Extra! Sugestão para maratonar: Le Bazar de la Charité

Dia desses, zapeando pela linda Netflix (que um dia há de me pagar pela divulgação), vi uma série que me chamou a atenção apenas pelo idioma. Estou aprendendo a ofender as pessoas em francês, e uma série em francês poderia me ajudar. Sem nenhuma pretensão, comecei a ver ‘Le Bazar de la Charité’ e fui arrematado no primeiríssimo episódio (e sei que você também será!).

A série conta a história de três mulheres que sobrevivem a um incêndio num museu, onde estava havendo um Bazar para instituições de caridade. E, sinceramente, as histórias não são exatamente as melhores, mas o conjunto da obra sim. Por exemplo, a cena do incêndio é épica! Fazia muito tempo que eu me chocava tanto com uma cena do tipo. Eles exibiram com perfeição os detalhes, a partir do momento em que o fogo começa, as reações escalonando de “calma, não é nada” para “farinha pouca meu pirão primeiro” e mesmo as pessoas sendo esmagadas e pisoteadas, que quase nunca são lembradas (e que, em incêndios reais, compõem boa parte dos mortos). Claro que, por ser baseado em fatos reais, é normal que os detalhes mais chocantes tenham sido explorados. Um deles é o fato de que os homens “nobres” começaram a bater e derrubar mulheres para poder passar, deixando que só houvessem mulheres (de alta classe em sua maioria) mortas na tragédia.

Parece interessante? Eu se fosse você, daria uma chance! Nem se seja só pela cena do incêndio… e, claro, as protagonistas. Pelo menos de uma delas eu sei que alguém vai gostar (embora eu, pessoalmente, tenha odiado), sem contar que são apenas 8 episódios e eu garanto que a história principal vai fechar, mesmo que surja uma nova temporada, então ninguém vai ficar com ponta solta para outras possíveis temporadas.