Faltam apenas quatro dias para o início dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro! Depois de quase 50 anos, a sede do evento retorna à América Latina e, dessa vez, será a primeira edição realizada na América do Sul.

É verdade que o evento está cercado de controvérsias. As promessas de despoluição de locais olímpicos, como a Baía de Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas, não foram cumpridas; o legado em mobilidade urbana – composto por BRT’s e uma linha de metrô que não chega ao principal local de competição – é questionável; as ameaças de terrorismo; o zika vírus e a Vila Olímpica incompleta são alguns deles. Além disso, a crise econômica diminuiu a aprovação dos brasileiros quanto à realização do megaevento.

Porém, se o humor do brasileiro com os jogos azedou, em um lugar as Olimpíadas sempre foram sinônimo de sucesso: nas salas de cinema. Nesse sentido, e para deixá-lo ansioso (se bem que eu acho que nem a matéria vai ajudar) para o início do evento, preparamos uma lista com filmes sobre as Olimpíadas. Confira!

Olympia (1936)

O documentário “retrata” a edição dos Jogos Olímpicos de 1936, realizada em Berlin no momento em que o Nazismo estava em seu auge. A diretora do documentário foi Leni Riefenstahl, que – além de Olympia – também é conhecida pelo filme O Triunfo da Vontade, um dos filmes de propaganda política – no caso, do regime autoritário de Hitler – mais conhecidos da história do cinema, cujas técnicas utilizadas passaram a influenciar outras obras, sejam elas documentais ou comerciais.

Uma das provas de que o filme sobre os Jogos de 1936 foi “manipulado” é o fato de não haver destaque para os atletas negros, pois isso poderia derrubar a supremacia da raça ariana. Nesse ínterim, o atleta americano Jesse Owens, ganhador de 4 ouros nas competições de atletismo, teve pouco destaque.

Vale a pena prestar atenção nas técnicas de edição avançadas (câmera lenta) e movimentos incomuns de câmera, como os close-ups. Essas técnicas – consideradas inovações técnicas e estéticas à época – são utilizadas largamente pelas coberturas esportivas da televisão.

Confira um trecho do filme a seguir:

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=UcOFRonSqEE[/embedyt]

Pateta nas Olimpíadas (1989)

Se você nasceu na década de 1980 como eu, além de ter aprendido a mexer no videocassete, com certeza aprendeu também sobre as Olimpíadas e algumas de suas modalidades com esse filme! A fita reúne vários curtas do cão mais atrapalhado dos desenhos da Disney: Pateta vai à luta (1941), Geladas no Gelo (1941), A Natação do Pateta (1942), O Campeão Olímpico (1942), Basquete que é uma bola (1942), Upa Upa Cavalinho (1944) e Ginástica Patética (1949).
[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=8BQZ6WXlKmY[/embedyt]

Prefontaine (1997)

O filme é uma cinebiografia de Steve Prefontaine, corredor americano que, na década de 70, participou das Olimpíadas. Mais magro que seus companheiros, sofreu bullying por parte deles, mas conseguiu reverter a situação com dedicação aos treinos. Sua impulsividade, porém, o impediu de atingir grande sucesso no esporte.

O protagonista é interpretado por Jared Leto, ator queridinho de Hollywood e da galera mais alternativa também. Para o papel, Leto teve que ficar mais magro. Mais tarde, em 2013, o mesmo iria se repetir em Clube de Compras de Dallas, no qual o ator emagreceu para interpretar Rayon, uma travesti soropositiva. O papel valeu-lhe um Óscar e um Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=FmtqzdHOECc[/embedyt]

Prova de Fogo (1998)

Também é uma cinebiografia de Steve Prefontaine, mas esse filme tem um viés mais romanceado. Literalmente. Nessa produção – dirigida por Tom Cruise – há uma bela história de amizade de Prefontaine com o seu treinador, Bill Bowerman, co-fundador da Nike.  Prefontaine também se apaixona por uma mulher às vésperas dos Jogos Olímpicos e o final trágico de sua vida acontece um dia após ter contado a um amigo que seu objetivo era o lugar mais alto do pódio. Conspiração?

O filme foi indicado ao Globo de Ouro em 1998 pela atuação do ator Donald Sutherland.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=e2MpP3M9oCk[/embedyt]

Munique (2005)

Os Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, ficaram marcados pelo atentado terrorista contra a delegação israelense. O grupo extremista Setembro Negro invadiu a vila olímpica e matou 11 israelenses, entre atletas e técnicos. E é sobre as investigações realizadas pela polícia secreta israelense para perseguir e eliminar os responsáveis que o filme trata.

Dirigido por Steven Spielberg e estrelado por Eric Bana e Daniel Craig, Munique foi bem recebido pela crítica, contando com duas indicações ao Globo de Ouro e seis indicações no Oscar de 2006.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=ktqZjG07Q18[/embedyt]

Voando Alto (2016)

O jovem Eddie Edwards mantém o sonho de participar das Olimpíadas de Inverno de 1988, em Calgary (Canadá), mesmo nunca tendo sido bom em esportes. O treinador Bronson Peary (Hugh Jackman) o ajuda a se tornar o primeiro saltador de esqui do Reino Unido. Na competição, Michael se torna um atleta querido, mesmo terminando a prova em último.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=FNg0-IQIjRQ[/embedyt]

Extra

Raça (2016)

Mais de oitenta anos após o filme de Riefenstahl – que retratou Jesse Owens de maneira desproporcional às glórias conquistadas pelo atleta nos Jogos de 1936 – é lançada a cinebiografia do corredor americano. O filme não perdoa nem mesmo os EUA, pois aborda as dificuldades e os preconceitos pelos quais Owens teve que passar na “América” para representar seu país na Alemanha.

Na competição, ele vence quatro medalhas de ouro e cala o preconceito no reino comandado pelo ditador Adolf Hitler, que prega o nazismo e a doutrina da supremacia da raça ariana.

O filme, que ainda não estreou no Brasil, conta com a participação de William Hurt, Jeremy Irons e de Carice van Houten, conhecida mundialmente por interpretar a Mulher de Vermelho na série Game of Thrones. 

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=S3OeFRd9QDs[/embedyt]

One Response

Deixe um comentário

Your email address will not be published.