Cinema e Moda andam juntos desde quando as primeiras ladies das telonas impuseram a sua presença. E aí inventaram os Tapetes Vermelhos nas festas de premiações, e aí que a ligação se fortificou. Grifes brigam pelos corpos de grandes estrelas, e destacar um vestido em um filme importante é praticamente a garantia de aumento de vendas e da assinatura de um versículo da história da moda! Dessa forma, a nossa lista de hoje homenageia essa parceria e traz para os leitores dez vestidos vermelhos e marcantes que passaram pelos corpos das beldades de alguns filmes.

Jessica Rabbit… Essa sim, sabe das coisas. Voluptuosa, sexy, copiada e tão desejada pelos homens que Uma Cilada para Roger Rabbit (1988), saiu dos desenhos para o mundo real, esbanjando sensualidade e boas ideias em seu vestido de paetês vermelhos.

Caterina Murino interpretou Solange em 007 – Cassino Royale (2006). Dona de um belo corpo, em uma das cenas do filme, a atriz usa esse vestido de cetim com uma tonalidade de vermelho que casou perfeitamente com a cor da bond girl. O vestido chama atenção por, mesmo evidenciando as formas, não mostrar muito do busto da atriz, dando a ideia de “mulher comportada” que é imediatamente quebrada nas cenas em que mostram os detalhes das costas do vestido. É muito interessante observar a atuação sedutora de Caterina acompanhada com os contrastes que sua vestimenta apresenta.

Se há como resumir esses dois vestidos em uma só definição, seria essa: luxo. Scarlett O’hara os usa para interpretar Vivien Leight em E o vento levou (1940). Os dois vestidos foram feitos a partir de tecidos refinados como veludo, tule e cetim, além da aplicação de plumas vermelhas e pedrarias no segundo vestido.  São roupas que não evidenciam tanto o corpo de Scarlett O’hara, mas chama muita atenção pela sua modelagem e mistura de tecidos, direcionando o nosso olhar também para o belíssimo rosto da atriz.

Kate Winslet também usou dois vestidos vermelhos entre seus figurinos para viver a apaixonada Rose em Titanic (2006). Em ambos os casos, o que deveria ser um simples vestido vermelho torna-se algo muito maior com a aplicação de tule e borgonha preto com bordados minuciosos, belos e brilhantes. São dois vestidos que chamam atenção porque a cor vermelha, diretamente ligada à paixão, é neutralizada graças à forma do vestido, que não mostra muito o corpo da atriz e lembra um pouco os vestidos da cultura grega, e aos bordados, que trazem um ar de maturidade à personagem. Todos esses elementos se misturam de forma harmônica e resultam nesses dois belos vestidos vermelhos, tornando-os um ícone no filme.

Nicole Kidman deveria ser mantida em cativeiro por ser tão bonita. Ela marcou o filme Moulin Rouge (2000) ao usar esse vestido vermelho em uma das cenas para interpretar Satine. A peça conseguiu representar muito bem toda a paixão impregnada no longa, sendo a união de um corpete com uma saia longa e uma respeitável cauda, tudo em cetim vermelho. O laço logo abaixo dos cordões do corpete conseguiu provocar uma divertida ironia de mulher inocente e fatal, e Satine exalava sensualidade nesse vestido vermelho. Muita paixão!

Julia Roberts em Uma Linda Mulher (1990), mostrando todo o poder de um longo vermelho. Esse vestido foi extensamente copiado pois é o ícone da transformação de Vivian Ward e representa a Cinderela moderna que muitas mulheres desejam ser.

Audrey Hepburn vive Jo Stockton em Cinderela em Paris (1957). Através dos filmes que participava e até mesmo fora dele, a atriz mudou a maneira de vestir da mulher americana e de outros países, sempre buscando ser vista com roupas simples, porém muito elegantes, que se tornaram peças atemporais. Isso é muito bem representado nesse vestido vermelho: Jo está de vermelho dos pés à cabeça e não parece vulgar ou exagerada, mas sim bem vestida.

Emma Stone viveu Grace Faraday em Caça aos Gângsteres (2012). Ela usa um vestido feito de chiffron, um tecido que é conhecido por ser bem fluido e esvoaçante, o que conferiu uma elegância única à peça, mas a poderosa fenda temperou-o com uma sensualidade inquestionável. É muito provocante ver Grace andar, pois o tecido leve nem sempre deixa suas pernas à mostra, o que acaba hipnotizando quem presta atenção a essa mulher de vermelho. Emma ficou em perfeita harmonia com a elegância, beleza e sensualidade de Grace em seu vestido estonteante.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.