SAO PAULO, BRAZIL - APRIL 30: The singer Roberto Carlos performs live on stage at Espaco das Americas on April 30 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Mauricio Santana/LatinContent/Getty Images)

Roberto Carlos prova que continua rei no seu novo disco, Primeira Fila

São poucas as pessoas que gostam de apreciar um dos cantores mais influentes do Brasil, mesmo assim o denominado “Rei” Roberto Carlos consegue alavancar milhares de fãs de todas as idades. Muito apreciado pelas mulheres de ontem e de hoje e exemplo para homens românticos de ontem e alguns de hoje, Roberto Carlos tem uma trajetória interessante em sua carreira. Envolveu-se com outro grande cantor, Tim Maia, além de tantos outros da Jovem Guarda como Erasmo Carlos, Wanderléa dentre outros tantos que fizeram sucesso naquela época.

Roberto Carlos começou com o rock n’ roll clássico, principal estilo tocado na época, completamente inspirado em outro “Rei”, só que um pouco mais acima geograficamente falando. Porém, o nosso rei trouxe um estilo característico e bem autoral em suas músicas e composições, junto com o seu grande amigo e parceiro Erasmo. Anos depois, cada vez mais ascendendo em seu sucesso rumo ao estrelato, Roberto acaba modificando todo o seu repertório, começou a cantar em espanhol, italiano e também inglês, além de arriscar algumas letras em francês.

Do rock divertido que tirava as mocinhas e os rapazes para dançar e o estilo roqueiro bad boy que literalmente fazia as moças levantarem suas saias, passou a um cara mais comportado trazendo músicas românticas e rítmicas, mas ainda continuava a fazer as garotas suspirarem por seu estilo de música e visual.

Roberto, Erasmo e Wanderléa no filme "Diamante Cor de Rosa"
Roberto, Erasmo e Wanderléa no filme “Diamante Cor de Rosa”

Durante seus mais de 50 anos de carreira, Roberto deixou muitos clássicos no decorrer do caminho, citar todos eles seria impossível, mas com certeza muitos estão gravadas nas memórias dos brasileiros. Com a chegada das redes sociais e dos comediantes de plantão, o especial de fim de ano exibido pela Rede Globo, que tem mais de 20 anos, tornou-se motivo de piada nas redes sociais, entretanto todas (pelo menos a maioria) são saudáveis.

Para alguns brasileiros acabou se tornando uma espécie de ritual com a família sentar-se todos os anos no sofá e ver o rei junto com seus muitos convidados cantar os seus maiores sucessos na televisão aberta, e também dar a oportunidade de muitos que não têm condições de ir a um show de poderem assisti-lo e cantar junto as suas músicas.

O especial do ano de 2015 foi bem mais que um especial,  como sempre trazendo os convidados mas de uma forma bem mais jovial, totalmente de cara nova, além de ter a oportunidade de fazer novos arranjos para músicas consagradas do rei, reinventando-as totalmente.

No show deste ano Roberto apresentou algumas das músicas que estão em seu novo álbum, Primeira Fila, no qual ele consegue com muito êxito revitalizar muitas de suas músicas. O álbum não traz nenhuma música inédita como o seu último álbum, em contra partida as músicas não tão novas para o público mais fiel acabaram ganhando uma roupagem bem mais agradável aos ouvidos.

No disco dá pra encontrar facilmente a praticidade e também a facilidade de Roberto Carlos em cantar vários ritmos. Rock, música mais lenta, bolero e reggae são alguns ritmos musicais que se encontram no novo trabalho do rei, diferente do seu disco de 2012, no qual ele se destacou com apenas duas canções: “Esse Cara Sou Eu” e “Furdúncio”, que pertenceram a uma trilha de novela.

Roberto-Carlos_Primera-Fila

Primeira Fila ao todo tem 17 faixas e as 10 primeiras são cantadas em português (exceto a faixa 05). As 7 restantes são cantadas totalmente em espanhol. É claro que o CD é completo com as músicas que se encaixam em todos os dias da semana e todos os estados emocionais possíveis. Poucos artistas conseguem fazer o que Roberto Carlos fez nesse disco, revisitar clássicos e transformá-los totalmente, é simplesmente espetacular e consegue conquistar fãs e não simpatizantes de Roberto Carlos.