“Opa, eu conheço esse cara! Pera aí, mas é ele mesmo? Gente, eu não sabia que fulano era cão

 

Essa foi a reação dessa que vos escreve ao identificar um “cão” conhecido quando primeiro assistiu ao excelente doc que será exibido hoje (07) às 19h no auditório C do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN, o CCHLA. E, acredito, eu não fui a única a reconhecer um camarada “cão”. Isso porque essa história foi, é e continuará sendo realizada e contada por anos em terras natalenses por muitos de nós.

Provavelmente, por trás da exótica maquiagem preta, que me lembra uma versão mais suburbana do Maracatu, você identificará advogados, médicos, jornalistas, universitários, donas de casa, bancários e por aí vai. Além de que a tradição merece ser conhecida por aqueles que ainda não sabem o que são os “cão”.

E para esses que não sabem, faço um resumo, sem querer dar spoiler do documentário, mas apenas para situar o leitor: “Os Cão da Redinha” conta a história do bloco homônimo, um dos mais tradicionais do Carnaval natalense. As fantasias dos foliões são adaptadas com a lama do manguezal. Na foz do Rio Potengi se desenrola a festa em que gênero, camada social, idade e até a aparência são disfarçadas e unificadas pela brilhante fantasia.

A direção é do documentarista e professor do Departamento de Comunicação da UFRN, Ruy Rocha, e dos também documentaristas Alexandre Santos, Jurandyr França e Érica Lima. Corram lá e apreciem o registro audiovisual desse importante aspecto da cultura potiguar.

Sobre o(a) autor(a)

Jornalista, cinéfila incurável e escritora em formação. Típica escorpiana. Cearense natural e potiguar adotada. Apaixonada por cinema, literatura, música, arte e pessoas. Especialista em Cinema e mestranda em Estudos da Mídia (PPgEM/UFRN). É diretora deste site.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Your email address will not be published.