Começou hoje o II Festival de Filmes Africanos, promovido pelo núcleo de Antropologia Visual da UFRN. O evento traz a Natal um panorama do cinema africano, que vem alcançando mais destaque nos últimos anos. Além das exibições, há também uma programação de debates, bastante recomendada para quem quer entender e conhecer mais sobre a produção e a estética cinematográfica do continente.

Rastros será exibido no segundo dia da mostra, quarta-feira (4)

“Rastros, Pegadas de Mulher” será exibido no segundo dia da mostra, quarta-feira (4)

Hoje, 3, foi o primeiro dia do festival, que iniciou-se com um debate sobre produções de documentários pelas novas gerações de cineastas africanos. Em seguida, se deu o lançamento em Natal do documentário “Raça – um filme sobre a igualdade”, de Joel Zito Araújo e Megan Mylan. A programação dos dois próximos dias (quarta-feira, 4, e quinta-feira, 5) segue abaixo:

4 de dezembro

Local: Auditório B do CCHLA (Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes) | UFRN

17h – Yiri Kan (curta metragem, 26 min) | Direção: Issiaka Konaté | Burkina Faso, França, 1989

Sinopse: O enredo, cheio de surpresas, conta a história de um jovem músico que descobre com o pai as origens míticas do balafon, instrumento que tem papel profano e sagrado na sociedade africana.

17h30 – “Rastros, Pegadas de Mulher” (Traces, Empreintes de Femmes) | Doc, 52 min | Direção: Katy Lena Ndiaye | Burkina Faso, Senegal, Bélgica e França, 2003

Sinopse: As pinturas murais das mulheres kasseanas de Burkina Faso, perto da fronteira com Gana, são famosas pela beleza do traçado e pela harmonia da cor. Interessada no assunto, Katy Lena Ndiaye escolhe comparar tradição e modernidade, através do retrato de três anciãs e da neta que elas iniciam nas técnicas ancestrais. Ela realiza um filme com maestria estética, o verdadeiro retrato de uma comunidade artística, por onde se discute a transmissão de ensinamentos, a educação e a memória numa Africa em mutação.

19h – Debate “Cinemas Africanos: documentários de novos realizadores”, com o Prof. Dr. Mahomed Bamba (FACOM – UFBA)

Raça, de Joel Zito, abriu o festival, na terça, 3

“Raça – um filme sobre a igualdade”, de Joel Zito Araújo, abriu o festival, na terça, 3

5 de dezembro

Local: Auditório B do CCHLA (Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes) | UFRN

19h – “Uma risada a mais” (Un rire de trop) | Curta-metragem, 17 min | Direção: Ibrahim Letaief | Tunísia, França, 1999

Sinopse: Am Salah, cidadão comum, é vítima de uma brincadeira de mau gosto armada pela equipe de um programa de câmera escondida da televisão tunisiana. Após a difusão do episódio, sua vida vira um inferno: todo mundo ri dele nas ruas, fazendo com que ele tenha que se disfarçar para não ser mais reconhecido. Até que um dia ele é convidado ao estúdio da emissora e faz uma reviravolta no local dizendo todas as verdades não reveladas aos piadistas da televisão.

19h30 – “Na alegria e na cebola!” (Por le meilleur et pour l’oignon!) | Doc, 52 min | Direção: Sani Magori | Níger, França, 2008

Sinopse: A violeta de Galmi, a cebola do Níger, chega nos mercados do oeste da África em 400.000 toneladas por ano. Na própria Galmi, Salamotou espera há dois anos por seu casamento. Pressionado pela família do noivo e pelas fofocas locais, seu pai Yaro toma uma decisão: “O casamento acontecerá na colheita!” Mas Yaro sabe que para cumprir com sua palavra, ele terá que produzir mais, e vender mais caro.

Para mais informações visite a página no Facebook do evento.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.