O SAG Awards, evento realizado pelo Sindicato dos Atores dos Estados Unidos e que premia exclusivamente as atuações em filmes e séries funciona muitas vezes como um espelho para o Oscar nos prêmios destinados ao elenco. Esse ano, o SAG aconteceu ontem, dia 27 de janeiro, e parece que o prêmio foi até justo, deixando a esperança de que o Oscar também o seja.

Comentarei aqui os prêmios relacionados ao cinema, visto que não estou por dentro de “Homeland”, hegemonia de todas as premiações de TV esse ano, e para mim, Claire Danes vai ser sempre cinzenta, insossa e apagada.

Lincoln, como já era de esperar, levou dois prêmios: Melhor Ator (Daniel Day-Lewis) e Melhor Ator Coadjuvante (Tommy Lee-Jones). Pelos comentários de Leila nessa postagem sobre o filme, parece ter sido merecido. O prêmio de Melhor Atriz ficou para a fofinha da Jennifer Lawrence, por sua atuação em O Lado Bom da Vida. Ainda não vi o filme, mas acho que desde que essa menina despontou, todo mundo tá na expectativa para o momento em que será devidamente reconhecida. É uma ótima atriz e merece o prêmio do SAG. Contudo, se dependesse da minha vontade, ela esperaria um pouquinho mais pelo Oscar, já que minha favorita esse ano é Emanuelle Riva, por Amor.

Jennifer Lawrence e Daniel Day-Lewis com suas respectivas estatuetas

O prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante foi recebido, é claro, por Anne Hathaway (Os Miseráveis). Acho que Hathaway tem ido às premiações apenas para arrebanhar sua coleção de estatuetas esse ano. Seu merecimento e o reconhecimento de seu talento se tornaram uma espécie de axioma cinematógrafo depois da sua Fantine. Já elogiei muito a moça nessa postagem sobre Os Miseráveis, então, estou adorando essa babação toda.

Elenco de “Argo” comemorando o prêmio de Melhor Elenco

Apesar de não ter recebido nenhum dos prêmios individuais, o prêmio de Melhor Elenco foi para Argo. Sinceramente, acho que Ben Affleck estava em dia com o Sindicato, porque, né? Único vencedor que não vi razão de ser esse ano. Por último, temos o prêmio de Melhor Dublê. Achei super de bom tom da parte do Sindicato dos Atores fazer um prêmio para os dublês e tal, daí veio 007 – Operação Skyfall e caiu de paraquedas na premiação só para receber o título de “Melhor Dublê”. Eu só imagino a cara do Daniel Craig ao se dar conta de que até o dublê dele ganhou um prêmio e ele não…

3 Responses

  1. Avatar
    João Victor Wanderley de Souza

    Andressa,
    Acho uma pena você não conhecer Homeland. A série é de uma seriedade absurda. Roteiros extremamente bem escritos e que tem em seu elenco sua força maior. E mesmo você achando Claire Daines “cinzenta, insossa e apagada”, acredito que você deva assistir as duas temporadas dessa série fantástica que tem uma primeira temporada irretocável, uma segunda mais fraca (é verdade), mas de um final sensacional. E Claire Danes simplesmente toma as rédeas da série. O trabalho dela é de se aplaudir de pé.
    Vale muito a pena conferir!

    Responder
    • Avatar
      Andressa Vieira

      Oi, João Victor! Obrigada pela dica, as pessoas sempre recomendam Homeland, não assisto mais por falta de tempo que mesmo por preconceito. Mas quando uma das séries que eu acompanho acabarem, vou lembrar da sua sugestão. E o meu comentário sobre Claire Danes é decorrente das atuações dela em cinema, que nunca me cativaram. Não a conheço em Homeland, mas vai que minha opinião muda quando eu assistir a série, né? 😀

      Responder
  2. Avatar
    João Victor

    Eu entendo Andressa. Sugeri mesmo porque o cinema (e porque não as séries) sempre nos surpreende. Quem diria que Kevin Costner receberia premio por atuação… Até aqueles que não gostamos podem nos surpreender positivamente. Homeland vale muito a pena.

    Responder

Deixe um comentário

Your email address will not be published.