Stephen King é um dos maiores escritores americanos vivos, e sem sombra de dúvidas, o maior mestre do horror desde H.P. Lovecraft e Poe, o que não é pouco para um garoto estranho e retraído nascido em Portland, em 1947. Seus livros já foram publicados em mais de 40 idiomas, e venderam mais de 350 milhões de exemplares. Boa parte do trabalho de King já foi adaptado para o cinema, mais de uma dezena de seus livros. Arrisco a dizer que King é o escritor com o maior número de histórias adaptadas para o cinema. Dentre enxurradas de versões, temos os bons, os péssimos, e um pequeno nicho de obras-primas, tanto no que concerne ao livro como ao filme. O interessante é que as melhores obras de King não são de horror, e sim aquelas que flertam com o drama e o fantástico, como é o caso das indicações que elenco nessa lista.

Um Sonho de Liberdade

O filme foi baseado no conto “Rita Hayworth and Shawshanke Redemption” e retrata a história de Andy Dufresne, um banqueiro acusado e condenado pelo assassinato da esposa. Na fita não encontramos nenhuma vestígio do “horror” que consagrou King. Muito pelo contrário, nesse trabalho têm-se sequência de violência física e psicológica, além de uma mensagem substancialmente edificadora. Esse é considerado o mais injustiçado de toda a história do Oscar, foi lançado em 1994 e dirigido por Frank Darabont, o roteirista do sucesso “Velocidade Máxima”. “Um Sonho de Liberdade” foi indicado a sete Oscar, incluindo “Melhor Filme”.

À Espera de um Milagre

Ambientado no corredor da morte de uma prisão do sul dos Estados Unidos, o filme narra a relação de Paul Edgecomb, o chefe da guarda da prisão, com o condenado John Coffey, acusado de matar e estuprar um par de gêmeas. O filme, também dirigido por Frank Darabont, concorreu a quatro Oscar, incluindo “Melhor Filme”. Esse trabalho, foi baseado na novela “The Green Mile”, lançado em forma de fascículos na década de 90.

O Iluminado

Aqui está uma adaptação que foi motivo de birra entre o diretor Stanley Kubrick e King. Este último declarou que Kubrick havia arruinado sua história; o diretor por sua vez, retrucou dizendo que “gostava de transformar livros ruins em bons filmes”. Independente dessa rixa, a obra conseguiu, brilhantemente, transmitir toda a insanidade de Jack Torrance (Jack Nicholson, assustador) despejada em sua família,  trancafiados em um hotel que mais lembra um labirinto solitário. Uma curiosidade, é que esse filme foi indicado a vários Franboesas de Ouro. Uma verdadeira blasphêmia !


Conta Comigo

Baseado no conto “O Corpo”, presente na coletânea “As Quatro Estações”, o filme conta a história de quatro garotos que certo dia vão em busca do corpo de uma adolescente de um adolescente que estava desaparecido; nessa jornada, eles se auto-descobrem, levantam questionamentos sobre o futuro, a perda da inocência e da amizade. Para quem não lembra, esse é um dos grandes clássicos da “Sessão da Tarde”.

One Response

  1. Jonathan De Assis

    Otima lista, concordo com todos os filmes ai, todos os filmes são geniais. Hey,dava pra fazer um top 5, faltou Carrie do Brian De Palma.
    ah, não acho que Um Sonho de Liberdade foi tão injustiçado no Oscar assim, num ano que concorreu Pulp Fictin e Forrest Gump não da pra reclamar. Se formos falar de injustiça, essa foi com Pulp Fiction.

    Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.