Depois da enorme polêmica no Oscar de 2015, acusado de machista e racista, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood convidou novos membros para compor a bancada de votação do prêmio mais importante do cinema. Uma merecida surpresa é que, dentre os nomes convidados, está a brasileira Anna Muylaert, diretora do filme Que Horas Ela Volta?, um dos destaques do cinema nacional no ano passado.

Não foi só Anna que foi chamada, mas também Alê Abreu, diretor de O Menino e o Mundo (indicado nesse ano ao Oscar de melhor animação), Lula Carvalho (diretor de fotografia), Pedro Kos e Affonso Gonçalves (montadores), Antonio Pinto e Marcelos Zarvos (compositores), Rodrigo Teixeira (produtor), Renato dos Anjos (chefe de animação), Vera Blasi (roteirista) e Rodolfo Damaggio (designer).

A diretora Anna Muylaert

A explicação para tantos convidados é buscar diversificar os jurados, já que, no ano anterior, a maioria eram homens brancos. Com os novos nomes, 46% do júri será composto por mulheres e 41%, de não-brancos.

Será que com uma bancada mais diversificada teremos mais surpresas nas indicações ao prêmio, diferentemente do ano passado? Parece que estão feitos esforços. Fica a dúvida e a torcida para que o próximo prêmio, que já tem data marcada para 26 de fevereiro de 2017, traga um retrato mais plural do que se espera que o Oscar, como a mais popular premiação do cinema, represente.

Brasileiros integrantes da Academia

Os convidados brasileiros se juntam a nomes como os do diretor José Padilha, Walter Salles, Hector Barbenco e Bruno Barreto, além das atrizes Fernanda Montenegro e Sonia Braga na composição tupiniquim de jurados da Academia.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.