Curta potiguar “Sêo Inácio” vai para o Festival de Gramado

Sêo Inácio vai ser exibido nas telonas de Gramado (Foto: Divulgação)

Sêo Inácio vai ser exibido nas telonas de Gramado (Foto: Divulgação)

O curta “Sêo Inácio (ou O Cinema Imaginário)”, de direção de Hélio Ronyvon, será exibido no 43º Festival de Cinema de Gramado, um dos mais importantes eventos do audiovisual brasileiro. A película está na lista com curtas de São Paulo, Pernambuco, Bahia,  Rio Grande do Sul, e Mato Grosso, escolhidos a partir de uma comissão composta por jornalistas e cineastas.  Neste ano “Sêo Inácio” venceu alguns prêmios na edição 2015 do Festival Goianum.

O diretor começou a carreira no audiovisual em 2009, quando ingressou na universidade. De acordo com Hélio, a ideia começou em dezembro de 2010, numa matéria para o curso de Rádio e TV da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A intenção era gravar uma reportagem com os responsáveis sobre a banca Sétima Arte, no bairro de Cidade Alta, que conta com um acervo de filmes de todas as décadas e tipos.  Entretanto, um problema apresentou-se: o dono do local não queria ser entrevistado de jeito nenhum.

O dono convenceu Hélio a gravar com um senhor que estava do seu lado e tinha mais ou menos 70 anos, um fanático por cinema que garantiu ter visto mais de 20 mil filmes em toda a sua vida.

“A cegueira que nos acometeu foi tamanha que sequer havíamos notado Inácio. Como não tivemos outra opção, pedimos para gravar com ele. Logo de cara, percebi que ele não poderia ter sua história resumida a uma matéria de três minutos”, disse.

Então surge a construção do documentário, que demorou quase três anos para ficar pronto. O que era para ser apenas 3 minutos, terminou em 13. “Tínhamos dificuldades financeiras e não podíamos nos dedicar apenas a isso, e o próprio processo pedia um tempo mais dilatado de aproximação, encontro. Precisávamos coexistir e nos reconhecer mutuamente para que o resultado final fosse mais próximo da relação que construímos e de quem ele é em seu cotidiano”.

Sobre participar de um festival importante, o diretor afirma que a aparição das produções audiovisuais potiguares podem ajudar na luta por melhorias e investimentos nos trabalhos dos realizadores potiguares.

“Nós, enquanto segmento, damos o nosso melhor e tiramos leite de pedra para fazer nossos projetos, uma vez que os investimentos públicos e privados ainda são escassos. Estamos nos unindo e lutando, aos poucos, para conseguir realizar nossa arte. O cinema de guerrilha ainda impera e não conseguimos viver única e exclusivamente disso, porém essas dificuldades propiciam um intercâmbio entre os grupos, o que é muito bom. O aprendizado tem que ser constante e o audiovisual é um trabalho de grupo”, enfatizou.

A informação de que eles iriam participar do Festival do Gramado foi anunciada pelo próprio site do evento. Hélio garantiu que ele e a equipe vão pisar em solos gaúchos, mas que também querem levar Inácio para o local, apesar de não saber como e se ele vai querer ir.

“Através de um processo de imersão na vida de Inácio, nos abrimos para compreender seu cotidiano e sua forma de enxergar o mundo, ao mesmo tempo em que aprendíamos sobre o fazer documental e crescíamos enquanto seres humanos e profissionais”.

Ficha técnica

Direção: Helio Ronyvon
Produção executiva: Luana França
Direção de fotografia: Jomar Dantas
Assistente de direção: Pipa Dantas
Produção: Frank Aleixo, João Pinheiro
Assistente de câmera: Jordana Lopes
Operadores de câmera: Jomar Dantas, Jordana Lopes, Pipa Dantas
Som direto: Frank Aleixo, Helio Ronyvon, João Pinheiro
Coloração: Jomar Dantas
Montagem: Pipa Dantas

One Response

Deixe um comentário

Your email address will not be published.