‘Smash’ e ‘Touch’ retornam em fevereiro

Ano novo, temporada nova! Fevereiro mal começou e duas novas temporadas estão prestes a ocupar espaços na programação televisiva americana. Em situações bem diferentes, Smash (do canal NBC) e Touch (do canal Fox) retornam para suas segundas temporadas sob muita expectativa.

Smashacompanha os bastidores da produção de um musical da Broadway. Na trama, uma peça sobre Marilyn Monroe está sendo desenvolvida e a disputa pelo papel principal fica entre  Karen Cartwright (Katharine McPhee), jovem atriz que luta pelo seu primeiro trabalho, e Ivy Lynn(Megan Hilty), atriz com muitas participações na Broadway, mas que nunca teve um papel de destaque. A série ainda mostra os processos de criação de roteiro, busca por patrocinadores e ensaios; além dos problemas pessoais de seus personagens.


Apesar de uma trama muitas vezes novelesca, a produção é dona de um primor técnico respeitável. Com números musicais bem elaborados, releituras de musicas conhecidas e muita música original, a série parece ter acertado onde Glee peca: agradar o público independente de sua faixa etária, principalmente o fã de musical que quer ver algo além dos bons números coreografados.


Embora não seja um sucesso absurdo, o musical conseguiu marcar bons índices de audiência, se tornando o produto mais visto da NBC e arrecadando ótimos comentários da crítica especializada. Parte desse sucesso vem de seu elenco que trás astros como a competente
Debra Messing (Quero Ficar com Polly), o caricato, porém competente,Jack Davenport (o Comodoro Norrington da franquia Piratas do Caribe) e a gabaritada Anjelica Huston (50%).

Elenco de “Smash”

Para a segunda temporada, a expectativa é muito positiva. A série pretende seguir o caminho trilhado na temporada anterior, mostrando como seguiu a vida dos personagens a partir dos acontecimentos que enceraram o primeiro ano da produção. O elenco principal retorna na íntegra, além de trazer novos personagens e uma participação especial de Jennifer Hudson (A Vida Secreta das Abelhas).


Se a segunda temporada de Smash é esperada com boas expectativas, a de Touch vem sob muita desconfiança. Criada por Tim Kring (Heroes), a série acompanha a vida de
Martin Bohm(Kiefer Sutherland), jornalista que abre mão da carreira para cuidar de Jake, seu filho autista de 11 anos e que nunca falou uma palavra. Já no episódio piloto, descobrimos que Jake consegue antever algumas atitudes tomadas por algumas pessoas que irão repercutir negativamente na vida de outras em outro lugar do mundo, e que ele precisa evitá-las.

 

 

Dirigida por Francis Lawrence (um dos produtores da série e diretor de Água Para Elefantes), acompanhamos o drama de um homem que perdeu seu celular num aeroporto e precisa muito de algo que está guardado nele; um jovem que precisa comprar um fogão para sua mãe; e uma cantora que quer ser famosa. A princípio, essas histórias fora dos EUA têm sua intercessão pelo celular perdido no aeroporto, mas descobrimos que estão interligadas de outra forma.

Tentando seguir essa linha em todos os episódios, a série nos apresenta situações impossíveis, exageradas e muito forçadas. Algumas até funcionam, outras nos deixam constrangidos. Em um determinado momento da temporada, um homem que trabalha com construção civil fica triste porque sua empresa precisa demolir um prédio importante na história da música americana. A contra gosto, o homem precisa viajar a negócios, então o avião em que estava sofre um terrível acidente e SOMENTE ELE sobrevive. Ao conseguir reerguer-se após o acidente, o homem faz o que qualquer pessoa sã faria naquele momento: corre para o trabalho para evitar que um prédio seja demolido(!). Tudo isso porque o roteiro precisava que o prédio não fosse demolido para que outro personagem pudesse ser salvo…


Touch tenta se sustentar principalmente no drama entre Martin e Jake. Kiefer Sutherland se esforça muito para fugir da imagem de Jack Bauer, mas a série não ajuda muito. Entre uma fala e outra, Sutherland parece voltar a encarnar o agente de 24 Horas. Mas, de um modo geral, ele oferece uma interpretação bacana de um pai que tenta se conectar com seu filho, que só se comunica através de números e códigos escritos. Quem também faz parte do elenco é Danny Glover (Máquina mortífera) e Maria Bello (Sem Saída), esta numa participação especial que poderá ecoar na segunda temporada.



A série teve uma audiência expressiva no episódio piloto, mas que não se manteve nos episódios seguintes. O que sustentou uma segunda temporada foi o número de séries canceladas pelo canal, uma certa estabilidade que a série encontrou no fim da temporada e sua repercussão positiva em outros países pelo mundo.


Resta saber se Touch terá fôlego para essa segunda temporada, se conseguirá repetir os raríssimos bons momentos da 1ª temporada ou se continuará fazendo escolhas esdrúxulas e lamentáveis no meio do caminho.

 

Aos interessados, as datas das estreias na TV americana:

 Smash: 05/02/13 (sem previsão de estreia no Brasil)

Touch: 08/02/13 (sem previsão de estreia no Brasil)

(Por João Victor Wanderley, especialmente para o blog O Chaplin)