Parte I: Oscar, Injustiças e Stan Winston

Já estava na hora de o vencedor do Oscar de Efeitos Especiais voltar a ganhar um dos dois prêmios principais: Melhor Filme ou Melhor Diretor. Este ano, As Aventuras de Pi consegui isso, levou quatro prêmios para casa: Melhor Diretor(Ang Lee), Melhor Efeitos Especiais, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora.

A última vez que o vencedor do prêmio de Efeitos Especiais levou também Melhor Diretor ou Filme foi por O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, em 2004. E até essa vitória de Pi não faltaram filmes que pudessem repetir o feito. Os quatro últimos vencedores de Efeitos Especiais que também foram indicados a Melhor Filme e Diretor poderiam facilmente ter levado esses prêmios principais para casa, foram eles: A Invenção de Hugo Cabret (2012), A Origem (2011, não indicado a Melhor Diretor, só a Melhor Filme), Avatar (2010) e O Curioso Caso de Benjamin Button (2009). E com exceção de Benjamin Button, todos esse vencedores de Efeitos Especiais que eu citei também levaram o Oscar de Melhor Fotografia.

As Aventuras de Pi. Não é belo?

Outros pouquíssimos filmes no decorrer da história do Oscar conseguiram realizar essa dobradinha vitoriosa (Efeitos Especiais/ Diretor ou Filme) foram: Gladiador (2001), Titanic (1998), Forrest Gump (1995) e Ben-Hur (1960). Este último, na verdade, ganhou por uma categoria um pouco diferente: Efeitos Visuais e Efeitos Sonoros estavam na mesma categoria na época.

2001: Uma Odisseia no Espaço é o vencedor do Oscar de Efeitos Especiais mais aclamando. 2001 não levou Melhor Filme ou Diretor para casa, ele nem sequer foi indicado a melhor filme! Outros filmes fantásticos que venceram Efeitos Especiais e foram ignorados nos prêmios principais foram: Matrix (2000), Jurassic Park (1994), Exterminador do Futuro 2 (1992), Aliens: O Resgate (1987), Blade Runner (1983) – que não ganhou, foi apenas indicado, perdeu para E.T. que foi indicado para Melhor Filme mas, adivinhem, não ganhou -, Alien (1980) e Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1978) – este foi apenas indicado, perdeu para Star Wars, mas vale ressaltar que esta obra-prima do Spielberg com oito indicação, inclusive Melhor Diretor, não foi indicado a Melhor Filme.

É de verdade? Diz que sim

Mas você pode estar se perguntando o por que de eu fazer essa ligação entre as categorias Melhor Filme e Melhor Efeitos Especiais. De fato, a comparação vai além da questão de premiação. Com certeza você já escutou a seguinte frase “Ah, esse filme só tem efeitos especiais”. Há um preconceito contra aqueles filmes que usam largamente efeitos especiais. Eles são geralmente taxados de filmes pipoca com o único objetivo de fazer dinheiro. Não estou dizendo que isto não acontece, há filme que usa muito mal os efeitos especiais, mas eles são como qualquer outra ferramenta cinematográfica, podem ser mal usados ou bem usados, como dizia o Truffaut: “Não existe filme ruim, existe diretor medíocre”. O Steven Spielberg é medíocre? Eu tenho certeza que não. E o James Cameron? Medíocre? Nem em Pandora, meu amigo.

James Cameron dirigiu cinco filmes que venceram o Oscar de Efeitos Especiais, os já citados Avatar, Titanic, Exterminador do Futuro 2 e Aliens: O Resgate, e um que ainda não falei, O Segredo do Abismo (1989), que mostra a paixão do Cameron pelo fundo do mar. Desses, apenas Titanic venceu Melhor Filme.

Head Shot! Ops, ta vivo ainda! T 1000 filho de uma…

Spielberg teve que fazer A Lista de Schindler (1993) para finalmente os votantes da academia lhe concederem a estatueta de Melhor Diretor. Filmes como E.T e Indiana Jones: Os caçadores da Arca Perdida apesar de terem sidos indicados nas categorias principais não foram premiados por elas. Há aqueles filmes que tem um grande uso de efeitos especiais, mas as pessoas não comentam seu uso, como em O Resgate do Soldado Ryan (1998), pelo qual o Spielberg ganhou seu segundo Oscar de Melhor Diretor, ou você acha que aquelas batalhas foram reais, que todo aquele povo morreu? Luto.

Você obviamente conhece Spielberg e o Cameron, mas e o Stan Winston? Conhece? E se eu disser que ele já ganhou quatro Oscar? E esses quatro Oscar foram por filmes citados aqui? Stan Winston é o mago dos efeitos visuais. Venceu o Oscar por Jurassic Park, Aliens e Exterminador do Futuro 2 (nesse, além de Efeitos Especiais, também levou por Melhor Maquiagem). Winston também teve indicações por Melhor Maquiagem (que é um tipo de efeito visual prático direcionado) por filmes como Edward Mãos de Tesoura (1991) e Batman: O Retorno (1993) , perdendo para o Drácula de Bram Stoker (1992) do Coppola (olha ai, mais um grande diretor que usou largamente efeitos especiais). Winston dividiu essas indicações de Maquiagem com Ve Neill, vencedora de três Oscar na categoria.

Eu me pergunto se o Kubrick é mesmo humano

Na segunda parte desse especial falarei mais sobre Maquiagem no Cinema e consequentemente a diferença dos efeitos práticos e os gerados por computador, sobre os efeitos especiais que você vê e aqueles que você não vê.

4 Responses

  1. Avatar
    Alves

    Concordo que efeitos especial seja arte também, porem acho que os filmes tem que se preocupar mais com a narrativa do que com os efeitos e isso não ocorreu em PI. Alem do mais dar a PI o premio de melhor fotografia é deturpar o premio.

    Responder
  2. Avatar
    Jonathan De Assis

    Olá, Alves

    Vou ter que discordar de você. Sem os efeitos de Pi não haveria narrativa de Pi. Todos os efeitos especiais estão ali para contar essa historia que é um tanto fantástica. Criar o Richard Parker( o tigre) não é fundamental para contar essa historia? Usar o tigre de verdade seria muito arriscado e não traria os efeitos desejados para a historia. E o naufragio? As tempestados no mar? Tudo efeito especial, e sem duvida de grande importância para contar a historia visualmente, pois Pi tem pouquissimos dialogos, e toda a informação é passada visualmente, e sem os efeitos isso não seria possivel.

    Quanto a fotografia, não creio que premiar Pi seja deturpar o premio. Alias, foi um prémio merecido. Creio que você fala sobre isso pois Pi foi filmado digitalmente, e a fotografia dele é só efeito especial, não é? Independente do que está na tela foi filmado diante da camera ou foi posto depois, a fotografia ainda é a busca pelo melhor angulo, o melhor enquadramento, a melhor forma de contar a historia visualmente, e Pi faz isso. Não sei, se você teve o prazer de ver o filme em 3D, por que é espetacular. Sempre tem aquela divisão dos filmes que usam 3D: coisas saindo da tela ou profundidade de campo, Pi faz as duas coisas. Uma ilustração do grande trabalho de fotografia de Pi pode ser a cena do naufragio: Pi está debaixo d’agua e em primeiríssimo plano, na nossa cara, e ao fundo vemos o barco afundando, com uma enorme profundidade de campo, as duas tecnicas maravilhosamente usadas, sem contar que foi filmado debaixo d’agua, mas uma dificuldade na fotografia. Há diversos outros planos magistralmente filmados, mas eu recomendo que você reveja o filme com essas informações que coloquei aqui. Vale a pena.

    Responder
  3. Avatar
    Alves

    Enquadramento feitos por computador,um processo quase que totalmente digital (software), uma proposta totalmente diferente de quando se criou o premio de melhor fotografia onde os enquadramentos são criados por planos desenhados por uma câmera (hoje em dia analógica ou não digital), como a própria definição de fotografia sugere técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa, fixando-as em uma superfície sensível. Ao meu ver uma tela verde no fundo onde criamos um mundo 3D onde os enquadramentos são feita por software não esta fazendo enquadramento que se encaixe com a essência do premio.
    Não discordo que os efeitos especiais são de total importância para a narrativa, mas ao assistir o filme achei uma narrativa pobre e ate cliché (quando paramos de verdade para analisar o personagem e o tigre logo percebemos ali a ideia do filme) vi ali mais uma tentativa de vislumbre visual criado pelo 3D (como imagens saltando da tela e nos vislumbrando). Acho que pra mim o 3D seria muito melhor se trabalhado como forma de enriquecer a narrativa, uma ferramenta a mais para narrativa e não uma busca de vislumbra visual das imagens que saltam a tela.

    Vlw por propiciar essa discussão cara.

    Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.