O quadrinista catarinense, Chicolam, pisou em solos natalenses pela primeira vez para participar da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal (FLiQ). Antes da realização de seu bate-papo sobre a relação entre o quadrinho com as questões de meio ambiente, feito nesta quinta-feira (23), ele conversou com a equipe d’O Chaplin. Ele é o criador do projeto Menino-Caranguejo.

Natural do município de Joinville, ele é criador do personagem Menino-Caranguejo, que surgiu a partir da necessidade de criar um super-herói vindo do Brasil sem aquele estereótipo criado nas produções norte-americanas. “O Menino-Caranguejo nasceu para ser um super-herói brasileiro, pois sempre senti falta disso”, alega.

Além disso, Chicolam percebeu que 90% da vegetação de Joinville é composta por manguezal, um dos tipos de vegetação mais comum no Brasil e lembrou que este tipo de ecossistema não recebe o seu devido valor.  “Fui na contra-mão de que a maioria das produções brasileiras fazem, pois muita gente não gosta deste lugar, dizem que é sujo, feio e fedido. Aí como gosto muito de biologia e percebi que há uma carência em debater o manguezal. Então, o personagem defende o manguezal e as pessoas comecem a pensar de uma forma diferente”.

O quadrinista então criou o “Menino Caranguejo”, cujo o personagem principal de mesmo nome luta para defender os problemas existentes do manguezal. O que era para ser uma simples história em quadrinhos com temática de proteção ao meio ambiente adquiriu proporções maiores. Então, Chicolam começou a fazer um trabalho de conscientização nas escolas sobre a importância de se preservar o mangue.

Chicolam é o criador do personagem Menino Caranguejo (Foto: Fliq)

Chicolam é o criador do personagem Menino Caranguejo (Foto: Fliq)

“Aí o personagem cresceu, começamos a fazer trabalhos nas escolas e a ideia saiu do nicho. Agora distribuímos quadrinhos nas escolas e deixamos todo o material de forma gratuita na internet para todo mundo ver”, declara.

Para a cidade do Natal, Chicolam entregou 30 kg de caixas com as revistinhas do herói brasileiro para as escolas e contou que a recepção dos alunos e professores está bem receptiva. “Muitos gostam do trabalho, têm curiosidade com o personagem e cria-se uma identidade com ele. Esta é a energia que faz o trabalho para continuar”

Ele também criou uma Organização Não Governamental (ONG) chamada Instituto Caranguejo de Educação Ambiental, na qual realiza campanhas de proteção e defesa do manguezal, além de atividades de pesquisa sobre a educação ambiental, a partir de visitas em escolas e comunidades.

Eles ainda pretendem montar uma oficina de desenho para aqueles que não têm condições financeiras para pagar uma escola de arte. Quer saber mais sobre o trabalho social de Chicolam? Acesse o site do projeto.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.