birdman”)
Robert Yeoman (“O grande hotel Budapeste”)
Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski (“Ida”)
Dick Pope (“Sr. Turner”)
Roger Deakins (“Invencível”)

Melhor figurino:
Milena Canonero (“O grande hotel Budapeste”)
Mark Bridges (“Vício inerente”)
Colleen Atwood (“Caminhos da floresta”)
Anna B. Sheppard e Jane Clive (“Malévola”)
Jacqueline Durran (“Sr. Turner”)

Melhor canção original:
“Everything is awesome”, de Shawn Patterson (“Uma aventura Lego”)
“Glory”, de John Stephens e Lonnie Lynn (“Selma”)
“Grateful”, de Diane Warren (“Além das luzes”)
“I’m not gonna miss you”, de Glen Campbell e Julian Raymond (“Glen Campbell…I’ll be me”)
“Lost Stars”, de Gregg Alexander e Danielle Brisebois (“Mesmo se nada der certo”)

Melhor maquiagem e cabelo
Bill Corso e Dennis Liddiard (“Foxcatcher”)
Frances Hannon e Mark Coulier (“O grande hotel Budapeste”)
Elizabeth Yianni-Georgiou e David White (“Guardiões da Galáxia”)

Melhor trilha sonora
Alexandre Desplat (“O grande hotel Budapeste”)
Alexandre Desplat (“O jogo da imitação”)
Hans Zimmer (“Interestelar”)
Gary Yershon (“Sr. Turner”)
Jóhann Jóhannsson (“A teoria de tudo”)

Melhor edição de som
Alan Robert Murray e Bub Asman (“Sniper americano”)
Martín Hernández e Aaron Glascock (“Birdman”)
Brent Burge e Jason Canovas (“O hobbit: A batalha dos cinco exércitos”)
Richard King (“Interestelar”)
Becky Sullivan e Andrew DeCristofaro (“Invencível”)

Melhor mixagem de som
John Reitz, Gregg Rudloff e Walt Martin (“Sniper americano”)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e Thomas Varga (“Birdman”)
Gary A. Rizzo, Gregg Landaker e Mark Weingarten (“Interestelar”)
Jon Taylor, Frank A. Montaño e David Lee (“Invencível”)
Craig Mann, Ben Wilkins e Thomas Curley (“Whiplash”)

Melhor design de produção
“O grande hotel Budapeste”
“O jogo da imitação”
“Interestelar”
“Caminhos da floresta”
“Sr. Turner”

Melhores efeitos visuais
Dan DeLeeuw, Russell Earl, Bryan Grill e Dan Sudick (“Capitão América 2: O soldado invernal”)
Joe Letteri, Dan Lemmon, Daniel Barrett e Erik Winquist (“Planeta dos macacos: O confronto”)
Stephane Ceretti, Nicolas Aithadi, Jonathan Fawkner e Paul Corbould (“Guardiões da Galáxia”)
Paul Franklin, Andrew Lockley, Ian Hunter e Scott Fisher (“Interestelar”)
Richard Stammers, Lou Pecora, Tim Crosbie e Cameron Waldbauer (“X-Men: Dias de um futuro esquecido”)

Melhor montagem
Joel Cox e Gary D. Roach (“Sniper americano”)
Sandra Adair (“Boyhood”)
Barney Pilling (“O grande hotel Budapeste”)
William Goldenberg (“O jogo da imitação”)
Tom Cross (“Whiplash”)

Deixe um comentário

Your email address will not be published.