Se estivesse viva, a escritora Clarice Lispector completaria 93 anos nesta terça-feira (10). Nascida na Ucrânia, a escritora veio para o Brasil muito pequena, acompanhando os pais judeus, perseguidos durante a Guerra Civil Russa.

Clarice também trabalhou como  jornalista e tradutora. Seu jeito de escrever, no qual desvenda questões existenciais do ser humano a partir de atitudes e gestos do cotidiano, foi uma novidade na literatura brasileira e, por isso, foi amplamente discutido e repercutido. O legado de Clarice está presente até hoje, principalmente nas redes sociais, onde algumas de suas frases foram viralizadas. Mas, como sempre acontece na internet, muitos textos atribuídos a Clarice são falsos. Para resolver o problema, a Rocco lança nesta semana As Palavras, uma criteriosa seleção de frases da escritora pinçadas pelo pesquisador Roberto Corrêa dos Santos, dentro da programação do evento Hora de Clarice, que anualmente celebra – nas principais capitais brasileiras – a obra de uma das principais autoras brasileiras.

Clarice Lispector: escritora, jornalista e tradutora

Clarice Lispector: escritora, jornalista e tradutora

Confira a programação do evento:

São Paulo
“A Literatura e a Pintura de Clarice Lispector”, com Ricardo Iannace. Livraria Cultura Conjunto Nacional (mezanino da loja de Artes) – Av. Paulista, 2.073, 18 h

Rio de Janeiro
“Além do Vento, há uma outra coisa que sopra”: leitura de frases selecionadas por Roberto Corrêa dos Santos, com a atriz Malu Mader. Instituto Moreira Salles (Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea), 19 h

“Correio feminino: As crônicas femininas de Clarice Lispector”, com Maria Camargo, Thanara Schonardie e Luciana Buarque. Mediação de Teresa Montero. Livraria da Travessa Shopping Leblon (R. Afrânio de Melo Franco, 290), 19 h

“Páginas femininas de Clarice Lispector: À procura de um rosto de mulher”, com Aparecida Nunes. Participação de Nilton Bonder e Alessandra Maestrini. Mediação Joice Niskier. Midrash Centro Cultural (R. Gal. Venâncio Flores, 182 – Leblon), 20 h

Belo Horizonte
“Clarice Lispector: ficção e biografia”, com a biógrafa e pesquisadora Nadia Gotlieb. Livraria Mineiriana (R. Paraíba, 1419 – Savassi), 19

 

Obras mais conhecidas e estudadas de Clarice Lispector

Obras mais conhecidas e estudadas de Clarice Lispector

Histórico

Clarice e sua família aportaram em Maceió (AL), em 1922, onde foram orientados a trocar os nomes de ascendência russa: o pai, que se chamava Pinkhas, passou a ser conhecido como Pedro; a mãe, Mania, como Marieta. Clarice originalmente se chamava Haia Pinkhasovna Lispector.

Com dificuldades de relacionamento com seu irmão em Alagoas, o pai de Clarice muda-se para o Recife (PE), até então o centro urbano mais próspero da Região Nordeste. A infância na capital pernambucana está muito entranhada na obra da escritora, como no conto “Medo da Eternidade”. Aos nove anos, Clarice vê sua mãe falecer, o que a deixa muito consternada, levando o seu pai a sair de Pernambuco para o Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, capital da República à época, Clarice inicia os estudos em direito, mas frustrada com a excessiva carga teórica da graduação, ela descobre uma válvula de escapa, com a qual ficaria conhecida muito conhecida no Brasil e no mundo: a literatura. Seu primeiro conto publicado, “Triunfo”, data de 1940, na Revista Pan. Até sua morte, em 1977, foram publicados nove livros, entre os quais “A Paixão Segundo G.H”, “Água Viva” e “A Hora da Estrela”, os títulos mais conhecidos da autora.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.