É conveniente dissertar sobre algum filme da saga Bond, afinal, sou um grande fã da série; apesar de haver uma elipse temporal gigantesca entre minha geração e os anos dourados da franquia, nunca me furtei em manter-me devidamente atualizado com cada nova aventura de Bond. A primeira vez que tomei contato com sua saga foi em meados de 1997, com o título “007 Contra Octopussy”, exibido na outra saudosa “Sessão da Tarde”; toda aquele narrativa gerou em mim um profundo fascínio, tanto no que diz respeito às engenhocas tecnológicas, quanto ao enredo, repleto de um teor inconsequente, corroborado pela atuação sarcástica e desleixada( no bom sentido) de Roger Moore.

Lembro-me, que no templo sagrado do cinema em Caicó, na finada locadora Alternativa Vídeo estavam dispostos em uma prateleira, organizados ordeiramente, todos os títulos da saga até então – de Dr. No a Goldeney. Durante muitos meses, eu economizei o que pude, para ter a chance de locar cada um deles, e viajar além da minha esfera provinciana. Passei, pela Holanda, Jamaica, Tailândia, Egito, Bahamas, Malta, Gilbratar, Trinidad & Tobago, Espanha, Bermudas, dentre outros. É claro, minhas únicas preocupações não se resumiam apenas a o destino turístico do herói, mas também àquelas que zelariam pelo seu bem estar (ou não) durante a aventura. A agreste Ursula Andress; a meiga Carole Bouquet; e a ex-Ringo Star, Barbara Bach, figuram na minha constelação das grandes personagens femininas do cinema.

Tão mais importante para mim que o mero entretenimento, é o repertório de significações presentes na série, que agregadas às desventuras e constelações imaginativas presentes em minha infância, ajudaram na formação de meu caráter; seja para bom ou para ruim. O importante, é que o cinema esta lá. Aqui, os 6 filmes definitivos da série, na importância dada por esse que vos escreve essas malfadadas linhas:

007 Contra Goldfinger

James Bond enfrenta o vilão Goldfinger, que planeja contaminar a reserva ouro do governo dos EUA depositada em Fort Knox. Continuação de Moscou Contra 007, em que o personagem assume suas características de cinismo, cavalheirismo, inteligência e charme. Pela primeira vez Bond usa seu carro Aston Martin, superequipado. Atenção para a sequência de raio laser cortando a mesa de aço em direção ao corpo do héroi.. Explosiva cansão-título interpretada por Shirley Bassey.

007 Contra o Homem da Pistola de Ouro


 

Bond usa seus truques e sua inteligência para escapar das balas de ouro do vilão Scaramanga. A nona aventura do espião se passa na Tailândia e é repleta de ação. A partir dessa produção, Albert Brocolli desligou-se de Harry Saltzman e continuou sozinho com os direitos do personagem.

007 – Os diamantes são Eternos


007 tenta impedir que o arquivilão Blofeld organize uma rede internacional de ladrões especializada em roubar diamantes. Em vista da falta de carisma de George Lanzeby em A Serviço Secreto de Sua Majestade, Connery ganhou uma fortuna para estrelar a sétima aventura do espião britânico, com locações em Amsterdã e Las Vegas. Impagável a dupla de assassinos, que cita provérbios ingleses.

007 – O Espião que me Amava


 

Agente russa une-se a James Bond para liquidar projetos de um vilão que pretende destruir o mundo. Décima aventura do agente, continuação de O Homem da Pistola de Ouro. O diretor Terence Young faz ironia com outros filmes da série, levando tudo na mais pura gozação. A sátira já começa na abertura, quando Bond salta num precipício e abre o pára-quedas com a bandeira britânica.

007 – Contra Chantagem Atômica


Bond tenta impedir que o chefe da organização criminosa SPECTRE destrua mísseis nucleares – o que fará se não lhe pagarem 100 milhões de dólares. Quarto da série 007. Correrias, perseguições, notável elenco de mulheres bonitas e o humor britânico característico. Sequências submarinas fantasticamente realizadas. O primeiro filme do agente a ganhar o Oscar; nesse caso, de Melhores Efeitos Especiais.

 

007 Contra Octopussy

 

007 vai a Índia e a Europa Oriental para frustrar os planos de um príncipe afegão e bela mulher ligada a um circo, que saqueiam tesouros do último czar da Rússia espalhados pela Europa. Por trás deles, manobra um general soviético que quer destruir Berlim com bomba atômica. Aqui destaca-se um James Bond cada vez mais em clima de paródia.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.