Lista: Os melhores cineastas americanos da atualidade

Essa postagem me confia a difícil tarefa de listar os melhores cineastas americanos da atualidade. Mas antes devo definir que atualidade é esta: a regra que usei pra listar esses diretores são os filmes que lançaram de 2000 até 2013.


Eis a lista:


10. Brad Bird

O mestre da animação Brad Bird tinha que estar na lista. Os Incríveis (2004) e Ratatouille (2007) venceram o Oscar de melhor animação em seus respectivos anos. O diretor também foi indicado a melhor roteiro original por ambos. Ele realizou uma  outra animação, Gigante de Ferro, que eu considero sua obra-prima, mas essa não conta para essa lista pois é 1999. Mas nem precisa, já que com esses dois outros filmes ele entra em qualquer lista.

9. David Fincher

Apesar de os melhores trabalhos de Fincher serem dos anos 90 (Seven e Clube da Luta), nos anos 2000 ele continua a fazer filmaços, como os Oscarizados Benjamin Button (2008) e A Rede Social (2010), que perdeu injustamente as estatuetas principais para o mediano O Discurso do Rei, comprovam a qualidade do diretor. Além disso, Fincher ainda assina o subestimado Zodíaco (2007).


8. Clint Eastwood

O homem sem nome. Clint Eastwood é o caso do ator que virou diretor. Inclusive, um grande diretor com quatro Oscars nas costas. Menina de Ouro (2004) foi um desses que rendeu ao Clint o prêmio de melhor filme e melhor diretor. Menina de Ouro é um filme que se transforma enquanto você assiste, você acha que é um filme sobre boxe? Gran Torino (2008)  redime o famoso personagem do Clint, é uma revisão da carreira do diretor, também ia ser o último filme em que o Clint atuaria, mas ele acabou voltando a atuar em 2012. Também fez filmes sobre guerra, policiais, drama, comprovando sua versatilidade.


7. Terrence Malick

Ele fez apenas dois filmes no século 21, O Novo Mundo (2005) e Árvore da Vida (2011) (na verdade, foram três,  mas esse último ainda não estreou comercialmente) e apenas seis filmes em toda carreira, lembrando que o primeiro é de 1973, mas já dá pra ter uma ideia de como é o diretor. Qualidade não é quantidade, o Kubrick também não fez muitos filmes. Dois filmes, duas obra-primas, isso é o que o qualifica para estar nesta lista.

 


6. Darren Aronofsky

O Aronofsky é conhecido como o diretor que nunca errou. Totalmente verdade. Eu ia fazer a lista de filmes do século 21, daí percebi que Réquiem Para um Sonho é de 2000, então fiz uma pequena mudança para incluir essa obra-prima. Ele também fez o poético Fonte da Vida (2006), O Lutador (2008), este sendo o filme mais bruto do diretor, trazendo o Mickey Rourke numa atuação monstruosa e com um dos finais mais dramáticos que eu já vi, e o mais recente, Cisne Negro (2010), que rendeu a Natalie Portman o Oscar de Melhor Atriz.


5. Wes Anderson

Martin Scorsese disse que Wes Anderson é o novo Scorsese. Que honraria, não? Wes Anderson é indie por excelência.  O famoso entrevistador  Charlie Rose perguntou a Wes “Quem vê seus filmes?”, não encontrei uma boa tradução para o português, mas a resposta foi “Outsiders”. As influências sobre Wes Anderson vão do Scorsese, passando pelo Roman Polanski e chegando em Orson Wells.  Fantástico Sr. Raposo(2009) é uma das melhores animações feitas. Com técnica stop-motion, conta com George Clooney, Meryl Streep e Bill Murray. Em A Vida Marinha de Steve Zissou (2004), Wes meio que faz um filme sobre ele mesmo e sobre as críticas contra ele, porque a sua maneira de filmar não agrada a todo mundo. Com Os excêntricos Tenenbauns (2001) conseguiu sua primeira indicação ao Oscar. O filme teve apenas uma, a de melhor roteiro, assim como Moonrise Kingdom, seu mais novo filme e talvez o mais acessível.  Você não precisa ser um outsider para apreciá-lo.

 


4. Joel e Ethan Coen

Onde os Fracos Não Têm Vez por si só já figuraria nesta lista. Mas o caso é que os Irmãos Coen fizeram outros filmaços nestes últimos anos, E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? (2000), Um Homem Sério (2009) e Bravura Indômita (2010), por exemplo. Eles criaram um  gênero próprio, que você não pode definir, são apenas Coen Brothers Movies.Voltando ao Onde os Fracos Não Têm Vez, que pra mim é o Top 2 da década (o top 1 já tá vindo por aí), esse é um filme que vale por 100 outros filmes. Roger Ebert escreveu “Muitas das cenas de Onde os Fracos Não Têm vez são tão perfeitamente construídas que você quer que elas simplesmente continuem, e ainda criam uma aspiração emocional  que te levam para a próxima cena. Outro filme que me fez sentir assim foi Fargo. Para fazer um filme assim é um milagre. Aqui  está outro”. O que posso dizer agora?

 


3. Martin Scorsese

“Scorsese, sempre o Scorsese” disse De Palma uma vez, enquanto assistia a Touro Indomável (1980). Ele é o melhor cineasta vivo. Um cara das antigas que continua a fazer filmaços. Ele merece estar no Top 1 de qualquer lista pela sua carreira, mas nesta lista ele ficou com o terceiro lugar, nada mal, não? Nos anos 2000, Scorsese encontrou um novo parceiro, o Leonardo DiCaprio, e com ele fez Gangs de NY (2002), O Aviador (2004), Ilha do Medo (2010), e a obra-prima desse período,  um dos melhores filmes do Martin, Os Infiltrados (2006), pelo qual finalmente ganhou o Oscar. Os dois diretores que ficaram a frente do Scorsese são crias dele, altamente influenciados pelo seu estilo, só que um prefere Taxi Driver (1976) e o outro Goodfellas (1990).


2. Quentin Tarantino

Tarantino é o que prefere Taxi Driver. Quentin é um diretor com status de astro de rock. Não apenas seus filmes, mas ele próprio é um ícone da cultura pop. A saga de vingança da Noiva é seu primeiro filme no século 21, digo, seus dois primeiros, pois Kill Bill foi dividido em 2 partes. Kill Bill é o filme que só podia ser dirigido por Tarantino, talvez seja o filme mais original e corajoso da década.  Samurais e Cowboys, só a cabeça maluca dele podia fazer essa mistura dar certo. Death Proof (2007) que o Tarantino o considera seu pior filme, mas preste atenção, não pior de ruim, porque ele adora Death Proof, mas disse que quando terminar sua carreira e Death Proof for seu pior título, ele estaria satisfeito, entendem? Pois um diretor que tem um filmaço como Death Proof em último lugar, é um diretor a ser respeitado. Tarantino mudou a história do mundo matando todo o alto comando nazista em Bastardos Inglórios (2009) e ainda nos apresentou  Christoph Waltz  no papel do Col. Hans Landa. Waltz voltou a trabalhar com Quentin em Django Livre (2012), pelo qual ganhou seu segundo Oscar, o primeiro foi pelo Bastardos.


1. Paul Thomas Anderson

Paul Thomas Anderson é o numero 1. E ele é o que prefere Goodfellas. Se lembra que eu disse que o filme top 1 da década já vinha por ai quando eu estava falando dos Coen? Pois bem, foi o Paul Thomas Anderson que fez o melhor filme da década  E o filme é Sangue Negro (2007) com o Daniel Day-Lewis. Sangue Negro está em um patamar completamente diferente. É um filme sobre a alma americana. Sangue Negro tem um monstro no papel principal, Daniel Day-Lewis na melhor performance da sua carreira e a melhor da década  Eu nunca vi nada igual, uma atuação tão poderosa é para poucos. Há um vídeo no Youtube onde o Tarantino fala sobre o filme. Quentin disse que Sangue Negro foi sua maior inspiração para fazer Bastardos Inglórios e também disse que Paul Thomas Anderson é o cineasta que ele tem mais orgulho de assistir atualmente e nada o deixa mais orgulhoso do que ver o Paul fazendo uma obra-prima como Sangue Negro. Eu concordo plenamente. Paul fez mais dois filme neste período: Embriagados de Amor (2002), a melhor comédia da década, que tem um dos melhores usos de trilha sonora que eu já vi, o Paul o chama de “An Art House Adam Sandler Movie”. Isso mesmo, Adam Sandler, Paul o pegou e o fez ter a melhor atuação de sua carreira. Outro que teve a atuação de uma vida foi Joaquim Phoenix pelo trabalho mais recente do Paul, The Master (2012). The Master é um filme difícil, talvez seja o trabalho do diretor mais inacessível ao grande público. Mas eu recomendo altamente para aqueles que querem passar duas horas dentro da cabeça de outra pessoa. E aqui eu só estou falando do trabalho dele neste século, quando você vir os filme que ele fez nos anos 90, seu queixo vai cair. Há muito mais o que falar sobre Paul Thomas Anderson, mas vou parar por aqui. Espero que aqueles que não conhecem este diretor único vão atrás das sua obras. Um pecado não ir.