O projeto Trinca Audiovisual é uma mostra de cinema itinerante, promovida por produtores audiovisuais. Na próxima quinta-feira (29),  às 19h30, o Na Goela Bar vai ser o espaço para a primeira edição do ano do evento e a entrada promocional custa R$ 5. O dinheiro será revertido para os filmes que participam da mostra. Todos foram produzidos recentemente.

Os primeiros filmes serão “Fronteira”, de Carito Cavalcanti (sobre o qual  já falamos aqui), “Sem Culpa, Sem Perdão”, de Cássio Hazin e Suerda Morais, e “Vislumbres”, de André Pyrrho.

A proposta é que a cada edição sejam apresentadas três produções potiguares. Os curtas, de até 25 minutos de duração, serão exibidos em lugares como bares e espaços culturais, sempre nos dias da semana.

A seguir as sinopses de cada filme:

Fronteira

É uma mistura de documentário com ficção, de ficção com realidade, de sonho com realidade. Um pequeno road-movie existencialista. Depois de muitas conversas sobre as doenças da contemporaneidade e sobre desejos cinematográficos, o ator e dramaturgo Cesar Ferrario e o cineasta Carito Cavalcanti fazem uma viagem em busca de um filme. Uma homenagem ao cinema e à aventura do pensamento. Nessa aventura, Ferrario reflete sobre várias questões da vida e da arte, da sua vida enquanto ser humano, enquanto artista, etc.

Sem Culpa, Sem Perdão

Em 1983, Francisco, um burocrata civil do Governo Militar, leva um estilo de vida pessoal confuso, dividido entre sua esposa e uma vida regada de rapazes e subversão, momento em que surgem os primeiros casos de AIDS no país. Ao conhecer Antonius, um jovem artesão que vive e trabalha em um cemitério, surgem descobertas que lhe trarão profundas e imprevisíveis mudanças.

Vislumbres

No ventre o bebê acredita que o útero é o universo. Ao nascer, há um vislumbre de luz e uma mudança de espaço.

Confirme sua presença no evento do Facebook.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.